Nanni Moretti

12ª Festa do Cinema Italiano | Programação Nanni Moretti

A 12ª Festa do Cinema Italiano em colaboração com a Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema promove uma retrospetiva de Nanni Moretti. 

Moretti, cinema italiano! O cinema de Nanni Moretti ganha destaque durante o mês de abril na programação Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema, tudo isso graças à colaboração do instituto público com a 12ª edição da Festa do Cinema Italiano. De forma a dar a conhecer a cinematografia do realizador italiano ao público português, a Cinemateca apresenta todos os seus filmes numa retrospetiva completa.

Nascido em Brunico na Itália a 19 de agosto de 1953, Nanni Moretti cresceu em Roma e rapidamente, em pouco mais de quarenta anos, tornou-se num dos cineastas de maior importância no cinema italiano. Realizador de culto e muito pensado por académicos em escolas de cinema e filosofia, Nanni Moretti é um nome incontornável do cinema europeu, marcando presença com regularidade, no circuito das salas comerciais, mas também nos maiores festivais de cinema. No Festival de Cannes, onde esteve várias vezes na competição oficial, atribuiu-lhe a Palma de Ouro, em 2001, por “La Stanza del Figlio”.

Nanni Moretti
Nanni Moretti

Realizador com obras marcantes tanto na comédia (nomeadamente nos seus inícios, onde o realizador atua com o seu alter-ego Michele Apicella, como em “Ecce Bombo”, “Sogni D’Oro” ou “Bianca”, bem como em registos dramáticos (onde se destacam “Mia Madre”, Nanni Moretti nunca deixou, ao longo de toda a carreira, de formar um olhar crítico sobre a história do cinema, sobre o seu próprio trabalho e vida.

O cineasta reflete também sobre as convulsões sociais e políticas da vida italiana e europeia no final do séc. XX, nomeadamente as mudanças vividas pela esquerda, perante a crise do marxismo-leninismo e as mudanças do socialismo (num país que veria o partido comunista do seu país progressivamente aproximar-se do centro, uma transformação cujas raízes são expostas no documentário “La Cosa”).

O cineasta tem vindo a estabelecer críticas àquilo que considera como a “progressiva decadência do cinema e das salas de cinema”, no que toca a importância deste e o seu papel dentro da sociedade, tal como o desaparecimento destas últimas, nas nossas vidas. Contra Netflix ou quaisquer plataformas de streaming, Nanni Moretti é também responsável pela exploração do cinema Nuovo Sacher, em Roma, e assume-se um pensador perante novas formas de consumo e a produção de conteúdos sensacionalistas de consumo imediato.

Nanni Moretti
Nanni Moretti na capa da programação de abril da Cinemateca Portuguesa

Preservando o classicismo da sala obscura, Nanni Moretti consegue ser igualmente um cineasta contemporâneo, ao revelar-se um dos raros cineastas que junta o seu olhar biográfico a um olhar militantemente político no seu trabalho.

Para tal, a Cinemateca Portuguesa preparou a antestreia do documentário “Santiago, Itália”, numa colaboração com a Midas Filmes. O filme fala do golpe de Estado de Augusto Pinochet, no Chile, o derrube do regime socialista Salvador Allende, e o papel da Embaixada de Itália na capital chilena, que, ao contrário da política anti-imigração do atual governo italiano, abriu as suas portas para acolher numerosos refugiados e oferecer-lhes asilo em solo italiano.

Nanni Moretti
Nanni Moretti em “Caro Diário”

Olhar para os filmes de Nanni Moretti é olhar, por isso, para a vida do realizador, os seus desejos e neuroses, ficcionados tanto em comédia como em registos dramáticos, mas é olhar para as convulsões que vivemos, na nossa vida urbana, e na nossa relação com as imagens e, por fim, com as forças e movimentações políticas e sociais do nosso tempo. É uma maneira, por isso, de olharmos para o cinema, ontem e hoje. Dos 24 filmes exibidos, entre curtas e longas metragens, 11 delas são primeiras exibições na Cinemateca Portuguesa.

Relembramos que a 12ª Festa do Cinema Italiano realiza-se de 5 a 14 de abril, em Lisboa, no Cinema São Jorge, nos Cinemas UCI El Corte Inglés e na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, e noutras cidades portuguesas, nomeadamente, Almada (5 a 10 de abril), Coimbra (9 a 11 de abril), Porto (10 a 14 de abril), Setúbal (11 a 14 de abril), entre outras tantas que poderás conhecer aqui.

“A Cinemateca com a 12ª Festa do Cinema Italiano: Nanni Moretti” é uma rubrica do mês de abril da Cinemateca Portuguesa e uma oportunidade única para ver em sala grande sucessos estreados nos cinemas nacionais, mas também obras inéditas, curtas-metragens e documentários do realizador romano.

Poderás conhecer todos os filmes de Nanni Moretti em exibição na Cinemateca Portuguesa a seguir!




“SANTIAGO, ITALIA” (2018) – F.R. 4-4-21h30

Nanni Moretti
Santiago, Itália

 A 11 de setembro de 1973, o governo democraticamente eleito de Salvador Allende, no Chile, é derrubado num golpe de Estado militar encabeçado por Augusto Pinochet. SANTIAGO, ITALIA é a história, resgatada por Nanni Moretti, do papel da Embaixada de Itália em Santiago, capital do Chile, e o acolhimento aos opositores do novo regime militar e o seu refúgio em solo italiano. Um filme que, olhando para um momento determinante da história do séc. XX, acaba por falar para as injustiças do presente e o caminho que a Itália atualmente percorre, no seu presente político, e o impacto público e político da sua forte política anti-imigração. Primeira exibição na Cinemateca.




“IO SONO UN AUTARCHICO” (1976) – F.R. 5-4-19h | F.R. 9-4-15h30

Nanni Moretti
Io Sono un Autarchico

Considerada a primeira longa-metragem de Nanni Moretti, IO SONO UN AUTARCHICO é um primeiro ensaio sobre os vários motivos que atravessam as comédias do realizador. Com a criação de um alter ego (Michele), que leva o realizador a ser também ator dos seus filmes, o filme traz-nos as dificuldades de uma separação amorosa de um jovem artista de esquerda italiano, sustentado pe- los pais, e da criação e imposição da sua visão artística no trabalho coletivo de uma companhia de teatro experimental, lidando, nervosa e politicamente, com as suas possibilidades de auto-suficiência económica, criativa, e sentimental. Raramente visto, trata-se da primeira exibição do filme, na Cinemateca, em quase 27 anos.




“PIAZZA MAZZINI” (2017) + “ECCE BOMBO” (1978) – F.R. 6-4-21h30 | F.R. 10-4-15h30

Nanni Moretti
Ecce Bombo

ECCE BOMBO continua a dar vida a Michele, alter ego de Nanni Moretti no ecrã, e situa-o no meio de um grupo de amigos, na Itália do final dos anos 70, marcados pela herança política e ideológica dos movimentos estudantis de esquerda nascidos poucos anos antes. Filmado numa estrutura que junta várias vinhetas da vida destes jovens (e de Michele em particular), ECCE BOMBO é um extraordinário retrato cómico, político e social da juventude italiana do seu tempo, oferecendo, nas suas indecisões, neuroses, paixões sentimentais e incongruências, um retrato intemporal sobre as possibilidades e impossibilidades de viver uma vida que esteja de acordo com aquilo que desejamos para ela. PIAZZA MAZZINI, por sua vez, é uma curta-metragem que mostra Moretti a falar com uma personal trainer, quase quarenta anos depois, sobre aquilo que tinha tentado fazer no filme.




“SOGNI D’ORO” (1981) – F.R. 8-4-19h | F.R. 11-4-15h30

Nanni Moretti
Sogni D’Oro

Filme que impôs Nanni Moretti, finalmente, como o fundador de uma nova geração de cineastas italianos. SOGNI D’ORO é uma comédia burlesca sobre um realizador de cinema (Michele, o alter ego do realizador) que efetua uma série de conferências em várias universidades e cujo tema é, precisamente, o seu último filme. Em cada reunião, contudo, será confrontado por um espectador que acusa o filme de ser demasiado intelectual, deslocando e confundindo ainda mais um realizador perdido entre os seus princípios e aquilo que o público e a sociedade espera do seu filme e, por extensão, do próprio cinema nas suas vidas.




“THE LAST COSTUMER” (2003) + “LA COSA” (1990) – F.R. 9-4-21h30 | F.R. 12-4-15h30

Nanni Moretti
La Cosa

THE LAST COSTUMER (primeira exibição na Cinemateca) é um documentário sobre o encerramento de uma histórica farmácia italo-americana, em Nova Iorque, e da despedida dos seus vários clientes, tendo, como pano de fundo, a transformação de uma cidade e da sua vida de bairro. LA COSA, por sua vez, fala-nos de outro “encerramento”: uma recolha de várias discussões e debates internos, no Partido Comunista Italiano, sobre a sua proposta de transformação numa outra organização política, mais longe da ideologia marxista-leninista que marcara o socialismo antes da queda do Muro de Berlim em 1991, e anos antes das suas várias multiplicações e variantes que confluíram, recentemente, no atual Partido Democrático.




“LA MESSA È FINITA” (1985) – F.R. 10-4-19h | F.R. 15-4-15h30

Nanni Moretti
La Messa è Finita

Dos anos oitenta de Moretti, LA MESSA È FINITA dispensa o alter ego de Michele Apicella, que marcou a sua obra entre IO SONO UN AUTARCHICO, de 1976, e PALOMBELLA ROSSA, de 1989. Aqui, Nanni é o jovem padre Don Giulio, regressado a Roma depois de alguns anos passados numa ilha mediterrânica, para reencontrar o mal-estar e a depressão do seu círculo familiar e fraternal. Crónica de uma geração em perda – ou em deriva –, em que o protagonista, de comportamento insólito e não raro à beira de um ataque de nervos, acaba por “desertar” para a Terra do Fogo, LA MESSA È FINITA é um dos Morettis a que vale a pena voltar, também pelas suas características de ator.




L’ULTIMO CAMPIONATO (2017) + PALOMBELLA ROSSA (1989) – F.R. 12-4-21h30 | F.R. 16-04-15h30

Nanni Moretti
Palombella Rossa

PALOMBELLA ROSSA é uma sátira ao panorama político italiano da altura em que foi feito, sendo, em particular, uma metáfora da situação então vivida pelo Partido Comunista Italiano. A ação decorre praticamente sempre dentro de uma piscina onde decorre uma partida de polo aquático que reflete os confrontos em causa. Entre dois gags fabulosos (o desastre de carro e a grande penalidade), um homem (Nanni Moretti) procura reconhecer-se e encontrar a função que lhe cabe no mundo. É o filme em que ouvimos Moretti dizer “le parole sono importanti!” e em que ouvimos o I’m on Fire de Bruce Springsteen numa inolvidável sequência aquática em suspenso. A abrir a sessão, L’ULTIMO CAMPIONATO (primeira exibição na Cinemateca) é um documentário sobre o último campeonato nacional de polo aquático disputado por Nanni Moretti.




BIANCA (1984) – F.R. 15-4-19h | F.R. 18-4-15h30

Nanni Moretti
Bianca

Em mais uma história que se foca nas neuroses do seu autor e nos problemas da sua vida sentimental, Michele, alter ego de Moretti, é agora um professor de matemática no liceu “Marilyn Monroe” (optando, certas vezes, por aulas de educação física com os seus alunos, não se coibindo de lhes roubar a bola para marcar um golo sozinho), onde a fotografia do Presidente da República é substituída por uma do lendário guarda-redes Dino Zoff e os professores têm um psicólogo à disposição. Obcecado com as vidas dos outros e as aparências aparentemente felizes ou infelizes que lhe mostram, Michele desenvolve uma obsessão perigosa com a vida à sua volta e, particularmente, com Bianca, sua colega e professora de francês na mesma escola. Primeira exibição desde 1995.




CARO DIARIO (1993) – F.R. 16-4-21h30 | F.R. 22-4-15h30

Nanni Moretti
Nanni Moretti

Este é o filme em que Moretti circula por Roma na sua vespa, insurgindo-se contra a destruição do espírito da cidade que se perdeu na vulgarização de subúrbios dormitório, para desembocar numa peregrinação-tributo a Pasolini. O primeiro episódio de CARO DIARIO, “Na Vespa” é sucedido de “As Ilhas” (por onde paira a referência a Rossellini) e do mais burlesco “Os Médicos”. CARO DIARIO é um olhar morettiano sobre a Itália dos anos noventa e possivelmente o filme mais popular do realizador.




LA STANZA DEL FIGLIO (2001) – F.R. 17-4-15h30 | F.R 22-4-19h

Nanni Moretti
La Stanza del Figlio

Neste filme, em que voltou a filmar (e a contracenar com) Laura Morante, Moretti conta a história de sobrevivência de uma família depois da trágica morte do filho mais velho no mar Adriático durante uma expedição submarina. Palma de Ouro em Cannes 2001, O QUARTO DO FILHO foi entendido como um “Moretti atípico”. “É um filme sobre a dor da morte que divide a família, sobre as tragédias que separam as pessoas que se amam, contra a retórica comum dos dramas que unem (…). E esta era uma dor que gostaria de contar, a minha obsessão pelo irreparável, pela impossibilidade de voltar atrás, através da vida de um psicanalista” (Nanni Moretti).




APRILE (1998) + IL GRIDO D’ANGOSCIA DELL’UCCELLO PREDATORE (2003) – F.R. 15-4-15h30 + F.R. 18-4-19h

Nanni Moretti
Aprile

“APRILE” foi a longa-metragem seguinte a CARO DIARIO e é o filme em que, no seu duplo de realizador e realizador-ator, Nanni Moretti se confronta com a situação política italiana e os seus próprios dilemas de realizador e pai recente. APRILE surge na sequência da recolha de material sobre a cena política italiana de meados dos anos noventa, a ascensão e “queda” de Berlusconi, e o momento em que Moretti descobre a paternidade. Ou, como o descreveu Claire Denis, o filme em que Moretti “quis fazer uma comédia musical que não conseguia começar, optando assim por falar da sua vida própria vida, o seu novo bebé, os seus desejos e medos. Finalmente, na última cena, começa”. IL GRIDO D’ANGOSCIA DELL’UCCELLO PREDATORE (primeira exibição na Cinemateca) é uma recolha de várias cenas não incluídas na versão final do filme.




ISCHI ALLEGRI E CLAVICOLE SORRIDENTI (2017) + IL CAIMANO (2006) – F.R. 23-4-19h | F.R. 26-4-15h30

Nanni Moretti
Il Caimano

ISCHI ALLEGRI E CLAVICOLE SORRIDENTI (primeira exibição na Cinemateca) é a segunda curta-metragem, de Nanni Moretti, em que este contracena, em pleno exercício físico, com uma personal trainer enquanto discute as intenções por trás dos seus filmes. Em IL CAIMANO, obra especialmente bem-sucedida no seu país, Nanni Moretti quis filmar a Itália de Berlusconi através de um cinema político em tom burlesco. “O Caimão” é o título do filme dentro do filme, uma proposta de trabalho que vai ter com o protagonista, Bruno (Silvio Orlando), em momento de crise pessoal e profissional (está a separar-se da mulher e é um produtor de cinema em declínio, depois de uns supostos áureos anos setenta). Interrogativo – é pela voz do próprio Moretti, aqui na personagem de um ator, que se verbaliza se será preciso fazer um filme sobre Berlusconi – IL CAIMANO é também um filme angustiado.




MIA MADRE (2015) – F.R. 24-4-15h30 | F.R. 27-4-21h30

Festa do Cinema Italiano
Nanni Moretti e Margherita Buy em “Mia Madre”

Filme de ficção, na carreira do realizador, com a estreia comercial mais recente, Moretti lida com a morte da sua mãe através de um outro alter ego — desta vez, não Michele mas uma realizadora em plena rodagem (Margherita Buy) que lida, simultaneamente, com as dificuldades em dirigir o seu filme e, também, os episódios incontroláveis da sua vida pessoal, assim como o luto iminente pela sua mãe. Uma obra tocante, não apenas sobre o nosso amor por aqueles que nos deixam, como pela morte de alguns gestos anteriormente intrínsecos ao cinema (como na fabulosa cena “sonhada” em que Moretti e Buy percorrem uma enorme lista de espectadores, na rua, à espera de entrarem numa sala de cinema, ao som de Famous Blue Raincoat, de Leonard Cohen). Primeira exibição na Cinemateca.




HABEMUS PAPAM (2011) – F.R. 24-4-21h30 | F.R. 29-4-15h30

Nanni Moretti
Habemus Papam

Obra especial na carreira de Nanni Moretti, e que evoca aquilo que Manoel Oliveira já fizera, com o mesmo ator, em JE RENTRE À LA MAISON/VOU PARA CASA, Michel Piccoli interpreta o papel de um Papa recém-nomeado, após avanços e recuos na votação dentro do Vaticano, que encontra enormes dificuldades em assumir o papel da “personagem”, decidindo fugir e aventurar-se, fora do perímetro do Vaticano, entre os “comuns mortais”. Na sua ausência, Moretti, no papel de um psicanalista, tenta conversar com Sua Santidade e impor alguma terapia de exercício físico e desportivo entre os cardeais. Primeira exibição na Cinemateca.




SCAVA DOLCEMENTE L’ADDOME (2013); IL GIORNO DELLA PRIMA DI CLOSE UP (1996); DIARIO DI UN SPETTATORE (2007); FILM QUIZ (2008); DIARIO DEL CAIMANO (2006) – F.R. 26-4-19h | F.R. 30-4-15h30

Nanni Moretti
Diario di un spettatore

Esta sessão reúne um conjunto de curtas-metragens de Nanni Moretti inéditas na programação da Cinemateca. SCAVA DOLCEMENTE L’ADDOME é um “falso trailer” realizado por Moretti, enquanto IL GIORNO DELLA PRIMA DI CLOSE UP mostra o realizador na difícil gestão do seu cinema Nuovo Sacher e da estreia do filme CLOSE UP, de Abbas Kiarostami, em concorrência com outros filmes da cidade. DIARIO DI UN SPETTATORE foi a curta realizada pelo cineasta para o filme coletivo “Chacun son cinéma”, uma encomenda do Festival de Cannes a propósito do seu 60o aniversário, e FILM QUIZ é um jogo filmado, com Moretti a colocar as perguntas diretamente aos espectadores, sobre o nome dos filmes que lhes descreve. Por fim, DIARIO DEL CAIMANO é o making‐of de IL CAIMANO. Primeiras exibições na Cinemateca.

Gostas de cinema italiano?

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Virgílio Jesus has 1422 posts and counting. See all posts by Virgílio Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.