Kingdom Hearts 3 (PS4) | em análise

“Kingdom Hearts 3” chegou finalmente e depois de quase vinte anos a jogar esta saga, será que este final está ao nível das expectativas?

ANÁLISE | Kingdom Hearts 3

“Kingdom Hearts” é uma saga complexa e que conseguiu sempre levar-me para um mundo de fantasia onde personagens de “Final Fantasy” e os cenários da Disney se mistura de forma mágica, inteligente e complexa. Sendo uma saga com grande carga emocional, nostálgica e que foi amadurecendo juntamente com os jogadores, este é para mim um dos jogos mais esperados do ano. Mas será que valeu a pena esperar tantos anos?

em primeiro lugar temos de saber que se não jogaram os jogos anteriores, então a história não terá tanto impacto para vocês. Serão capazes de a perceberem, de uma forma abrangente, mas os momentos realmente marcantes estão diretamente ligados a momentos dos jogos anteriores. É preciso conhecer as personagens, quais foram as suas decisões nos jogos anteriores, o que sacrificaram, o que perderam, quais são os seus objetivos, quais as ligações entre eles. E isso apenas é possível se tiverem jogado os jogos anteriores. É verdade que o jogo tenta explicar algumas coisas com um glossário, mas não chega, e uma história que é bastante complexa poderá tornar-se confusa para quem não a conhecer bem.

Tal como se esperava, estamos perante um design fantástico. Os mundos da Disney tê muito para explorar, com uma qualidade gráfica muito interessante, muita luz e cor. Destaque também para os personagens, muito bem recriados em termos de expressões faciais e movimentos. Claro que tudo o que temos aqui tem um aspeto bastante focado em desenhos animados, à excepção do mundo dos Piratas das Caraíbas onde tudo, incluindo os nosso personagens, ganham um aspeto mais realista. é interessante ver como o design dos personagens se adapta ao mundo onde estamos. Sora e companhia serão realistas nas Caraíbas, mas serão brinquedos em “Toy Story“.

Com muitos mundos para explorar, apesar de ficarem sempre alguns de fora que gostaríamos de ver, a qualidade gráfica está sempre presente. A câmara funciona bem e raramente atrapalha, mesmo tendo em conta que muitas batalhas são frenéticas e com mudanças constantes de direção. A única falha é em alguns momentos de parkour de Sora se os cenários tiverem muitos elementos, mas nada que estrague a experiência ou a atrapalhe.

Lê Também:
Star Wars: Jedi Fallen Order | Revelado o trailer e novos detalhes

A historia continua a ser ao mesmo tempo, complexa, mas simples para os que a conhecem ao pormenor, com vários momentos que são óbvios e outros que são feitos para aumentar o suspense até ao final. Com ais de 30 horas de jogo garantidas, o que espanta é o seu ritmo inicial. começamos de forma frenética, com vários momentos de ação e bons diálogos. Nas primeiras horas a intensidade é alta, a meio arrefece um pouco e na fase final acelera para se tornar uma experiência marcante nas últimas horas, onde o desfecho começa a ser revelado.

No global, KH3 é uma experiência fantástica com grandes batalhas e diálogos que marcam a saga com maior profundidade e inteligência, tendo o impacto esperado mesmo quando se notam que alguns encontros e diálogos são apenas feitos ou prolongados para que o mistério continue. No entanto, uma vez mais, é mesmo importante conhecer a história toda para que estes momentos façam mesmo sentido na sua plenitude.

O sistema de combate é o trunfo deste jogo, sendo o melhor sistema de toda a saga. Aliás, este sistema de combate é um dos melhores desta geração. Viciante, intenso, brutalmente fluido e sem quebras, é um esplendor para os olhos, transportando-nos uma vez mais, para um mundo mágico onde a Disney sabe o que faz. Durante as lutas a quantidade de opções é tão vasta que raramente podemos ter duas batalhas iguais. Muitos truques, muitas magias e muitas personagens e objetos para invocar que ajudam a atacar ou defender. Com estas invocações a jogabilidade pode mudar radicalmente, tornando o jogo ainda mais versátil.

É incrível como este sistema de combate é, ao mesmo tempo, complexo, simples de jogar e brutalmente completo. No entanto, raramente exige muita estratégia nas dificuldades normais. Apenas na dificuldade mais alta será um verdadeiro desafio que nos obrigue a compreender os nossos adversários e também as nossas possibilidades. Com isto, este é um jogo que promove a espectacularidade a cada instante, mas também a diversão de o jogar. Pelo meio, muitas armas e um sistema de viagem muito melhor, sendo mais fácil, mais divertido e com muitos desafios. Existem várias batalhas com a nossa nave e a liberdade é plena, ao contrário dos jogos anteriores. Contudo, também aqui a estratégia é mínima, sendo praticamente só disparar e desviar.

Olhando um pouco para a jogabilidade, tudo é bastante intuitivo em cada um dos mundos, mas é pena que alguns mundos não tenham tanto para explorar quanto outros. O mundo de “Frozen”, por exemplo, podia ser mais vasto, mas não é. Apesar disso, a grande maioria dos mundos é um prazer de se conhecer.

“Kingdom Hearts 3” é um RPG intenso, cheio de magia, luz e cores a contrastar com o lado negro dos vilões. É um jogo sobre amizade e sacrifício, sobre a bondade que podemos oferecer aos nossos amigos e ao mundo. É um jogo sobre a marca que podemos deixar para o futuro.

Talvez não tão surpreendente está o facto de as mini histórias, presentes em cada um dos mundos, serem mais viciantes do que a história principal, pois são menos complexas e desenvolvem-se mais depressa. Neste aspeto é preciso salientar que a forma como as personagens e mundos são usados para para estas mini histórias é um grande trunfo.

Olhando para as personagens, Sora, Pateta e Donald são um trio fantástico, com uma dinâmica muito boa que nos faz rir, chorar e motiva-nos a continuar. É uma relação que foi cimentada nestes jogos e que aqui tem o seu momento mais alto. O enredo principal alimenta-se com diálogos misteriosos e vagos, para que tudo seja apenas revelado no fim, o que pode desmotivar, mas tudo o resto no jogo é tão agradável que avançamos sem problemas.

“Kingdom Hearts 3” tem um excelente final de uma enorme história. Infelizmente, devido à sua complexidade de enredo e narrativa desenvolvida em tantos jogos, poderá ser um jogo incompreendido por quem não o domine. Para além disso, há sempre a questão da expectativa. os fãs adoram esta saga e poderão não apreciar este final em que parece que faltou algo.

No entanto, a experiência de jogo é tão boa, tão divertida e entusiasmante, que a história é apenas mais um adereço. Sim, é complexa, boa e por vezes quase frustrante, mas não é por ela que jogarmos freneticamente. É por tudo o resto. é pelas personagens e mundos mágicos, é pelas batalhas que ficam na memória, é pela impressionante banda sonora que encaixa totalmente no jogo. Jogamos pelos momentos alegres, pelos momentos tristes, e pela amizade que durante anos criámos com as personagens.

Globalmente, “Kingdom Hearts 3” tem a história menos complexa dos três jogos principais, mas quem não tiver jogado os anteriores poderá ficar perdido. Apesar de tudo, se não jogaram os jogos anteriores, este continua a ser um jogo a ter em casa, por tudo o resto que o compõe. É um jogo muito bom que terá como seu grande inimigo as expectativas de milhares de fãs que durante vinte anos cresceram com estas personagens. Fica sempre um vazio quando uma boa saga acaba, e esta acaba bem!

Luís Pinto

HARDWARE USADO PELA MHD PARA TESTES DE JOGOS

PS4:

  • PlayStation 4 Pro
  • Razer Raiju Controller
  • Razer Leviathan Sound System

PC:

  • Headphones Razer Man O’War
  • Keyboard Razer Epic Chroma
  • Mouse Razer Naga Epic Chroma
  • Monitor AOC U3277PWQU

Mobile:

  • LAIQ Glow

Kingdom Hearts 3
kingdom hearts

Game title: Kingdom Hearts 3

Game description: Kingdom Hearts 3 chegou finalmente e depois de quase vinte anos a jogar esta saga, será que este final está ao nível das expectativas?

  • Jogabilidade - 91
  • Gráficos - 90
  • Som - 93
  • Enredo - 84
87

RESUMO

O MELHOR: Grande design. Sistema de combate fantástico. Brutal banda sonora. Diversão garantida!

O PIOR: História complexa poderá afastar alguns jogadores

EDITORA: Square-Enix

PLATAFORMA: PlayStation 4

Sending
User Rating 5 (1 vote)
Comments Rating 1 (1 review)

Luis Pinto

Software developer - Autor do canal Tek Test - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sending