© Helena Yoshioka | Central Video - RIR

Rock in Rio Lisboa 2022 | Post Malone incendeia palco de Lisboa

O Rock in Rio Lisboa 2022 encerrou a sua 9ª edição com Post Malone, num concerto digno de uma verdadeira rockstar que incendiou o palco da Bela Vista.

Ao fim de quatro dias de muitos concertos, coube a Post Malone a prestigiosa tarefa de encerrar a 9ª edição do Rock in Rio Lisboa. A tarefa revelou-se particularmente difícil por ter ocorrido logo após o espetáculo de Anitta, que levou milhares de pessoas ao Parque da Bela Vista. Às 23:00, pouco tempo depois de se fazer ouvir a mensagem de paz conduzida por Simone de Oliveira e transmitida diariamente pelo evento, acompanhada pelo espetáculo de fogo-de-artifício, chegava a altura de Post Malone subir ao Palco Mundo. Por esta altura, muitos membros do público haviam já abandonado o epicentro do festival, movimento que começou a surgir logo após o término do concerto de Anitta.

Contrariamente ao que havia acontecido nas performances dos seus antecessores (HMB, Jason Derulo e Anitta), o palco não exibia qualquer tipo de cenário, não eram visíveis músicos, nem sequer bailarinos. Lentamente, ao som de “Wow.”, indicada ao prémio de Melhor Música Rap, Post Malone surgia em palco, para espanto de todos, num ambiente totalmente descontraído. O músico apresentou-se com uma significativa t-shirt do “Senhor dos Anéis”, transportando na mão um copo de cerveja e um cigarro. Estava ditada a simplicidade que marcaria o último concerto da noite. O que a plateia ainda não sabia é que aquele homem proveniente de Nova Iorque carregava às costas aquele que viria a ser o melhor espetáculo do dia.

Lê Também:
Rock in Rio Lisboa 2022 | Anitta leva a favela para o Palco Mundo

Completamente sozinho, Post Malone dominou por completo o palco e o público que, atraído pelo tema de sucesso “Better Now”, se voltou a aglomerar à volta do palco principal. A plateia da Bela Vista entrou em delírio e as suas vozes faziam-se ouvir a quilómetros de distância. Neste ponto da noite, a energia que se fazia sentir no Rock in Rio era arrepiante, fazendo esquecer o frio que teimava em não desaparecer. Com um alinhamento de concerto recheado de músicas de sucesso, como “Circles”, indicada ao Grammy, e “Psycho”, o público mostrou bem ser conhecedor dos hits de Post Malone e manteve as gargantas afinadas até ao final do concerto. Mesmo aqueles que não conheciam as canções não ficaram indiferente à boa vibe que aquele local emanava. Mesmo quando o cantor apresentou “I Like You (A Happier Song)” e “Cooked Up”, temas do seu mais recente álbum, “Twelve Carat Toothache”, os fãs acompanharam as letras das canções.

Entre cada música, Post Malone fez questão de abraçar a Bela Vista com palavras carinhosas, que revelaram um lado bastante humilde do cantor. Num momento em que todo o recinto cantou em uníssono uma frase dedicada à boa prestação de Malone, este fez mesmo questão de tentar acompanhar os fãs, proferindo umas palavras em português. No meio dos golos que ia bebericando, enquanto fumava, estava quebrada qualquer barreira entre o artista e a plateia, formando-se uma união de puro convívio descontraído.

Post Malone
© Helena Yoshioka | Central Video – RIR

Num segundo momento, o concerto entrou numa fase mais intimista, no qual o cantor se sentou a tocar guitarra, preparando-se para apresentar dois temas mais calmos. Em tom de gozo, o cantor chegou mesmo a dizer ao público que esta seria a parte mais chata do concerto, convidando-os a abandonar os seus lugares para irem à casa de banho. A plateia riu mas ninguém arredou pé enquanto Malone tocava “I Fall Apart” e “Go Flex”, dois temas mais antigos do seu repertório.

Após o momento mais calmo, o público estava prestes a entrar numa onda totalmente diferente. Recorrendo a temas mais antigos e de grande sucesso, Post Malone incendiou o Palco Mundo, apresentando canções dos seus primeiros álbuns, nomeadamente do seu segundo projeto, “Beerbongs & Bentleys” (2018). Nesta altura, o público voltou, com toda a pujança, a cantar a plenos pulmões. Nesta terceira fase, foi notório o investimento em pirotecnia, abrilhantando ainda mais o concerto do artista norte-americano.

Lê Também:
Rock in Rio Lisboa 2022 | Pôr-do-sol ao som de Jason Derulo

Já perto do final, Post Malone protagonizou um dos pontos mais altos do concerto, enlouquecendo todos os que se encontravam presentes no recinto do evento. Ao interpretar o tema de sucesso “Rockstar”, considerada a Canção do Ano de 2018, o artista deu um espetáculo digno de uma estrela de Rock, atuando no meio das chamas que cobriam o Palco Mundo, ao mesmo tempo que mostrava o grande alcance vocal da sua pessoa. No final, com uma plateia completamente em êxtase, Post Malone chegou mesmo a partir a guitarra que tocara docilmente momentos antes, imitando um gesto bastante comum entre as bandas deste estilo musical.

O público já não cabia em si e o Parque da Bela Vista tornara-se pequeno para tanta gente que queria testemunhar o espetáculo memorável que estava a acontecer no Palco Mundo. Num total de 17 canções, “Congratulations” foi a escolhida para encerrar a 9ª edição do Rock in Rio. Acompanhado por mais um valente momento de fogo-de-artifício, Post Malone voltou a sentir a voz das 80 mil pessoas que fizeram questão de cantar a letra da música até ao fim. Num concerto totalmente minimalista, Post Malone mostrou ser um monstro de palco, cativando todos os presentes que, certamente, jamais esquecerão o concerto do artista norte-americano.

Assististe ao concerto de Post Malone? Qual a tua música preferida do cantor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.