Family Film Project

Family Film Project conta com as palestras de Bill Nichols e Paula Rabinowitz

Os teóricos norte-americanos Bill Nichols e Paula Rabinowitz estarão presentes no Family Film Project em outubro para duas masterclasses que os amantes do cinema não vão querer perder!

Entre os dias 15 e 20 de outubro irá decorrer a sétima edição do Family Film Project (Festival Internacional de Cinema de Arquivo, Memória e Etnografia), organizado pelo Balleteatro e financiado pelo Governo de Portugal e a DGArtes, com co-produção da Câmara Municipal do Porto. O programa irá incluir sessões competitivas, eventos performativos, vídeo-instalações, e duas masterclasses apresentadas por Nichols e Rabinowitz – ambos com entrada e frequência gratuita.

Lê Também:
Comic Con Portugal 2018 | Galeria do Terceiro Dia

In the Beginning” é a masterclass de Bill Nichols que terá lugar no dia 17 de outubro, quarta-feira, às 15h00, no Passos Manuel. O teórico irá analisar as cenas de aberturas de filmes, assim como a sua relação com o sucesso geral de determinada obra. Vale a pena lembrar que Nichols é pioneiro como fundador do estudo contemporâneo do documentário, tendo sido editor de “Movies and Methods”, trabalhos importantes para estabelecer os Estudos do Cinema como disciplina académica. Para além disso, publicou vários livros, mais de 100 artigos e já lecionou aulas por todo o mundo. Atualmente é ainda consultor de realizadores de documentários e escreve regularmente sobre filmes, tendo integrado também o júri de diversos festivais de cinema.

O resumo oficial da sua masterclass é o seguinte: “Os inícios, como Roland Barthes e muitos outros argumentaram, definem mais do que o plano: estabelecem a questão fundamental, o mistério básico ou a necessidade que o filme irá abordar e resolver. O início paira sobre todo o filme na forma de um final que ainda não aconteceu. Assim, esta masterclass lança questões como: serão as cenas de abertura de um documentário apenas uma maneira de dar o pontapé inicial? Serão secundárias ao núcleo do filme que lentamente se desdobra e se torna mais complexo e intenso? Ou serão absolutamente cruciais para o sucesso do filme como um todo?”

Quanto a Paula Rabinowitz, ela é Professora Emérita de Inglês na Universidade de Minnesota. A sua monografia, “American Pulp: How Paperbacks Brought Modernism to Main Street” ganhou o Prémio DeLong de 2015 para livros de História. Os seus inúmeros ensaios versam sobre os papéis interconexos do cinema, fotografia, trabalho, género, literatura, espaço e objetos na formação dos modernismos americanos do século XX. Recebeu uma Bolsa de Pós-Doutoramento Mellon, uma Residência Rockefeller em Bellagio, na Itália, e duas posições de Professores Distintos Fulbright em Roma e Xangai. Atualmente, trabalha como editora-chefe da Oxford Research Encyclopedia of Literature.

Lê Também:
MOTELx ’18 | Vencedores e Balanço Final

A sua masterclass é intitulada “Cold War Dads: Fathers and the National Security State” e irá decorrer no dia 19 de outubro, sexta-feira, também às 15:00 no Passos Manuel. Segundo o site do festival: “O projeto inclui um livro de memórias que investiga dois pais da Guerra Fria, o da autora e o do seu marido: o primeiro, engenheiro responsável pelo Projeto Defender da ARPA e o segundo um editor e tradutor banido pela lista negra, investigado pelo FBI como espião comunista. Este é um exame de dois homens na periferia da história cujas vidas assumiram um estatuto emblemático durante as décadas de 1950 e 1960, mas cujas histórias devem ser vistas pelas lentes das décadas de 1930 e 1940 e os poderosos impactos do Partido Comunista e da Segunda Guerra Mundial. Nesta investigação, Rabinowitz descobre tensões de segredos pessoais e nacionais de segurança escondidos no ADN do folclore familiar. Usando histórias orais, diários e memórias não publicadas, registos públicos (incluindo materiais desclassificados do Projeto VENONA, o FBI e o Departamento de Defesa), cultura popular e histórias publicadas da Guerra Fria, Rabinowitz pesquisa entre a miríade de fragmentos de memórias, fatos, fantasias e afetos que contribuíram para os espaços de ignorância no conhecimento coletivo. Esta é a história do que é largamente desconhecido: como, e por que razão, as famílias durante a Guerra Fria guardaram segredos a coberto da preservação do seu bem-estar e da segurança, entendidas de forma muito diferente para o indivíduo particular e para o Estado.”

Este é um evento a não perder pelos alunos de cinema e pelos cinéfilos que estão sempre prontos a conhecer um pouco mais sobre a sétima arte. As masterclasses estão sujeitas a inscrição prévia!

Ângela Costa

Mestre em Cinema pela Universidade da Beira-Interior, sou apaixonada pelo cinema japonês e toda a cultura que o envolve. Adoro igualmente fotografia e se tiveres curiosidade passa no meu Instagram ;) Música e videojogos são dois outros grandes interesses.

Ângela Costa has 2307 posts and counting. See all posts by Ângela Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.