© Disney

Os 3 adoráveis clássicos da Disney que no entanto foram um fracasso de bilheteira

A gigante Walt Disney celebrou recentemente 100 anos de existência, mas o que muitos não sabem é já esteve quase para falir. Neste artigo contamos-te essa história.

Sucesso atrás de sucesso foi praticamente assim o percurso da gigante Walt Disney até fazer recentemente 100 anos de existência. Contudo, o caminho também foi construído com tombos, alguns quase fatais.

Lê Também:   A Disney faz 100 anos e esta é a história do estúdio mais mágico de Hollywood

A dona de marcas como Star Wars, Marvel, Pixar e de diversas animações originais já teve momentos negros que quase a levaram à falência.

Depois do lançamento de “Branca de Neve e os Sete Anões”, em 1937, a empresa teve fundos suficientes para construir um novo estúdio, maior do que o anterior, e contratar mais animadores para os seus projetos.

Em 1940, o presidente do estúdio acreditou que dali só poderiam sair sucessos e investiu no lançamento do filme “Pinóquio“, que contrariou a expectativas faturando menos de 2 milhões de dólares.

pinóquio
“Pinóquio” | ©1940 – Walt Disney Studios.

Na altura, este momento foi uma queda para a Disney, que viu-se obrigada a passar ao estatuto de empresa pública. Vendeu 155 mil ações para não ter de fechar.

No mesmo ano que Pinóquio, foi lançado o filme musical “Fantasia” que a empresa considerava que ia ser um salto, mas na verdade teve críticas negativas e não faturou bem em sala.

Lê Também:   Disney | 50 curiosidades que provavelmente não sabes

Nos anos 40, a Disney estava a passar por uma crise e para piorar os seus animadores entraram em greve, em luta por melhores salários e condições de trabalho.

Foi o “Dumbo” que conseguiu levantar as contas da empresa, mas foi só em 1950, com o sucesso de “Cinderella”, que a história do estúdio mudou.




Em 1985, a empresa decidiu lançar o filme “Taran e o Caldeirão Mágico“,  baseado nos dois primeiros livros da série As Crónicas de Prydain, de Lloyd Alexander.

A produção utilizada técnicas de animação digitais, feitas em computador, que eram muito inovadoras para a época. Depois de sofrer edições no seu final, foi lançada com 12 minutos a menos do que o previsto e ainda assim foi a primeira obra da Disney a receber censura. Para além disso, o resultado do filme não foi o esperado dando mais prejuízo à empresa.

Lê Também:   Disney Plus Day | As 30 frases mais icónicas dos filmes

Depois desta Era complicada, a Disney renasceu com produções animadas de sucesso, como “A Bela e o Monstro” (1991), “Aladdin” (1992) e “O Rei Leão” (1994).

TRAILER | 100 ANOS DA DISNEY

Aprecias a evolução da Disney?



Também do teu Interesse:


About The Author


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *