© Biennale di Venezia

Festival de Veneza | Quem Ganhará o Leão de Ouro 2023?

O filme favorito ao Leão de Ouro é definitivamente ‘Poor Things’, do grego Yorgos Lanthimos (‘A Favorita’). A sua protagonista Emma Stone é também forte candidata à Taça Volpi, o Prémio de Interpretação. Mas há outros fortes candidatos.

O pano cai sobre o Festival de Cinema de Veneza de 2023 ao final desta tarde, por volta das 19h de Lisboa (20h daqui) quando terminar a Cerimónia e a Premiação de Veneza 80, realizada no majestoso Salão Principal do Palazzo del Casino, no Lido de Veneza. Esta noite vamos finalmente conhecer o filme que levará para casa o Leão de Ouro. Depois de mais de uma semana de exibições que trouxeram a Veneza as últimas obras cinematográficas internacionais, chegou a hora de fazer um balanço da corrida aos prémios. Quem ganhará o prestigioso Prémio de Melhor Filme? Quais atores e atrizes que se vão se destacar pela conquista da Taça Volpi, reconhecimento reservado às melhores interpretações?

Lê Também:   Festival de Veneza | Io Capitano, dos Migrantes

VÊ TRAILER DE ‘POOR THINGS’

Enquanto isso e vistos todos os filmes da Competição, embora não sendo possível analisá-los todos (o que faremos posteriormente), podemos fazer alguns prognósticos sobre quem conseguirá erguer pelo menos a estatueta do Leão de Ouro. Aqui vão também, algumas considerações, sobre os possíveis candidatos aos principais Prémios de Veneza 2023.




A ESCOLHA DE CHAZELLE

Como manda a tradição, de vez em quando parece haver uma alternância entre filmes de género mais popular e obras mais artísticas e experimentais. Nesta edição, o Presidente do Júri é o realizador americano Damien Chazelle, conhecido por filmes como ‘Whiplash’, ‘La La Land’ ou ‘Primeiro Homem’. Conhecendo seu estilo romântico e espetacular, é plausível que premiasse um filme que mais captasse a imaginação do público. Neste contexto, ‘Maestro’, de Bradley Cooper parece ser uma sólida previsão, capaz de conquistar não só Veneza, mas também a atenção dos membros da Academia de Hollywood na corrida aos Oscar©. Bradley Cooper dirigiu e interpretou ‘Maestro’ de uma maneira absolutamente notável e incrivelmente igual ao próprio, Leonard Bernstein, uma das maiores figuras da música clássica, do século XX. É um filme que não sai daqui sem prémio! Mas há obviamente ‘Poor Things’, de Yorgos Lanthimos, novamente com Emma Stone — grande candidata ao Prémio de Melhor Interpretação Feminina — desta vez numa fantasia científica e surrealista, que descobre uma Lisboa romântica e de papel, o prazer dos pastéis de nata e um fado da Carminho.

Lê Também:   Maestro, em Veneza fez esquecer o nariz de Bradley Cooper!

VÊ TRAILER DE ‘MAESTRO’

’Poor Things’, uma espécie de variante do mito de Frankenstein, com Emma Stone no papel da criatura e Willem Dafoe, no médico que a criou. O filme, em jeito de fantasia surrealista, conta a incrível história e a evolução fantástica de Bella Baxter (Stone), uma jovem trazida de volta à vida, pelo brilhante e pouco ortodoxo cientista Dr. Godwin Baxter (Dafoe). Porém, sob a proteção de God, Bella fica ansiosa por aprender tudo sobre o mundo, fora do laboratório científico onde foi criada e da casa onde vive. Bella decide então fugir com Duncan Wedderburn (Mark Ruffalo), um advogado astuto e libertino, numa aventura turbulenta pelos vários continentes e cidades do mundo, passando por uma Lisboa surreal, cenografada e com o rio em fundo, as ruas estreitas, a calçada portuguesa e as ruínas do Convento do Carmo. É aí que a criatura vai-se empanturrar de pasteis de nata, ao som de um fado da Carminho e desta forma livrar-se dos preconceitos da sua época, em meados do século XIX. A partir daí, Bella cresce como mulher, firme no seu propósito de defender a igualdade e a sua liberdade sexual. O filme é uma releitura feminina do clássico tema de Frankenstein e baseado no romance ‘Poor Things’ do autor escocês Alasdair Gray. Mas parte também da ideia de ‘uma mulher que viveu duas vezes’, de um recomeço fora das normas: uma bela criatura, quer recomeçar a viver, com o seu belo corpo — e não monstruoso — e experimentar tudo e todas as sensações, como se fosse a primeira vez. Tentando a mesmo tempo entender e aprofundar a sua sexualidade, o seu poder de escolha e sobretudo a sua capacidade de decidir e viver de acordo com suas próprias regras e não com as que a sociedade lhe impõe. Em ‘Poor Things’, a actriz Emma Stone, é brilhante — nesta sua segunda colaboração com Yorgos Lanthimos, depois de ‘A Favorita’ — e tudo o que faz parece quase instintivo — mesmo a comer os pasteis de nata — na criação da sua bela criatura, protagonizando, algumas cenas das mais sensuais, desta Veneza 80. Foi o filme que mais gerou júbilo tanto da crítica quanto do público. E entrou imediatamente na lista de favoritos e não se pode descartar que possa levar para casa alguns dos prémios mais importantes.




A IMPORTÂNCIA DA MENSAGEM

No entanto, devemos também considerar a mensagem que o filme vencedor poderá transmitir ao mundo do cinema e fora dele. Se a mensagem política for o centro das atenções, então ‘Io Capitano’, do italiano Matteo Garrone, um filme de considerável profundidade que trata do tema dos migrantes e dos seus desafios na travessia do Mediterrâneo para chegar à Europa, parece ser um forte candidato. Até porque ontem  ‘Io Capitano’, ganhou o Leãozinho de Ouro, um prémio atribuído pelos jovens, os espectadores do futuro. O jovem júri, justificou a escolha da atribuição do prémio ao filme de Garrone, descrevendo-o como: ‘Uma odisseia moderna que abala profundamente a consciência. Uma transposição magistral em imagens de acontecimentos que muitas vezes desconhecemos. Pela coragem de um realizador que sabe perseguir ideias ambiciosas apesar de imensas dificuldades, pela verdade na interpretação, pela força de uma história a meio caminho entre o sonho e a realidade, capaz de transmitir uma mensagem universal de resistência e solidariedade’.

Lê Também:   Em Veneza Fassbender mostra-se num ‘The Killer’ muito cool

VÊ TRAILER DE ‘IO CAPITANO’

Dada a relevância social e política do tema, a vitória deste filme poderia ser mais do que esperada e será também certamente merecida. Em última análise, a decisão caberá ao júri de Veneza 2023, que terá em conta como sempre os vários factores — quase sempre nunca de acordo com a crítica e o favoritismo — incluindo a qualidade cinematográfica e a mensagem transmitida pelos filmes concorrentes. Apesar das previsões, será interessante saber quem será coroado vencedor desta edição e que história terá tocado o coração do júri e do público. Mas ‘Poor Things’, continua a ser o favorito, pela sua originalidade. Como já disse a Cerimónia de Encerramento e Premiação começa à 19h do Lido de Veneza (18h de Lisboa) e pode ser livremente acompanhada em streaming no sito do festival: https://www.labiennale.org/it/cinema/2023 

JVM, em Veneza


Também do teu Interesse:


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *