© EBU / NATHAN REINDS

Eurovisão 2022 em Turim | Entrevista a Monika Liu da Lituânia

Desde Itália, Monika Liu representante da Lituânia, com a canção “Sentimentai”, falou com a MHD. Colocámos os seus sentimentos à prova.  

Mais um dia de conversas com os protagonistas da Eurovisão 2022. Depois da conversa com Marius Bear da Suíça esta manhã, tivemos o privilégio de conversar com Monika Liubinaitė, mais conhecida como Monika Liu, que representa a Lituânia na Eurovisão em Turim.

Depois da sua vitória no concurso Pabandom iš naujo que funciona como o Festival da Canção, Monika teve passaporte para a Eurovisão e promete uma atuação cheia de glamour e sensualidade com a música “Sentimentai“. Esta é uma carta de amor ao passado e também uma forma de celebrar o seu idioma nativo. Na realidade, a Lituânia já não enviava uma canção totalmente em lituano desde 1994 – a sua data de estreia no certame -, com “Lopšinė mylimai” de Ovidijus Vyšniauskas. Passados 28 anos, Monika quebra o recorde do próprio país.

Sentimentai, a canção da Lituânia na Eurovisão 2022

A artista de 34 anos é um dos nomes mais conhecidos no universo musical lituano. A sua incursão pela música ocorreu quando tinha apenas 5 anos, quando começou a ter aulas de violino. Não faltaria muito tempo para percorrer o Atlântico e viajar até aos Estados Unidos, onde estudou no Berkeley College em Boston. Mais tarde mudou-se para Londres, mas decidiu regressar à Lituânia para partilhar aquilo que aprendeu com os mais novos. Não é por acaso que foi convidada para ser membro do júri do Factor X.

A sua canção é uma viagem ao passado, é um toque de elegância que evoca o som retro da música pop lituana dos anos 60 e 70. Em “Sentimentai” aborda o poder da memória e encara o presente com nostalgia. É uma canção fantástica para se ouvir, uma daquelas baladas que faz mais sentido quando os dias estão cinzentos e queremos olhar ao espelho para percebermos de onde viemos e para onde vamos. Consegues olhar-te ao espelho e rir de ti mesmo? Consegues deixar que a porta se abra para receber o que de melhor viveste noutros tempos? Todos nós sabemos que a vida deve seguir em diante, mas os olhos azuis tão hipnóticos de Monika Liu transporta-nos para aquele espaço à beira mar onde somos capazes de contemplar o horizonte e aprender com o passado. Só assim podem florescer as coisas mais bonitas.

Apesar dos primeiros ensaios de Monika Liu na Eurovisão terem começado com algumas dificuldades, sobretudo no mau funcionamento da construção do sol, a artista promete que tudo ficará resolvido no próximo. Vejamos o que nos pode revelar.

Eurovisão 2022
© EBU / NATHAN REINDS

MHD: O que poderá o público esperar da tua performance no palco da Eurovisão em Turim? 

Monika Liu: Ainda estamos a trabalhar na performance em palco, porque como certamente ouviram, tivemos um problema técnico durante os primeiros ensaios. Estamos a ajustar algumas ideias e esperemos que amanhã, durante o nosso segundo ensaio, consigamos resolver esta questão. Eu estou ansiosa por ver como as coisas correm. Quero ver se as mudanças que fizémos vão resultar.

Apesar de todos estes perçalços, a minha performance será elegante, intimista. Será muito ligeira e será muito feminina. Acho que a palavra que melhor descreve aquilo que quero fazer é realmente íntima. Quero que o público venha para este universo.

MHD: Vais mostrar esses movimentos glamorosos uma vez mais?

Monika Liu: Com certeza (risos).

MHD: Como é que tiveste a ideia para “Sentimentai”?

Eurovisão 2022
© EBU / NATHAN REINDS

Monika Liu: Eu escrevi essa canção quando estávamos todos em confinamento. O presente não me conquistava de todo e eu sentia-me um pouco confusa. Eu percebi que só poderia escapar ao presente ao ler livros ou a escrever música. Eu estava a escrever música todos os dias e acabei por escrever um álbum completo.

Esta canção é particularmente sobre uma mulher que prefere viver nas suas memórias passadas. Esta mulher que não consegue viver mais no presente. Tive a ideia para “Sentimentai” quando comecei a olhar em meu redor. O nosso mundo é tão rápido, as coisas mudam de um dia para o outro, existe muita informação e parece que as pessoas estão a ficar um pouco tolas. Sinto, na realidade, que existe muito de muita coisa. Nós temos que parar por minutos. Ser sentimental é algo tão raro nestes dias. Consegues mudar tudo. Consegues mudar de namorado, consegues mudar de roupa de uma maneira tão veloz e descontraída que deixamos de nos apegar àquilo que importa. Precisamos de parar para apreciar o momento.

Precisamos de relembrar melhor uma memória do passado, precisamos de relembrar quem partiu. Acredito que manter-se sentimental pode ajudar-te a abrir o coração. Eu acredito que o mundo precisa disto.

Eurovisão 2022
© VISVALDAS MORKEVIČIUS

MHD: Qual a melhor maneira de lidar com o passado?

Monika Liu: Primeiro é importante aceitá-lo e depois aceitar-se, independentemente da maneira como te sentes, seja triste, seja com saudades de alguém, seja arrependido. Uma vez que aceites isso poderás trabalhar os teus sentimentos. Caso contrário, se vais mentir para ti próprio, vai ser pior. Precisas de tempo e espaço para tudo isso. Gerir estas situações não é nada fácil.

MHD: Que palavras profundas!

Monika Liu: Exato! Não têm nada a ver com a Eurovisão (risos).

MHD: As músicas da Eurovisão normalmente refletem a cultura do respetivo país. Como é que a tua canção representa a identidade e a história da Lituânia?

Monika Liu: Acho que tem a vibe e a melodia da maioria das canções da Lituânia. A maioria das melodias são assim. É aquilo que escrevo do meu coração. Fui muito inspirada por um compositor lituano, desde que comecei a aprender violino. A música dele realmente inspirou-me. Por isso é que as minhas músicas são desta forma. Sabes? É uma referência ao passado da Lituânia.

MHD: Foste influenciada pelo filme “Beleza Americana” realizado pelo Sam Mendes, não é assim? Em que sentido esta longa-metragem mudou a tua vida?

hbo portugal
© Dreamworks LLC

Monika Liu: Em primeiro lugar a banda-sonora de “Beleza Americana” mudou a minha vida. A primeira vez que vi o filme já estava eu na indústria musical e sempre adorei os sons criados por Thomas Newman. E na minha canção eu digo “um milhão de rosas”, precisamente em homenagem a uma das sequências mais reconhecidas deste filme, com as rosas a cairem em cima de uma rapariga. Eu não consigo tirar esse momento da minha cabeça.

MHD: Como descreverias a indústria musical da Lituânia nos dias que correm? Alguma coisa mudou desde que o país entrou na Eurovisão?

Monika Liu: Tudo mudou. Estou tão orgulhosa do panorama musical lituano, porque somos um país pequeno mas temos muitos artistas. Muito bons escritores e bons produtores e, por vezes, não conseguimos chamar à atenção do público estrangeiro. Eu sei que as estas coisas tomam o seu tempo e muito estará relacionado com a nossa história. Somos um país independente há pouco tempo. Somos jovens.

Os artistas mostram-se muito apaixonados por aquilo que fazem, por hip-hop, pop contemporâneo, dance music, pop alternativo, rock… São tantas as coisas que os jovens artistas da Lituânia estão a fazer. É muito bonito.

Eu fui aquela que esteve sempre à luta, que esteve sempre à procura. Fui para os Estados Unidos, fui para a Inglaterra apenas para me tornar melhor. É aquilo que procuro fazer. Lembro-me de trabalhar com vários artistas, com várias empresas discográficas. Muitos estilos só para me tornar diferente e depois voltar a pisar a Lituânia para partilhá-lo com os meus conterrâneos.

Lê Também:
Eurovisão 2022 em Turim | MARO em entrevista exclusiva desde Itália

Esta a primeira vez desde 1994, que a Lituânia manda uma canção totalmente na sua língua nativa. Em Portugal temos o hábito de enviar uma canção em português. Porque escolheste uma canção em lituano?

Monika Liu: Para mim é o mais importante. Eu sempre me perguntava o porquê destes artistas lituanos cantarem apenas em inglês? Parece que se sentem envergonhados pela nossa língua e não deveria ser assim. Eu tentei ser corajosa. Muitas pessoas dizeram-me que eu deveria cantar em inglês e eu disse que não. Já passou muito tempo! A nossa língua é linda.

A maioria dos estrangeiros quando vão à Lituânia pensam que nós falamos russo e não é assim. Nós temos o nosso próprio alfabeto. É completamente diferente do russo e é uma das línguas mais antigas do continente europeu. Portanto, eu quero mostrar a língua no seu estado mais puro e bonito. Eu quero educar as pessoas (risos)

MHD: Sei que adoras Itália. O que consideras ser tão especial do país e porque razão conquistou o teu coração?

Monika Liu: A cultura, a arquitetura, as bases musicais, a comida. A forma como as pessoas olham para a vida. Os italianos não têm nenhum stress. Sinto que os italianos sabem gozar a vida. Conseguem aproveitar as coisas mais pequenas, seja com a família, seja numa reunião entre amigos. Mesmo na comunidade, com a partilha de comida e de bebida, em conversas longas. Adorava viver aqui dessa forma.

Eurovisão 2022
© EBU / NATHAN REINDS

MHD: Já decidiste o que vais fazer depois da Eurovisão 2022 em Turim?

Monika Liu: Eu estou a aproveitar o presente, mas depois da Eurovisão vou ter apenas 3 dias para descansar. Vou estar a trabalhar imenso. Vou lançar nova música e mal posso esperar para que isso aconteça. Todos falam da depressão pós-eurovisiva e eu quero evitá-la (risos). Eu vou fazer isso trabalhar!

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Virgílio Jesus has 1377 posts and counting. See all posts by Virgílio Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.