© Showtime

Halo | Série estreia na Paramount+ em 2022

A luta para trazer “Halo” da Xbox para o pequeno ecrã continua. A série migra da Showtime para a Paramount+, estando prevista estrear no início de 2022.

Foi em 2013 que a 343 Industries anunciou uma colaboração com Steven Spielberg para trazer as história de “Halo” à televisão. Desde então, o desenvolvimento da série passou por diversas fases e mudanças, sem que houvesse uma evolução linear.

O trabalho da Showtime feito em parceria com a 343 Industries – estúdio responsável pelo franchise – e a Amblin Television está em fase de produção em Budapeste, Hungria, e a sua transmissão será feita pela Paramount+, com estreia prevista para o primeiro trimestre de 2022.

Enquanto a Showtime continua responsável pela produção da série, será a CBS Studios International a distribuir “Halo” globalmente.

Lê Também:
Jogos Portugueses | O início de uma aventura nacional
Halo Infinite Box Art
“Halo Infinite” chegará às consolas e PC no Outono de 2021 © 343 Industries

A saga “Halo” moldou o futuro dos videojogos quando chegou à Xbox em 2001, prestes a celebrar o seu 20º aniversário com o lançamento de “Halo Infinite” este ano na Xbox Series X|S, Xbox One e PC. São já milhões de cópias dos vários jogos que foram vendidas mundialmente, dezenas de livros escritos e muito mais que definem um franchise que em 2015 já tinha rendido 5 biliões de dólares. A série da Showtime leva-nos ao universo do primeiro jogo, no culminar do conflicto do século XXVI entre a humanidade e uma aliança extraterrestre conhecida como os Covenant.

Sobre o que esperar da história no pequeno ecrã, CEO da Showtime Networks, David Nevins, afirma que a mesma será sobre retirar o que torna os personagens humanos, especialmente toda a experiência química, genética e mental que transformou crianças em Spartans. A acção e emoção de jogar “Halo” será entregue, com uma experiência emocional mais aprofundada.

Os fãs da saga podem contar com a presença de personagens chave como o protagonista da linha cronológica principal dos videojogos, Master Chief (Pablo Schreiber), a sua fiel companheira IA Cortana (Jen Taylor) e a brilhante e conflituosa criadora dos super soldados Spartan, Dra. Halsey (Natasha McElhone).

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Halo on Showtime (@sho_halo)

Captain Jacob Keyes (Danny Sapani) e Commander Miranda Keys (Olive Gray) fazem também parte da série, ao lado ainda de Admiral Margaret Parangosky (Shabana Azmi), Spartan Soren-066 (Bokeem Woodbine), Spartan Riz-028 (Natasha Culzac), Spartan Vannak-134 (Bentley Kalu) e Spartan Kai-125 (Kate Kennedy).

O elenco conta ainda com actores que irão interpretar novos personagens. Yerin Ha faz o papel de Quan Ah, uma jovem rapariga que conhece Spartan 117 (Master Chief) aos 16 anos, e Charlie Murphy vive na pele de Makee, uma criança órfã humana que foi poupada da destruição dos Covenant e criada por alguns dos seus membros, acabando por partilhar o desprezo pela raça humana.

Por detrás das câmaras, juntam-se Steven Spielberg, Darryl Frank e Justin Falvey como produtores executivos da Amblin Television ao lado de Steven Kane, Otto Bathurst, Toby Leslia, Kyle Killen e Scott Pennington. Já Kiki Wolfkill, Frank O’Connor e Bonnie Ross são os produtores executivos da 343 Industries.

A série “Halo” teria 55%-60% da sua primeira temporada filmada quando a pandemia COVID-19 fechou a sua produção em Março de 2020. A hipótese de lançar a série na Paramount+ tem vindo a ser discutida nos últimos meses. Parte desta decisão foi impulsionada pelo sucesso de “Your Honor” da Showtime, com Bryan Cranston.

Vais acompanhar o progresso da série? O que esperas ver de “Halo”?

Catarina Ferreira

Sempre tive desejo inato de expressar a minha criatividade, tendo envergado pelas artes nos estudos e nos tempos livres, como pintura, desenho, fotografia ou arte digital. Os videojogos também me acompanharam desde cedo. Halo foi o que me trouxe à Xbox, onde acabei por criar os Xbox PT Dummies. Não sou fã de guerras de consolas e acredito que todos têm o dever de ser felizes onde entenderem. Podem ver as minhas opiniões (não) populares no Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *