17º LEFFEST©LEFFEST

O LEFFEST 2023 é (quase) 100% Lisboa

O 17º LEFFEST, que vai realizar-se de 10 a 19 de novembro, pela primeira vez quase exclusivamente em Lisboa, tem como filme de abertura ‘Pobres Criaturas’, de Yorgos Lanthimos. A programação foi apresentada hoje em conferência de imprensa por Paulo Branco e por Carlos Moedas nos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Lisboa. 

O filme ‘Pobres Criaturas’, de Yorgos Lanthimos (Leão de Ouro para Melhor Filme em Veneza), vai abrir o 17.º LEFFEST, o festival de cinema dirigido por Paulo Branco, que  decorrerá de 10 a 19 de novembro, quase exclusivamente na cidade de Lisboa, com mais uma seleção de filmes que traduzem o melhor da produção cinematográfica contemporânea mundial. Esta abertura é de si simbólica já que ‘Pobres Criaturas’ traz-nos a história incrível e fantástica evolução de Bella Baxter (Emma Stone), uma jovem trazida de volta à vida pelo brilhante e não ortodoxo cientista, Dr. Godwin Baxter (Willem Dafoe). Sob a proteção de Baxter, Bella está ansiosa para aprender. Livre dos preconceitos da sua época, Bella cresce firme no seu propósito de defender a igualdade e a libertação. Igualmente, faminta pelo mundo que lhe falta, Bella foge com Duncan Wedderburn (Mark Ruffalo), um advogado astuto e pervertido, numa turbulenta aventura pelos continentes, passando por Lisboa, onde fica encantada com os pastéis de nata e com um fado da Carminho.

Lê Também:   Festival de San Sebastián | ‘Fingernails’: Isto Vai Doer!

VÊ TRAILER DE ‘POBRES CRIATURAS’

Depois das pontes com o Estoril e Sintra, o festival estabelece-se agora só na capital e as sessões e actividades do LEFFEST 2023, vão realizar-se em seis espaços de Lisboa, Cinema Nimas, Teatro Tivoli, Cineteatro Turim, Academia de Ciências, Palácio Sinel de Cordes [em parceria com a Trienal de Arquitectura] e Galeria Imago [em parceria com o Imago Lisboa Photo Festival]. A única exceção é a apresentação da peça de teatro ‘O Dever de Deslumbrar’, uma homenagem à escritora Natália Correia, encenada pela realizadora Ana Rocha de Sousa (‘Listen’), com as actrizes Teresa Tavares, Paula Mora e Ana Jezabel, que vai decorrer no Centro Cultural da Malaposta, em Odivelas. Na programação hoje anunciada em conferência de imprensa no Salão Nobre da CML,  e com uma ‘visão de grandes eventos’, e ‘descentralizada’ dos habituais espaços onde se realizam habitualmente os festivais de cinema, segundo o presidente Carlos Moedas, destaca-se principalmente o cinema no seu esplendor. 

17º LEFFEST
A apresentação do 17º LEFFEST. ©LEFFEST



A SELECÇÃO OFICIAL

E sobretudo uma Selecção Oficial (Em Competição, Fora de Competição e Antestreias) com vários filmes que passaram nos quatro principais festivais de cinema europeus (Berlim, Cannes, Veneza e San Sebastián) e alguns dos quais até premiados, com os galardões mais importantes. Além de ‘Pobres Criaturas’, destacam-se ainda na seleção oficial do LEFFEST 2023, ‘The Green Border’, da realizadora polaca Agnieszka Holland (Prémio Especial do Júri de Veneza), ‘Anatomie d’Une Chute’, de Justine Triete (Palma de Ouro no Festival de Cannes 2023 e com direito a uma retrospectiva), ‘O Corno do Centeio’, produção luso-espanhola de Jaione Camborda, Concha de Ouro em San Sebástian, ‘Priscilla’, de Sofia Coppola, e ‘Evil Does Not Exist’, do realizador japonês Ryûsuke Hamaguchi. Para além disso, o festival vai homenagear Clint Eastwood e debater a relação da Inteligência Artificial com a Criação Artística, apresentar uma retrospectiva integral do cineasta turco Nuri Bilge Ceylan, que inclui o seu último filme ‘About Dry Grasses’, que deu o Prémio de Melhor Atriz no último Festival de Cannes, à atriz turca Merve Dizdar.

Lê Também:   Martin Scorsese e a Banalidade do Mal
17º LEFFEST
Paulo Branco, director do festival com o espírito dos ‘grandes eventos’, para Lisboa.©LEFFEST.

RETROSPECTIVAS E HOMENAGENS

Destaque ainda para um momento especial no LEFFEST com o cineasta português Pedro Costa, com uma programação intitulada ‘Os Quartos do Cineasta Pedro Costa’, que inclui a apresentação de um livro com este mesmo título, em edição portuguesa, da autoria do filósofo e ensaísta francês Jacques Ranciére, bem como a exibição da última curta-metragem/instalação do realizador, intitulada ‘As Filhas do Fogo’, apresentada em sessão especial no último Festival de Cannes. A representação portuguesa é pequena, contando apenas com ‘Ubu’, de Paulo Abreu (Em Competição) e ‘Dulcineia’, de Artur Serra Araújo, este último numa nova secção chamada Descobertas. 

Lê Também:   80º Festival de Veneza | Como um ‘Comandante’ pode começar a salvar um Festival?
17º LEFFEST
O cineasta palestiniano Elia Suleiman é o presidente do júri. ©Arquivo MHD

O júri da competição oficial do 17º LEFFEST, será presidido pelo realizador palestiniano Elia Suleiman, inclui a atriz e realizadora francesa Fanny Ardant, o realizador e fotógrafo norte-americano Khalik Allah, o escritor búlgaro Giorgi Gospodinov, o músico e compositor britânico Nitin Sawhney, a escritora norte-americana Rachel Kushner e a artista plástica portuguesa Adriana Molder. Entre os convidados anunciados presenciais (e outros via  digital), estarão nesta 17.ª edição cineastas como Victor Erice (‘Cerrar los Ojos’), Ryûsuke Hamaguchi, Leos Carax, Nuri Bilge Ceylan, Cédric Kahn e Jaione Camborda. É esperado entre os convites já realizados, que venham a Lisboa os actores, Hillary Swank, Morgan Freeman e Kyle Eastwood, acompanhar o ciclo dedicado ao pai do último. 

JVM

Sobre o Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *