Atrás das Câmaras | John Wick já disponível no NOS Videoclube

Atrás das Câmaras

Conheça factos curiosos acerca dos grandes êxitos de bilheteira em estreia no Videoclube da NOS


 A Magazine.HD e a NOS dão-lhe a conhecer as estreias da semana no seu Videoclube de um ponto de vista singular: atrás das câmaras. Bandas sonoras, críticas de cinema, vídeos que o farão rir, curiosidades de cariz mais ousado e números de box-office, são alguns dos artigos que aqui poderá acompanhar.

 

 

John Wick

KEANU REEVES ESTÁ DE VOLTA! MAS NÃO FAÇAM MAL AO SEU CÃOZINHO…

John Wick é obrigado a ressurgir das cinzas após a súbita morte da sua mulher ao mesmo tempo que vê o seu Boss Mustang de 1969 ser roubado e o seu cão (que fora o último presente da esposa) ser brutalmente assassinado pelo sádico Iosef Tarasov (Alfie Allen). Tomadas as devidas distâncias e salvaguardadas as evidentes diferenças, a ascensão de John Wick perante as dificuldades que a vida lhe impôs assemelha-se ao ressuscitar de Keanu Reeves para o Cinema e para aquilo que ele melhor sabe fazer.

Reeves nem tem de se esforçar muito na tarefa que sempre foi o seu calcanhar de Aquiles: estabelecer um diálogo digno. Não precisa de falinhas mansas nem de sobejas linhas de diálogo porque subsiste através da sua imponente presença física (algo que já não se via desde “Matrix”). Ele revela-se assim numa prestação explosiva, de grande exigência física mas com apontamentos de humor não descarado que vai, aqui e acolá, provocando algumas reações mais entusiásticas no espectador.

Chad Stahelski e David Leitch, ambos em estreia na realização (o primeiro foi até duplo de Reeves em “Matrix”), bebem de algumas influências de estilo de Nicolas Winding Refn, nomeadamente na forma como orquestram algumas cenas de ação, servindo-se das virtuosidades do néon e da banda sonora, dos slow-motions, da violência gráfica e de alguns cortes lentos entre cenas do mesmo plano que vão exacerbando a tensão inerente a determinadas sequências. Olhe-se, por exemplo, para a alucinante cena na festa de Iosef, rodeada de corpos sangrentos e fugas vertiginosas, mas com jogos de luzes e sons que lhe confere um brio técnico acima da média.

John Wick” não se livra de alguns lugares comuns e de uma sobre-exploração do humor sádico que lhe retira alguma credibilidade em certos pontos, mas é um preço que estamos dispostos a pagar.

No fim de contas, é mesmo verdade, Keanu Reeves está de volta. E que não vos passe pela cabeça fazer mal ao seu cãozinho.

 

Título: John Wick
Género: Ação
Duração: 101′ 
Realização: Chad Stahelski, David Leitch
Elenco: Keanu Reeves, Michael Nyqvist, Alfie Allen, Willem Dafoe, Adrianne Palicki, Ian McShane

Sinopse: John Wick é um assassino profissional, retirado desde a morte da mulher, cujo luto é interrompido pelas ações de um sádico gangster russo. Wick vê-se forçado a regressar à ação, ressuscitando assim um dos assassinos mais brutais que o mundo já conheceu.

Trailer: 

Daniel E.S.Rodrigues

Sonho como se estivesse num filme de Wes Anderson, mas na verdade vivo no universo neurótico de Woody Allen. Sou obcecado pela temporada de prémios, e gostaria de ter seguido a carreira de cartomante para poder acertar em todas as previsões dos Óscares, Globos de Ouro (da SIC), Razzies, Troféus TV7 Dias e Corpo do Ano Men's Health. Mas, nesse universo neurótico e imperfeito em que me insiro, acabei por me tornar engenheiro. Sigam-me no Instagram para mais bitaites sobre Cinema, Música, Fotografia e outras coisas desinteressantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *