Vivarium | © IndieLisboa

IndieLisboa ’20 | Vivarium, em análise

Continuamos a explorar a  17ª edição do  IndieLisboa e, neste caso, a arrojada secção “Boca do Inferno” onde podemos encontrar as produções mais insólitas do Festival. “Vivarium” acompanha um jovem casal na sua busca por uma casa perfeita, o que nos leva até um pesadelo delicioso e progressivamente envolvente. 

Jesse Eisenberg (“A Rede Social”, “Zombieland”)  e Imogen Poots (“28 Semanas Depois”, “Green Room”) protagonizam esta comédia dramática de mistério. Dão aqui vida a Gemma e Tom, um jovem casal de namorados que procura há algum tempo uma nova casa onde viver, onde começar uma vida a dois. Isto até entrarem numa agência particularmente invulgar, onde conhecem um agente imobiliário que os leva até um grande bairro germinado onde todas as casas são exatamente iguais, as nuvens perfeitas e o teu de um tom azul excessivamente homogéneo.

Lê Também:
IndieLisboa ’20 | State Funeral, em análise

Durante a sua visita são abandonados neste bairro e, incapazes de encontrar o caminho de volta para a cidade, voltam para a casa. Não há mais ninguém no bairro e à porta é deixado um bebé para criarem em conjunto. É esta a simples e deliciosa premissa de “Vivarium”, obra nomeada ao Prémio da Crítica no Festival de Cannes de 2019.

O filme funciona numa lógica evolutiva bem delineada. No início esta situação é bizarra, cómica, provoca confusão mas não assusta de todo o espectador, divertido com a situação que se desenrola. A longa-metragem de cerca de uma hora e meia de duração divide-se em claros atos. Há medida que o tempo vai passando os eventos vão tornando-se mais monótonos, aflitivos, sufocantes. A comédia dá lugar ao terror de uma forma orgânica, sem esforço.

VIVARIUM | TRAILER OFICIAL (PORTUGAL) 

“Vivarium”, uma fantasia tresloucada do mesmo autor de “Without Name”, Lorcan Finnegan, apresenta-nos uma ideia coesa, criativa e com muito por onde desenvolver. Contudo, esta história acaba por ficar bastante contida dentro da sua lógica inicial. A repetição instala-se e,  embora sem dúvida combine com o enredo e com o desespero crescente, a verdade é que “Vivarium” acaba por se tornar bastante previsível, tanto no que toca ao seu desenvolvimento como desenlace final.

Sem ser memorável, “Vivarium” é um puzzle que coloca muitas perguntas e deixa muitas delas sem resposta. Ficamos intrigados e exaltados depois do desenvolvimento do enredo inicial. Muito mais não pode ser dito sem estragar a experiência cinematográfica. O filme estreou no IndieLisboa no dia 1 de setembro de 2020 e chega brevemente às salas de cinema nacionais, com distribuição já garantida pela “Filmes 4 you”.

Vivarium, em análise
si c'etait de l'amour critica indielisboa

Movie title: Vivarium

Date published: 2 de September de 2020

Director(s): Lorcan Finnegan

Actor(s): Imogen Poots, Jesse Eisenberg

Genre: Ficção Científica , Thriller, Terror

  • Maggie Silva - 78
  • Cláudio Alves - 50
64

CONCLUSÃO:

Uma premissa criativa transporta-nos para um fantasioso reino onde dois jovens procuram escapar a uma bizarra vida doméstica. Um filme sólido e que propõe uma boa dose de entetenimento!

 

 

O MELHOR: A premissa.

O PIOR: A lógica repetitiva.

Sending
User Review
4.5 (2 votes)
Comments Rating 5 (1 review)

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sending