©Arte France Cinéma/ Atelier de Production

IndieLisboa ’22 | Incroyable Mais Vrai, em análise

“Incroyable Mais Vrai”, uma longa-metragem apresentada no 19º IndieLisboa no âmbito da secção Silvestre, Fora de Competição, é uma invulgar comédia negra que invadiu o ecrã do Cinema São Jorge no último domingo do Festival. 

Lê Também:
IndieLisboa ’22 | El Gran Movimiento, em análise

Na marca dos meros 74 minutos, “Incroyable Mais Vrai” é um pequeno filme que honra o seu nome em todos os seus aspectos. É verdadeiramente inacreditável em todos os seus pontos narrativos centrais. Este conto de advertência surreal pega na premissa do “preço da juventude eterna” e dá-lhe uma roupagem invulgar, imaginativa, frequentemente absurda e repleta de humor negro.

Entre aparelhos eletrónicos do outro mundo, viagens no tempo e rejuvenescimento mágico, “Incroyable Mais Vrai” é o filme perfeito para quem aprecie géneros cinematográficos que se situem algures entre os reinos da ficção científica e da fantasia. Por norma, as longas-metragens de “género” tendem a pender ou para elementos mágicos e fantasiosos ou para ficção improvável baseada em elementos científicos. Todavia, “Incroyable Mais Vrai”, em todo o seu nonsense delicioso, decide pedir emprestadas referências de ambos estes mundos.

É difícil falar muito sobre esta divertida comédia sem entrar em detalhes demasiado explícitos da narrativa, uma vez que se recomenda que o espectador entre de pés juntos sem grande informação sobre o estranho fenómeno que se irá desenrolar frente aos seus olhos. O próprio trailer é vago e deliciosamente evasivo, como só assim faria sentido.

Como nos indica a sinopse, o início do filme poderia tratar-se de um filme de terror. Somos introduzidos ao casal Alain e Maria, perdidos e assustados face aos eventos que se desenrolam na sua nova casa e os quais não controlam. Qual a verdade acerca do túnel que surgiu na nova propriedade? O que acontece quando decidimos descer pelas suas escadas? Porque é que temos de fechar a tampa? Será que os seres humanos podem ter formigas vivas dentro de si? São algumas das questões colocadas.

Esta prazerosa e sobrenatural comédia francesa, realizada e escrita por consegue criar um ambiente de suspense e desconfiança, estabelecendo-o através de, por exemplo, um trabalho nos focos e desfoques que permite que as áreas em torno da casa se mostrem sempre algo difusas. É necessária alguma adaptação à imagem, uma vez que toda a fotografia do filme é bastante naturalista, com muito recurso à luz natural, o que torna alguns enquadramentos muito escuros. Isto à exceção, claro está, desta tal aura mística que se apresenta inteiramente através do trabalho com os pontos de foco da imagem.

Quentin Dupieux comédia francesa
©Arte France Cinéma/ Atelier de Production

Para uma narrativa fora do mundo real, que se situa numa versão fantasiosa do universo em que vivemos, “Incroyable Mais Vrai”  é uma obra capaz de construir uma premissa rica, explorá-la, levá-la aos seus limites, sem qualquer recurso, ou pelo menos muito pouco recurso, a efeitos especiais e a gráficos criados em computador. A montagem, as escolhas estilísticas, a música, os elementos mais elementares e essenciais do cinema, são também os responsáveis por definir o tom.

Por isso, acima de tudo, esta é uma longa-metragem que restaura a fé num elemento importantíssimo nos mundos que o cinema dá ao mundo – o essencial não é o orçamento e recursos disponíveis (na marca dos 4 milhões estimados, o budget do filme cabe na cova de um dente do sci-fi), mas sim o engenho e criatividade. É precisamente isso que não falta a este “Incroyable Mais Vrai”.

O IndieLisboa ’22 já chegou ao fim e a Magazine.HD esteve presente com uma cobertura intensiva que podes agora descobrir! Quando a este “Incroyable Mais Vrai”, esperemos vê-lo muito em breve nos cinemas comerciais portugueses. 

Incroyable Mais Vrai, em análise
poster incredible but true

Movie title: Incroyable Mais Vrai

Movie description: Podia ser o início de um filme de terror. Um casal, Alain e Marie, começa o filme por explicar que não sabem explicar o que lhes está a acontecer. Todos irão pensar que estão loucos. É assim que começa um filme de terror, não é? O cerne da questão talvez esteja no túnel enigmático que surgiu na cave da sua nova casa. Mas talvez não seja um filme de terror. Não dá para explicar.

Date published: 12 de May de 2022

Country: França

Duration: 74'

Director(s): Quentin Dupieux

Actor(s): Léa Drucker, Alain Chabat, Benoît Magimel

Genre: Comédia, Drama, Fantástico, Ficção Científica

[ More ]

  • Maggie Silva - 81
81

CONCLUSÃO

“Incroyable Mais Vrai”, a nona longa-metragem do realizador Quentin Dupieux, é um trabalho que respira segurança e criatividade. Tem o potencial de se tornar um culto dentro do seu género e eleva-se através da sua capacidade para criar uma estapafúrdia narrativa fantasiosa inserida num mundo com tons neutros e paletas de cores naturalistas. A dissonância cognitiva é maravilhosa!

Pros

  • A audácia visual;
  • O enredo invulgar, provocador e incrivelmente sarcástico;
  • A capacidade de revisitar um tema como a juventude eterna e dar-lhe uma nova roupagem;
  • Viagens temporais e pénis eletrónicos;
  • A hábil parábola construída e a notável capacidade de tornar o inacreditável credível, como sugere o título;

Cons

  • A dificuldade de adaptação ao constantes efeitos sobre a lente, que dão à imagem um ar difuso;
  • A iluminação excessivamente naturalista, que por vezes dá um tom cansado, escuro e pouco interessante a certos espaços interiores da casa;
Sending
User Review
0 (0 votes)

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Maggie Silva has 482 posts and counting. See all posts by Maggie Silva

Leave a Reply