Sleater-Kinney anunciam novo álbum e lançam “The Future Is Here”

“The Future Is Here” é o segundo single do novo álbum das Sleater-Kinney. Produzido por St. Vincent, The Center Won’t Hold será lançado a 16 de Agosto via Mom + Pop.

A banda norte-americana Sleater-Kinney anunciou o seu nono álbum de estúdio, acompanhado do single “The Future Is Here”. The Center Won’t Hold é o nome do longa-duração que sucede a No Cities To Love (2015), criticamente aclamado disco que marcou o regresso ao estúdio do trio de Olympia, Washington após um hiato de dez anos. Produzido por Annie Clarke, mais conhecida no mundo da música por St. VincentThe Center Won’t Hold será lançado a 16 de Agosto de 2019 via Mom + Pop, editora discográfica norte-americana originada em 2008, que conta com artistas como a banda espanhola Hinds e a cantautora australiana Courtney Barnett no seu vasto catálogo.

Lê Também:
Nos Primavera Sound 2019 | Interpol transfiguram os destroços dos Fucked Up

Formado em 1994, o grupo feminino de indie rock actualmente constituído pelas guitarristas e membros fundadores Corin Tucker e Carrie Brownstein e a baterista Janet Weiss, alinhamento que permaneceu inalterado desde 1996, é apontado por muitos jornalistas, entre os quais Robert Christgau, Greil Marcus e Tom Breihan (Stereogum), como um dos actos musicais mais importantes do início dos anos 2000. A sonoridade das Sleater-Kinney encontra-se enraizada na cena grunge, género musical predominante no noroeste norte-americano, nomeadamente no estado de Washington, durante a primeira metade da década de noventa, assim como no riot grrl, sendo que Corin Tucker e Carrie Brownstein provêm de dois grupos veteranos deste revolucionário movimento: Heavens To Betsy e Excuse 17, respectivamente. O trio ganhou notoriedade devido à sua firme abordagem progressista e feminista de tópicos como a guerra, o tradicionalismo, os papéis do género masculino e feminino na sociedade contemporânea e o consumismo.

Sleater-Kinney - Capa de The Center Won't Hold
Capa de The Center Won’t Hold

The Center Won’t Hold assinala o divórcio da banda com a Sub Pop, responsável pela edição dos seus dois últimos álbuns de estúdio, The Woods (2005) e No Cities To Love (2015). A mudança de editora discográfica e o inédito envolvimento de Annie Clarke no novo projecto representam o profundo desejo de Corin Tucker, Carrie Brownstein e Janet Weiss explorar insólitas direcções musicais, partindo de uma base de implacável insatisfação e curiosidade pela cultura hodierna.

Se existe um fundamento para a produção deste disco, é o de que as ferramentas em que confiávamos revelaram-se inadequadas. Procurámos então ferramentas novas, tanto metaforicamente como literalmente. – Carrie Brownstein

Segundo Carrie Brownstein, The Center Won’t Wold é um projecto de cariz tão socio-político como qualquer um dos oito registos antecedentes, porém a ênfase é colocada “no indivíduo – nós próprios, versões de nós próprios ou iterações de depressão e solidão – no centro do caos”. O single inaugural e primeira amostra do que podemos esperar do seu mais recente longa-duração, “Hurry On Home”, foi divulgado pelas Sleater-Kinney há pouco mais de duas semanas e retrata de modo exímio esta ambicionada valorização da individualidade emocional, da exposição de uma experiência singular e do seu enquadramento numa sociedade pós-moderna. As influências de música electrónica constatadas no estilo de produção de St. Vincent e as melodias vocais e motivos de guitarra possantes a que o trio já nos acostumou no passado colidem, de forma minimamente intrigante, numa canção frontal sobre a maleabilidade nociva e a insegurança detectadas numa desesperada busca por aceitação e satisfação do desejo.

Lê Também:
Spielbergs, This Is Not The End | em análise

Em “The Future Is Here”, o segundo single de The Center Won’t Hold, a equiparação de poder e as célebres dinâmicas entre as guitarras e melodias vocais de Corin Tucker e Carrie Brownstein são atirados para segundo plano e é a figura de Corin Tucker, a altivez da sua voz e a transparência de uma mensagem acerca da relação entre o isolamento social e a tecnologia (tão conectados e tão sós), que prevalecem na mistura. A  sonoridade pós-punk, simultaneamente soturna e dançável, proporcionada pela notável linha de baixo e a batida reminiscente de “Natural One” dos Folk Implosion, concedem a “The Future Is Here” uma identidade substancialmente diferente dos trabalhos prévios das Sleater-Kinney, sendo que a produção de St. Vincent, suave e estável, parece ganhar cada vez mais peso no processo criativo da banda e na atmosfera do álbum de estúdio. Resta escutar os dois singles e tirar conclusões provisórias. The Center Won’t Hold será, certamente, um dos discos mais debatidos deste Verão.

SLEATER-KINNEY | “THE FUTURE IS HERE”

THE CENTER WON’T HOLD | ALINHAMENTO

  1. The Center Won’t Hold
  2. Hurry On Home
  3. Reach Out
  4. Can I Go On
  5. Restless
  6. Ruins
  7. LOVE
  8. Bad Dance
  9. The Future Is Here
  10. The Dog/The Body
  11. Broken

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *