Explota Explota © RTVE

Raffaella Carrà (1943-2021) | Explota Explota, o musical da diva italiana

Raffaella Carrà deixou-nos aos 78 anos. Conhece a comédia musical “Explota Explota” que homenageia a grande diva italiana. 

Raffaella Carrà morreu na passada segunda feira, 5 de julho. Deixou-nos aos 78 anos após lutar à vários anos com doença prolongada. Nunca é fácil falarmos de despedidas de grandes artistas na MHD e a partida de Raffaella Carrà é um dos momentos mais dolorosos deste ano. A sua humanidade, o seu talento e a sua presença estenderam-se por quase 70 anos de carreira e não só fez-se marcante no seu país, a doce Itália, como atravessou fronteiras e foi parar a Espanha e, por sua vez, às cidades latinas da Argentina, Chile, Equador, México e Venezuela. O calor das canções de Raffaella Carrà espelhavam um calor que só os habitantes de países com alma e coração calientes poderiam entender.

“Uma mulher de grande talento, apaixonada e humana que nos acompanhou durante toda a vida. Adeus Raffaella”, palavras do Ministro da Cultura Italiano Dario Franceschini.

Raffaella Carrà era uma mulher com garra, uma mulher que soube emancipar-se e despertar um movimento. Causava furor em praticamente tudo aquilo em que fazia, e conseguiu contrariar as convenções de uma Igreja conservadora. As suas canções gritavam liberdade, por mulheres que queriam sair à rua e expressar-se naturalmente sem convenções. Cantora, apresentadora e até atriz, Raffaella Carrà fez um pouco de tudo – recentemente muitos a apontavam como uma potencial apresentadora do Festival Eurovisão da Canção 2022 que decorrerá precisamente em solo italiano. Em cinema, porque foi a arte por onde deu os primeiros passos no mundo artístico Raffaella Carrà estreou-se em 1952, no filme “Tormento del Passato” realizado por Mario Bonnard e protagonizado por Hélène Remy e Marc Lawrence.

O talento de Raffaella Carrà começou no cinema

Raffaella Carrà
Raffaella Carrà em “I Compagni” © Lux Film

Em 1960 aparece no filme “Long Night in 1943“, realizado por Florestano Vancini numa adaptação de Vancini, Ennio De Concini e Pier Paolo Pasolini. Também parece no filme “I compagni” (1963), o filme de Mario Monicelli com Marcello Mastroianni, Renato Salvatori, Gabriella Giorgelli, Folco Lulli, entre outros nomeado para os Óscares em 1965 na categoria de Melhor Argumento Original (da autoria de Agenore Incrocci, Furio Scarpelli e Mario Monicelli). É talvez o seu desempenho mais marcante.

Já nos Estados Unidos, chegou a participar em filmes de Hollywood, entre os quais “O Expresso de Von Ryan” (Mark Robson, 1965) com Frank Sinatra e Trevor Howard. Curiosamente nunca chegou a obter o êxito que outras atrizes italianas em solo americano, como é o caso de Sophia Loren, uma das suas amigas a quem entrevistou várias vezes, sendo exatamente uma delas no seu último talk-show “A raccontare comincia tu“, programa de duas edições transmitido no canal Rai3 e que servia para dar a oportunidade dos espectadores italianos descobrirem mais sobre as personalidades do mundo do espectáculo.

Mais recentemente, o interesse pela artista Raffaella Carrà – cujo nome de batismo era Raffaella Maria Roberta Pelloni -, fez-se despertar igualmente pelo seu apoio à causa LGBTQ+, a sua paixão pelo maior festival de música do mundo – a Eurovisão – e novamente pela sétima arte. Surge omnipresente no filme “A Grande Beleza“, onde a ouvimos “A far l’amore comincia tu“, talvez o seu maior êxito (original de 1977) numa versão remix do DJ e produtor musical francês Bob Sinclair.

A versão original, que podemos ouvir abaixo, foi ainda escutada no estádio de Wembley em Londres, no jogo da semi-final do EURO 2020 entre a Itália e Espanha, decorre a 6 de julho numa maneira de homenagear esta artista e os dois países que tanto amava.

Far l’amore comincia tu, da diva Raffaella Carrà

Hoje, mais do que nunca é importante celebrar Raffaella Carrà e o cinema espanhol, que continua a ser um dos países europeus a produzir mais cinema, decidiu realizar “Explota Explota“, uma produção original italo-espanhol das empresas El Sustituto Producciones, Indigo Film, RTE (Radio Televisión Española) e Tornasol Films. Realizada por Nacho Álvarez, “Explota Explota” conta com um elenco de jovens estrelas do nosso país vizinho, entre as quais encontramos Ingrid García Jonsson, Verónica Echegui, Fernando Guallar, Fran Morcillo, Fernando Tejero e Carlos Hipólito. Como já não bastasse o peso das canções Raffaella Carrà, “Explota Explota” é só por si um desafio cinematográfico, de um género pouco habitualmente feito na Europa dos dias de hoje. O cineasta uruguaio apresenta-nos uma obra ousada, com muita cor e fetiche pela importância de Carrà, focando-se em apresentar a cantora a uma nova geração de espectadores, mas sem esquecer os seus maiores fãs.

A MHD que já conhecia o projeto desde a sua estreia, apresenta-te este filme que ainda não estreou em Portugal, mas que já está disponível em DVD através da FNAC (compra o DVD de “Explota Explota” aqui).

Explota Explota | Trailer do musical com canções de Raffaella Carrà

Explota Explota” estreou em outubro de 2020 nas salas de cinema espanholas. No filme, como é perceptível no trailer acima (original e sem legendas em português), somos transportados para os anos 70, altura em que a artista italiana esteve na moda. Antes de chegar às salas espanholas, “Explota Explota” passou por festivais de cinema internacionais, primeiro o Festival Internacional de Cinema de Toronto e depois o Festival Internacional de Cinema de San Sebastián. No streaming, o filme também pode ser visto nas plataformas Filmin España e HBO Max España.

Mesmo não sendo uma biografia de Raffaella Carrà sentimos perfeitamente a sua energia.  A sinopse oficial pode ser lida a seguir:

Espanha, década de 1970. Enquanto uma ditadura cruel governa um país eternamente cinzento por meio do medo, da violência, da repressão e da censura, María, uma jovem dançarina, sonha em dar cores vivas à sua vida e à dos outros. No seu caminho para a liberdade pessoal persegue o seu sonho desvairado de se tornar uma estrela da televisão, numa viagem muito divertida em que será confortada pelas canções pop da incomparável cantora e dançarina italiana Raffaella Carrà.

E como é exatamente “Explota Explota“? Digamos que é uma história ao estilo de “Mamma Mia“, ou seja, é um puro e divertido jukebox musical, (sub)género do musical que a MHD já abordou numa lista, onde elencamos ainda “A Idade do Rock” (2012) ou “Purple Rain” (1984).

Raffaella Carrà
Raffaella Carrà no poster de “Bárbara” © Editorial Crea

“Queríamos que o filme respirasse aquela homenagem à artista: cada mulher do filme tem um pouco dela e representa-a em algum sentido, desde a sua fama até algumas das suas experiências mais pessoais, que são contadas nas suas canções. O ponto de partida foram sempre os temas musicais: todos ouvíamos e começamos a separar os que deviam ser colocados, porque uns eram êxitos e outros não eram tão famosos. [tradução livre da entrevista do realizador Nacho Álvarez ao meio de comunicação europeu CineEuropa, que pode ser lida em completo aqui.]

A seguir partilhamos um vídeo onde são contados muitos dos segredos da produção “Explota Explota”.

Making Of de Explota Explota, o musical que homenageia Raffaella

“Explota Explota” foi nomeado a vários prémios do cinema espanhol, entre eles três prémios Goya para Melhor Atriz Secundária (Verónica Echegui), Melhor Guarda Roupa e Melhor Maquilhagem e Cabelos. Venceu o Feroz Award de Melhor Atriz Secundária para Verónica Echegui e o ASECAN de Melhor Ator Secundário para Pedro Casablanc.

Explota Explota | Ouve já a banda-sonora do filme no Spotify

A banda-sonora de “Explota Explota” está disponível online e poderemos ouvir o elenco original do filme a cantar alguns dos maiores êxitos em espanhol de Raffaella Carrà, como por exemplo “En El Amor Todo es Empezar”, “Bailo, Bailo” ou o tão provocante “Hay Que venir al sur”, canções que continuam presentes no imaginário de muitos portugueses, latinos, italianos e até luso-descendentes. Um romance musical a não perder em casa, para uma noite bem passada no calor do verão.

Gostas de musicais? Em 2021 existem muitos musicais para ver! Recomendamos-te uma lista de eles para aproveitares a vida à grande como fez Raffaella Carrà. Bom cinema, boas músicas e bons musicais. 

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *