© Waze / Operation Lifesaver

Fusão do Waze e Google Maps já criou primeiras “vítimas”

A Alphabet, empresa-mãe da Google, adquiriu a app Waze em 2013 por 1,3 mil milhões de dólares. Mas agora, após uma mudança, surgem as primeiras “vítimas” na empresa.

Passou a fazer parte do vocabulário mundial, “googlar” é sinónimo de pesquisar, através do Google. No entanto, o motor de pesquisa pertence à Alphabet, a empresa-mãe criada também por Larry Page e Sergey Brin.

Lê Também:   Está na hora de ir ao ginásio? Estas são 7 dicas essenciais para iniciantes

Em 2013, a empresa adquiriu a app de navegação por GPS, Waze, por 1,3 mil milhões de dólares, e até ao final do ano passado, mantinha uma unidade de negócio independente, ao lado do Google Maps. No entanto, vai haver fortes mudanças na aplicação.

Através de uma fusão das suas estruturas comerciais, anunciada por Chris Phillips, CEO do Google Geo, com a integração da Google Ads na Waze, a aplicação deixou de ter uma plataforma independente de venda de anúncios.




Esta mudança vai afetar os pontos de trabalho relacionados com os anúncios, desde as operações à análise. Da Waze, a empresa não especifica quantos dos 500 colaboradores poderão ser afetados.

Lê Também:   Há uma nova operadora em Portugal que promete agitar mercado

Esta fusão criou também alguma apreensão por parte dos utilizadores do Waze, sobre o futuro da aplicação, mas Chris Phillips já assegurou a continuidade e o desenvolvimento constante da app.

O Waze conta com mais de 140 milhões de utilizadores, enquanto que o Google Maps ultrapassa os mil milhões.

E tu, qual é a app que usas mais?



Também do teu Interesse:


About The Author


12 thoughts on “Fusão do Waze e Google Maps já criou primeiras “vítimas”

  • Nao sei qual e a melhor

  • Olá Alberto! Depende da frequência com que use este género de app, e a importância que dá à comunidade da mesma. Por exemplo, com o Waze, os utilizadores alertam para eventuais perigos e outros assuntos na estrada em tempo real, desde radares até animais na via.

  • Olá é só para informar que o Waze neste momento está com grande dificuldade de funcionar. Eu não consigo fazer pesquisas.

  • Olá Paulo! Obrigado pela partilha, esta mudança poderá afetar o próprio funcionamento da app.

  • Sempre preferi o waze.

  • Waze é uma das aplicações mais úteis que conheço.
    Descontinuar o waze será um grande disparate.

  • No dia em que descontinuarem o waze está nas mãos de qualquer investidor montar um clone do waze e o pessoal do waze mudar-se para lá. A Google perderia a dobrar

  • Uso ambas. Para pesquisa de locais, pontos de interesse, restauração, etc uso o Google Maps. Para viajar uso Waze pelos alertas de trânsito, acidentes, radares, etc

  • Eu prefiro o Wase. Pelos alertas em tempo real do que está a acontecer no meu precurso. Carros parados, acidentes,obras,radares,polícia.. etc. Muito bom mesmo

  • Honestamente, não gosto de nenhum dos dois.
    São imprecisos e, na maioria das vezes, indica-nos a entrada já quando estamos quase a passar da entrada.
    Outra coisa ruim é a frase (exemplo) : “Entre na rua Vitorino Frois”…
    Ora, tenho 3 entradas para escolher. Se eu soubesse o nome de cada rua, não precisaria de um GPS.
    Uso constantemente o TomTom.
    Melhor pagar e ter um GPS preciso, que, apenas nos diz com muita antecedência, se devemos entrar à esquerda, à direita ou na primeira, segunda ou terceira saída da rotunda.

  • Espero que mantenham o WAZE,porque trabalho com plataformas e sempre o usei desde 2017.

  • Uso e abuso do Waze, é espetacular.
    Contudo já me aconteceu uma única vez, orientar-me mal, mas penso que por falta de alterações de trânsito por parte da Câmara Municipal.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *