© Featureflash Photo Agency via Shutterstock.com, ID 1276657060

Globos de Ouro: Votação e cerimónia em causa

A transição dos Golden Globes não tem sido bem-vista por toda a gente e há uma nova decisão que fez alguns membros ameaçar um boicote às votações.

Os Golden Globes, uma das premiações mais controversas da temporada de premiações, passaram por uma grande reestruturação. Anteriormente sob a alçada da Hollywood Foreign Press Association (HFPA), agora estão sob o controlo da Eldridge Industries e da Dick Clark Productions.

Para além das mudanças na administração, foram também introduzidos duzentos jornalistas e críticos de vários países ao corpo votante que era até aqui formado por cerca de 90 membros sediados em Los Angeles.

Lê Também:   De Oppenheimer a Barbie | Os 10 grandes candidatos aos Óscares

Tal permitiu que filmes em língua não inglesa como “Fallen Leaves”, “O Rapaz e a Garça”, “Anatomia de uma Queda” e “The Zone of Interest” fossem lembrados em várias categorias.

No entanto, esta nova era dos Golden Globes não tem sido bem-vista por alguns dos membros mais antigos que se sentem prejudicados por esta transição.

© Les Films Pelléas

Segundo o The Wrap, uma recente comunicação do vice-presidente executivo Tim Gray, que informava os votantes de que não receberiam bilhetes para a cerimónia de 7 de janeiro no Beverly Hilton, desencadeou uma ameaça de boicote por parte de sessenta e quatro votantes. Importa destacar que, perante o panorama atual, este boicote afetaria pouco mais de 20% das votações.

Lê Também:   Calendário da Award Season 2023/2024 | Todas as datas, links e cerimónias

Um dos membros diz estar “chocado” e que “fomos completamente apagados, mas o prémio continua. Um verdadeiro roubo”. O mesmo sentimento foi partilhado por outros votantes furiosos, que dizem ter sido levados a acreditar que iriam assistir à cerimónia como de costume.

Apesar de tudo, a revolta parece não estar apenas condicionada aos membros mais antigos e também se manifestar em alguns dos novos votantes.




GOLDEN GLOBES: UMA TRANSIÇÃO TURBULENTA

© Joe Seer / Shutterstock.com

Anteriormente, os membros costumavam ser convidados não só para a cerimónia, mas também para todas as festas subsequentes no Beverly Hilton. A maioria dos integrantes da HFPA ainda mantém o direito de voto e tem garantidos pagamentos de 75 mil dólares por ano, durante cinco anos, conforme aprovado no acordo de compra que transformou a organização sem fins lucrativos numa empresa.

Cientes de que este acordo os deixaria em minorias entre a massa votante, estes membros da HFPA não esperavam também perder os seus cobiçados privilégios. Um dos votantes defende que isto faz parte do padrão do CEO da Eldridge, Todd Boehly, e a sua equipa que não cumprem as promessas feitas aos membros. Sendo que essa fonte afirma que numa reunião gravada, foi dito que todos continuariam a receber lugares na cerimónia no salão principal.

Lê Também:   Tudo sobre os principais prémios e previsões da Award Season 2023/2024

De salientar que o Salão Internacional do Beverly Hilton Hotel, onde decorrem os Globos de Ouro, tem capacidade para 1.100 pessoas em banquetes, 1.200 em recepções e 1.300 em formato teatro, estando cerca de 250 pessoas nomeadas para os prémios deste ano.

Os Golden Globe irão decorrer a 7 de janeiro de 2024 agora na CBS/Paramount+. Resta perceber como estas notícias impactarão a cerimónia e os seus resultados.

O que te parece toda esta nova transição dos Golden Globes?

Sobre o Autor



Também do teu Interesse:



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *