©Bertrand Editora

Stephen King | Os melhores livros do mestre do terror

O terror é um género que deixa um misto de sentimentos, para muitos é adorado, para outros é detestado. Mas é certo que faz-nos pensar nos nossos piores medos, desde dos mais normais, até aos mais profundos, sobretudo do que está no nosso subconsciente. O cinema é o lugar predileto para ver os melhores filmes de terror, como é o caso de “O Exorcista”, “Conjuring”, “Midsommer”, entre muitos outros. Dos mais antigos aos mais recentes, há sempre lugar para um belo susto. No entanto, existe outro meio onde as histórias de terror têm outro impacto.

Antes de chegarem às salas de cinema, muitos filmes baseiam-se em livros, na sua grande maioria em ficções, “O Exorcista” é um deles, escrito por William Peter Blatty, que acabou por arrecadar o Óscar de Melhor Argumento Adaptado, em 1973. No entanto, dos tempos mais recentes, há outro escritor que domina as adaptações cinematográficas, o lendário Stephen King. De “Shining”, “À Espera de um Milagre”, “The Shawshank Redempetion”, passando por “1922”, “It”, “Misery”, “Carrie”, existe uma enorme variedade de obras. Por isso, descobre os melhores livros escritores pelo lendário mestre do terror.

Lê Também:   Do Livro à Tela | Bullet Train: Comboio Bala

Misery (1987)

Stephen King
© Bertrand

Um dos melhores escritores da atualidade (dentro do mundo do livro) Paul Shedon, decide terminar a história de uma vez por todas. No entanto, há uma fã (demasiado) incondicional, Annie, que não gosta da notícia. Num acidente de carro, o escritor é socorrido pela enfermeira, que além de o ajudar, vai o torturar até fazer renascer a história que tinha decidido terminar. Na adaptação cinematográfica, “Misery” (1991), Kathy Bates arrecada o Óscar de Melhor Atriz Principal.




The Shining (1977)

Stephen King
© Bertrand

Um dos maiores clássicos de Stanley Kubrick parte de um livro de Stephen King. Foi somente o terceiro livro do escritor, mas com “The Shining” que se afirmou como um notável contador de histórias. Apesar de Jack Nicholson ter tido uma excelente performance enquanto Danny, o escritor não gostou na adaptação de Kubrick, sobretudo por causa da opinião de ambos entre o bem e o mal. Como em muitos dos seus livros, “The Shining” tem uma forte influência da vida do escritor, desde do hotel até aos seus probelmas de alcoolismo.




It (1986)

Stephen King
© HODDER & STOUGHTON GENERAL DIVISION / Bertrand

Nem todos os palhaços são amigáveis e com boas intenções, como podemos ver com o caso de John Wayne Gacy. Mas aqui, os protagonistas vão conseguir salvar o dia, um grupo de jovens vão ter de unir-se para derrotar Pennywise, uma criatura mítica que só aparece a quem sente medo.




Carrie (1974)

Stephen King
© 11X17

Foi o primeiro livro de Stephen King publicado, em 1974. Quase 50 anos depois, é uma das suas melhores obras. Com a temática do bullying bem vincada, Carrie é uma jovem com poucos amigos, atormentada na escola e em casa pela sua mãe extremamente religiosa. No baile da escola, depois de chegar ao seu limite, descobre que tem poderes telecineticos, que vão a levar a uma onda de vingança.




Samitério dos Animais (1983)

Stephen King
© Bertrand Editora

Apesar do nome, esta história de 1982 tem muito mais que se diga. Uma história de azar e horrores que junta uma família que acabou de mudar-se para a sua nova casa, perto de um local amaldiçoado.




Cell – Chamada para a Morte (2006)

Stephen King
© 11X17

Podia perfeitamente ser uma distopia sobre o mundo de hoje em dia. Nesta história de Stephen King, os telemóveis vão tirar as pessoas fora de si, tornando-as violentas e assassinas. Na última adaptação deste livro, John Cusack e Samuel Jackson juntam-se para sobreviver este mundo pós-apocalíptico moderno.




Cujo (1981)

Stephen King
© HODDER & STOUGHTON

É das histórias mais “simples” do escritor, mas mereceu a sua adaptação cinematográfica. Cujo é o cão São Bernardo que, apesar de ser dócil, é mordido por um morcego. Desde daí, nunca mais foi o mesmo, e quem vai sofrer é a família.




À Espera de um Milagre (1996)

Stephen King
© Circulo de Leitores

Um dos melhores filmes de Tom Hanks parte de uma história de Stephen King. Um homem negro é injustamente acusado do assassinato de duas raparigas, e posto no corredor da morte. Com poderes psíquicos, John Coffey (Michael Clarke Duncan) revela o que realmente aconteceu a Paul Edgecomb (Tom Hanks). Apesar de tudo, a tentativa é infrutífera, dado que John acaba por morrer. Não está dentro do género de horror, mas é das melhores histórias do escritor.




Christine (1983)

Stephen King
© Scribner

Na mesma linha de “Cujo”, a história é igualmente simples, mas horrorifica. Um carro Plymouth Fury de 1958 chamado Christine ganha vida, e torna-se num assassino.




Estações Diferentes (1982)

Stephen King
© Bertrand Editora

Neste livro temos o melhor exemplo da genialidade do escritor. Reúne quatro pequenas histórias que tornaram-se em grandes êxitos do cinema, com as suas respetivas adaptações. Dos quatro contos, destaca-se “The Shawshank Redepmtipon”, sobre a incrível fuga de Andy Dufresne, e como tornou-se uma peça importante na lavagem de dinheiro do diretor da prisão, e “O Corpo”, que originou o filme “Stand By Me” (1986), um relato do que pode ser o fim da inocência num grupo de jovens.




The Dead Zone (1979)

Stephen King
© HODDER & STOUGHTON

Um homem acorda do coma passado quase 5 anos, e devido aos problemas que teve no cérebro acaba por adquirir visões, desencadeadas pelo toque. Um romance sobrenatural cujo o protagonista vai usar o seu novo poder para tentar encontrar um assassino em série. 




11/22/63 (2011)

Stephen King
© HODDER & STOUGHTON

E se um viajante do tempo tenta-se impedir o assassinato de J.F. Kennedy? Como teria sido a história subsequente? Stephen King começou a escrever este livro em 1973, mas deixou-o de lado por falta de tempo.




A Torre Negra – O Pistoleiro (1982)

Stephen King
© Bertrand Editora

É a maior saga que o escritor já criou. “A Torre Negra” junta vários géneros literários, desde da ficção científica ao western. A última adaptação chegou em 2017, juntando Idris Elba e Matthew McConaughey.




Under The Dome (2009)

Stephen King
© Scribner

Uma pequena cidade nos Estados Unidos da América vêem-se encurralados, com o aparecimento de uma misteriosa redoma. Apesar de ser uma saga mais curta que a anterior, “Under The Dome” oferece-nos uma história viciante.




The Outsider (2018)

Stephen King
© HODDER & STOUGHTON / Bertrand Editora

Provavelmente, é um dos livros mais negros escritos por Stephen King. Uma criança de 11 anos é encontrada morta, com sinais de extrema violência, num crime inexplicável. Não é para todos os estômagos, e se preferirem ver, têm a adaptação televisiva, na HBO Max.




Salem’s Lot (1975)

Stephen King
© Bertrand Editora

Um homem regressa à sua cidade natal após cinco anos, mas tem a desagradável surpresa que todos os habitantes tornaram-se vampiros. Foi o segundo livro de Stephen King, e para o escritor, é o seu favorito.




Meia-Noite e Dois (1990)

Stephen King
© Bertrand Editora

Mais um livro que traz dois contos distintos. No primeiro, os passageiros de um voo comercial acordam num mundo vazio, depois de passarem por uma fenda temporal. No segundo conto, uma personagem psicopata acusa o seu criador de plágio. Das obras menos conhecidas de Stephen King, mas igualmente cativante.




Meia-Noite e Quatro (1990)

Stephen King
© Bertrand Editora

Na mesma linha que o livro anterior, “Meia Noite e Quatro” terá mais dois contos. Um rapaz com uma câmera fotográfica tira fotos a um cão diabólico, sem este estar presente, é sempre que tira uma, ele aproxima-se. Enquanto que no outro conto, um homem com um livro em atraso é perseguido por uma bibliotecária pouco amigável do passado.




Metade Sombria (1989)

Stephen King
© Bertrand Editora

E se a personagem que escreveste ganha-de vida? Com intuito de deixar um rasto de maldade por onde passa-se, na tentativa de substituir-te? “Metade Sombria” é um romance que é impossível ler só um capítulo. 




Insónia (1994)

Stephen King
© Bertrand Editora

Ralph Roberts é um homem reformado e viúvo, que começa a sofrer de insónia. Cada vez acorda mais cedo, até que começa a ver aspetos que os outros não conseguem ver, as auroras das pessoas, com as suas respetivas cores. Ao aperceber-se da verdadeira realidade, descobre que a insónia não é aleatória, mas sim é escolhido para enfrentar um mal que poderá acabar com a humanidade.




Boleia Arriscada (2004)

Stephen King
© 11X17

Quem decidir ler este livro, vai, de facto, entrar numa boleia arriscada, e difícil de parar de ler. Com quatro contos distintos, todos partilham uma enorme carga dramática. De um conto que parece ser um simples almoço e vai acabar num banho de sangue, passado por uma estadia num quarto de um hotel amaldiçoado, até, efetivamente, uma boleia perigosa.




Bem-vindos a Joyland (2015)

Stephen King
© 11X17

Stephen King pegou na ideia que deve estar enraizada em muitos de nós, o mal por de trás de um circo. Em “Bem-vindos a Joyland”, vamos entrar num local que é o oposto que o nome afirma. Um jovem decidi aceitar um trabalho de verão neste local para esquecer a rapariga que lhe partiu o coração. No entanto, descobre o legado negro que nunca devia ter conhecido.




Mr. Mercedes (2014)

Stephen King
© Scribner / Bertrand Editora

Como podem ter reparado, os livros do escritor são autênticas doses de adrenalina, e “Mr. Mercedes” é um excelente exemplo disso. Numa autêntica corrida contra o tempo, um grupo de três indivíduos vão ter de parar um assassino com um plano que vão acabar com a vida de milhares.




Gerald’s Game (1992)

Stephen King
© HODDER & STOUGHTON

Uma escapada romântica vai tornar-se num autêntico pesadelo. Neste livro temos, uma vez mais, o exemplo como o escritor consegue pegar em situações aparentemente normais e transformar-las em situações de enorme suspense. Gerald, um advogado de sucesso com um temperamento violento, decide algemar a sua mulher a cama, numa casa de lago que alugaram. Num momento de excesso, a mulher acaba por matar, sem intenção, o marido. Só que agora é a única pessoa viva, e está algemada.




O Caçador de Sonhos (2001)

Stephen King
© Scribner

O escritor tem uma enorme tendência para criar grupos de indivíduos com preponderância para atos heróicos. Mas neste caso, vão ver-se sozinhos contra uma força alienígena. 




The Mist (1980)

Stephen King
© HODDER & STOUGHTON / Wook

Um aparente nevão acaba por ser na realidade uma experiência que correu mal, levado acabar pelas forças militares. Numa pequena vila, os seus habitantes vão ter de enfrentar diversos seres mortais criados pela tempestade. Este livro de Stephen King recebeu uma adaptação em 2003. 




A Dança da Morte (1978)

Stephen King
© Bertrand Editora

Um efeito borboleta horripilante, quando um guarda foge de uma instalação de teste biológicos, levando consigo, sem saber, uma arma mortífera, com um componente capaz de matar (quase) por completo a humanidade. Os sobreviventes vão ter de escolher uma mulher idosa mas bondosa ou um homem maléfico. É uma das adaptações mais recentes de Stephen King, lançada em 2020.




Doutor Sono (2013)

Stephen King
© Bertrand Editora

Depois dos acontecimentos de “The Shining”, o pequeno Danny é agora adulto, e vai tentar acabar com os horrores que assombraram-lhe a vida toda.




Billy Summers (2021)

Stephen King
© Bertrand Editora

É o livro mais recente do escritor, lançado em 2021. Numa história de redenção, Stephen King prova que ainda está capaz de escrever contos incríveis.




O Instituto (2019)

Stephen King
© Bertrand Editora

Luke Ellis é jovem que é raptado da sua cama, numa noite aparentemente tranquila. Acorda num quarto idêntico ao seu, mas sem janelas. Acaba por descobrir que está numa instalação com pessoas iguais a si, com poderes telepaticos. O pior, é há pessoas que estão lá há 10 anos sem sair.

Para ti, qual é o melhor livro do escritor? Qual foi a melhor adaptação?



Também do teu Interesse:


About The Author

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *