"La Chimera" | © NEON

O IndieLisboa revelou a Competição Internacional para 2024

Isabelle Huppert, Josh O’Connor, coproduções internacionais e filmes premiados lá fora estão entre os títulos anunciados para a Competição Internacional e Secção Silvestre do IndieLisboa 2024.

A 21ª edição do IndieLisboa vai, como sempre, ser marcado por algum do melhor cinema internacional do momento. Indo buscar títulos a festivais como Cannes, Locarno e Berlim, entre muitos outros, os programadores conceberam uma seleção valerosa e cheia de excitantes propostas. Recentemente, foram divulgadas as secções da Competição Internacional e Silvestre, longas e curtas-metragens, pelo que olharemos agora para elas. A começar pela primeira, temos uma grande variedade de artistas, todos os quais estão ainda em início de carreira. Até há espaço para coproduções internacionais com envolvimento português.

Veja-se o “City of Wind” que representou a Mongólia nos Óscares deste ano. Originalmente estreado nas secções paralelas de Veneza, a obra considera a experiência de um xamã adolescente, encurralado nos reveses da tradição e modernidade. Acima de tudo, trata-se de um grande estudo de personagem com uma prestação do jovem Tergel Bold-Erdene. Depois ainda há “El Auge Humano 3” de Eduardo Williams, um dos trabalhos mais excitantes na linha do cinema experimental, extravasando os limites do ecrã com composições em 360 graus e um constante jogo com as plasticidades do meio.

el auge humano 3 the human surge indielisboa
“El auge humano 3” | © Un Puma

Outra experiência que nos faz reconsiderar as possibilidades estéticas e narrativas do cinema encontra-se em “The Missing” de Carl Joseph Papa. A obra Filipina usa a técnica de Rotoscope para oferecer uma reflexão sobre traumas suprimidos e uma sensibilidade queer em crise. Por seu lado, “Rising Up At Night” de Nelson Makengo usa a fotografia noturna para afundar o espetador na escuridão, conseguindo uma experiência sensorial em diálogo com as suas observações sociais no Congo contemporâneo. Mas não é tudo loucura formalista. “The Feeling That the Time for Doing Something Has Passed” de Joanna Arnow vale pelo argumento e seu confronto com a sexualidade das personagens.

Lê Também:   76º Festival de Cinema | ‘The Old Oak’, a emoção final

Esses são somente alguns destaques. Ao todo, doze longas-metragens vão competir pelo prémio principal do IndieLisboa. Na mesma secção, 34 curtas estarão também a concurso. Passando para outra programação, deparamo-nos com a Competição Silvestre, onde singram autores com já alguma filmografia no cartório – nomeadamente, quatro ou mais longas. Aí encontramos uma antiga campeã do IndieLisboa, a Camaronesa Rosine Mbakam, cuja carreira se tem formado a partir do documentário retratista até agora. Este ano, o festival mostra a sua estreia na ficção, “Mambar Pierrette,” exemplo de um notável neorrealismo africano.

a traveler's needs indielisboa
“A Traveler’s Needs” | © Jeonwonsa Films

Como esta secção se foca em autores mais estabelecidos, ainda conseguimos encontrar um ou dois nomes sonantes nos elencos das narrativas. Diríamos mesmo estar na presença de estrelas de cinema. Veja-se a maravilhosa Isabelle Huppert, de regresso ao cinema do coreano Hong Sang-soo com “A Traveler’s Needs.” A fita estreou na Competição principal da Berlinale, onde o realizador se consagrou com o Grande Prémio do Júri. Também se destaca “La Chimera” de Alice Rohrwacher, um picaresco com ares de Fellini e arqueologias românticas, onde Josh O’Connor e Isabella Rossellini marcam presença. Ao todo, competem oito longas e 14 curtas no programa Silvestre.

Ficam aqui as listas completas dos filmes nestas secções do IndieLisboa ’24…




COMPETIÇÃO INTERNACIONAL    

rising up at night indielisboa
“Rising Up at Night” |

LONGAS-METRAGENS

  • 78 Days, Emilija Gašić
  • El auge del humano 3, Eduardo Williams
  • City of Wind, Lkhagvadulam Purev-Ochir
  • Dolomite and Ash, Toma Selivanova
  • Dormir de olhos abertos, Nele Wohlatz
  • The Feeling That the Time for Doing Something Has Passed, Joanna Arnow
  • Malqueridas, Tana Gilbert
  • Monisme, Riar Rizaldi
  • Pepe, Nelson Carlos de los Santos Arias
  • Rising Up At Night, Nelson Makengo
  • The Missing, Carl Joseph Papa
  • Zinzindurrunkarratz, Oskar Alegría
Lê Também:   14º IndieLisboa | El auge del humano, em análise

CURTAS-METRAGENS

  • 27, Flóra Anna Buda
  • 512×512, Arthur Chopin
  • ADE(On a Sunday), Theja Rio
  • Adieu Tortue, Selin Öksüzoğlu
  • As If It Could, Ada Güvenir
  • Boléro, Nans Laborde-Jourdàa
  • Butterfly, Suncana Brkulj
  • Christmas, Every Day, Faye Tsakas
  • Comme un Nuage, Christine Grulois
  • Conte sauvage, Aline Quertain
  • Diamond Himalaya, Mila Olivier
  • El bon auguri, Alba Bresolí Aliberch
  • Flower Show, Elli Vuorinen
  • Grandmamauntsistercat, Zuza Banasinska
  • The House is on Fire, Might as Well Get Warm, Mouloud Aït Liotna
  • In Praise of Slowness, Hicham Gardaf
  • Jabal, Zayd Lahham
  • La noche del minotauro, Juliana Zuluaga Montoya
  • Les Yeux Verts, Sacha Teboul
  • Look On the Bright Side, Yuyan Wang
  • Love, Your Neighbour, Jethro Westraad
  • Matta and Matto, Bianca Caderas & Kerstin Zemp
  • Molecular Delusions, Quentin L’helgoualc’h
  • Nun or Never!, Heta Jäälinoja
  • Offline, Mauritz Brekke Solberg & Daniel Fure Schwarz
  • Opening Night, Sara Szymańska
  • Opéra Tulipe, Marie-Sarah Piron
  • Oyu, Atsushi Hirai
  • Public Surfaces, Gillian Waldo
  • Shifting Bodies to Fluid Fiction, Daniela Gutmann
  • Tako Tsubo, Fanny Sorgo & Eva Pedroza
  • The Oasis I Deserve, Inès Sieulle
  • Un movimiento extraño, Francisco Lezama
  • Void, Yusuke Iwasaki



SILVESTRE

mambar pierrette
“Mambar Pierrette” | © Tândor Productions

LONGAS-METRAGENS

  • Between the Temples, Nathan Silver
  • La Chimera, Alice Rohrwacher
  • Cidade; Campo, Juliana Rojas
  • Direct Action, Ben Russel & Guillaume Cailleau
  • Following the Sound, Kyoshi Sugita
  • Mambar Pierrette, Rosine Mbakam
  • A Traveler’s Needs, Hong Sang-soo
  • tu me abrasas, Matias Piñeiro
Lê Também:   74º Berlinale | Ponho as "Mãos no Fogo" neste Festival

CURTAS-METRAGENS

  • All Gucci My Broski, Harry Plowden
  • An Asian Ghost Story, Bo Wang
  • The Diary of a Sky, Lawrence Abu Hamdan
  • Hypnosuggestion, Per Bifrost
  • Kharms, Svetlana Andrianova
  • Night Shift, Kayije Kagame & Hugo Radi
  • Ojitos mentirosos, Elena Duque
  • Piblokto, Anastasia Shubina & Timofey Glinin
  • Stone, Hat, Ribbon and Rose, Eva Giolo
  • There is No Friend’s House, Abbas Taheri
  • Tornade, Annabelle Amoros
  • Two Wars, Jan Ijäs
  • Vermont, Joseph Barglowski
  • Zima, Tomek Popakul & Kasumi Ozeki

O IndieLisboa chega em 23 de maio e dura até dia 2 de Junho. Fica atento para mais destaques da programação e a nossa cobertura MHD do festival.



Também do teu Interesse:


About The Author


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *