©Index

INDEX, a bienal de arte e tecnologia, pela primeira vez em Braga

A primeira edição do INDEX  – bienal de arte e tecnologia, arranca em Braga já amanhã. Decorre entre os dias 12 e 22 de março, ocupando vários espaços da cidade e vivendo também no online. O seu tema será “Superfície”. 

Lê Também:
Festival Mental regressa em maio com VI edição

O Index estreia-se no panorama portugês com a sua primeira edição. No primeiro dia da festa, dia 12 de maio, quinta-feira, o grande destaque é a estreia portuguesa do espetáculo “subassemblies”, do japonês Ryoichi Kurokawa, a decorrer no belo Theatro Circo pelas 21h30.

A programação inclui mais de 50 atividades – entre elas performances, conversas, workshops ou até visitas guiadas. Florian Hecker, People Like Us, Jonathan Uliel Saldanha e Bruno Latour acompanhado de Frédérique Aît-Touat são apenas alguns dos nomes mais sonantes entre os convidados que estarão de visita à cidade.

Este festival explorará a relação entre arte e tecnologia através da presença em vários espaços públicos, culturais e históricos da cidade de Braga – local que de momento detém o título de Cidade Criativa para as Media Arts. Esta distinção foi, aliás, atribuída pela própria UNESCO. Já no online, o conceito de Superfície irá também orientar a programação.

As propostas artísticas a apresentar situar-se-ão em quatro eixos distintos – performance, pensamento, exposição e ainda educação. Para Luís Fernandes, diretor artístico da Braga Media Arts, que colabora com Liliana Coutinho e Mariana Pestana no Index, é muito importante “voltar a aproximar os pólos da arte e tecnologia a partir de uma escolha de programa que tende a olhar para a tecnologia de uma forma crítica, apesar de não deixar de ser de um modo central”.

Entre tantos outros destaques ao longo dos 11 dias de duração do festival contam-se: “Entanglement”, da dupla France Jobin & Markus Heckmann, a instalação sonora “Syn as Tex Scene”, a nova peça audiovisual de João Martinho Moura “space~aprox” ou ainda “Inside”, a conferência-performance do filósofo e sociólogo Bruno Latour, em conjunto com a encenadora e historiadora Frédérique Aît-Touati.

Index nova bienal artes e tecnologias em braga
©Index

A primeira edição do Index conta também com um conjunto de conversas , como por exemplo: Delfina Fantini van Ditmar e Virginia Tassinari, com “Desenhar e Imaginar em Tempos Obscuros” (dia 13, Reitoria Universidade do Minho), Miguel Carvalhais, Mário Figueiredo e Luísa Ribas, com “Estética (do) Artificial: o Computacional e o Anti-Computacional na Arte” (dia 14, Museu D. Diogo de Sousa), André Barata, com “Modos de Superficializar” (dia 14, Museu D. Diogo de Sousa), Jonathan Uliel Saldanha e Liliana Coutinho, com “Lago Libidinal” (dia 20, gnration), Michael Marder, com “O Beijo Místico como uma Relação Ecológica: St. Hildegard e as Superfícies Vivas do Mundo” (dia 21, Mosteiro de Tibães), e a conversa moderada por Liliana Coutinho, “Superfícies de Encontro: Conversa Aberta” (dia 21, Mosteiro de Tibães).

Entre o programa expositivo destacam-se elementos como “Demonic Strata”, por Dele Adeyemo, Ibiye Camp e Dámaso Randulf, “Syn As Tex Scene”, de Florian Hecker, a nova peça de realidade virtual de Calum Bowden, “World With(out) Us”,  o projeto de investigação conduzido pelo Studio Folder, “Italian Limes” ou “Collective Monuments”, o novo trabalho de Peter Burr, entre outros.

O eixo final mas não menos importante da bienal dedica-se à educação, através da organização de 3 workshops no espaço gnration: “Designs of Care”, “TouchDesigner para Instalações Interativas” e ainda “O Circuito vai ao Index”. No eixo educacional e dedicado aos mais novos, decorrem ainda as “Visitas Orientadas às Exposições”, a decorrer de forma gratuita a 14, 15, 21 e 22 de maio. Apesar de gratuitas, estas visitas implicam marcação prévia por via eletrónica, para o endereço:  info@bragamediaarts.com.

TEASER | INDEX 2022 – OF ART AND TECHNOLOGY

Todos os bilhetes para as performances do Index custam entre 7€ (o preço de um bilhete individual) e 25€ (o custo de um pass). Quanto aos workshops custam 9€, à exceção de “O Circuito vai ao Index”: com o custo de 3€ (crianças) e 4€ (adultos).

As entradas podem ser adquiridas em espaços do Index como o gnration e o Theatro Circo, nos pontos de venda físicos da BOL e no online em: www.theatrocirco.bol.ptwww.gnration.bol.pt e www.bol.pt)

O programa completo do evento pode ser explorado no seu site oficial e trata-se de uma iniciativa promovida pela empresa municipal Teatro Circo de Braga, EM, SA, com o apoio do Município de Braga.

De 12 a 22 de maio, marcarás presença na primeira edição da nova bienal de arte e tecnologia? 

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Maggie Silva has 422 posts and counting. See all posts by Maggie Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.