Oscar Isaac e Jessica Chastain em "Scenes from a Marriage" © HBO

Scenes from a Marriage | Hagai Levi fala-nos da nova série da HBO

A MHD esteve em entrevista com Hagai Levi, o realizador da série “Scenes from a Marriage”, protagonizada por Jessica Chastain e Oscar Isaac.

A MHD continua as suas conversas com cineastas e figuras responsáveis pelo lançamento de novos projetos de cinema e televisão durante este ano de 2021, um dos anos mais complicados, tendo em conta a pandemia. Desta vez, tivemos oportunidade de falar com Hagai Levi, o responsável pela realização da nova série HBO “Scenes from a Marriage”.

Protagonizada por Oscar Isaac e Jessica Chastain, esta minissérie de cinco episódios é uma adaptação americana e, também contemporânea, da minissérie sueca “Cenas da Vida Conjugal”, estreada em 1973 e da autoria de Ingmar Bergman, que um ano depois seria editada como longa-metragem cinematográfica de 2 horas e 50 minutos de duração. A série original foi um sucesso da crítica e comprovou o estrelato de Liv Ullmann (atriz que em breve receberá o Óscar Honorário) e Erland Josephson, dos rostos habituais do cinema bergmaniano.

O certo é que esse enredo inspiraria vários cineastas independentes que emergiram nos anos 90. São exemplo Richard Linklater, para a sua trilogia “Antes do Amanhecer” (1995), “Antes do Anoitecer” (2004) e “Antes da Meia-Noite” (2013) e o próprio Noah Baumbach em “A Lula e a Baleia” (2005) e mais recentemente “Marriage Story” (2019). Mas quais as razões de voltarmos a este mundo de um casal em crise quando tantas outras vezes já foi explorado no ecrã? Curiosamente, e segundo Hagai Levi a necessidade de repensar a linguagem cinematográfica e televisiva dada às mulheres e aos homens.

Scenes from a Marriage | Trailer da série realizada por Hagai Levi

Para Hagai Levi havia uma necessidade clara de repensar este lugar que a mulher ocupa como esposa e o homem como marido. Portanto, a personagem interpretada por Jessica Chastain é agora quem está responsável pela instabilidade no casal, quando na série original era a personagem de Erland Josephson quem iniciava um relacionamento extra-conjugal e acabava por dar origem ao problema da trama. Talvez por essa grande transformação, a história de “Scenes from a Marriage” consegue manter uma linguagem dos dias de hoje e o resultado está à vista.

Alguns dos episódios tiveram antestreia mundial na 78ª edição do Festival de Cinema de Veneza, que a MHD esteve a acompanhar. Há assim um comprovado interesse de certames internacionais e, por sua vez, dos espectadores em investigar como é que uma história associada a uma série com quase meio século conseguiu manter-se original e cativar o público.

Outros trabalhos de Hagai Levi na televisão, como a série “The Affair” (2014 – 2019) ou “Terapia” (2008 -2021), mantém uma certa conexão com a série de Ingmar Bergman, que o realizador e escritor não esconde ser fã. Nascido e criado em Israel, Hagai Levi pode ser um nome pouco escutado em Portugal, mas teve a oportunidade de criar e realizar a tão aclamada série de TV israelense “Be’Tipul” (2005-2008), também ela objeto de adaptação americana para a série de “Terapia” (2007-2010), vencedora de vários Emmy e Golden Globes. Não é só o papel do homem e mulher que estão invertidos, afinal chegou a vez de Hagai Levi ser responsável por uma versão americanizada de uma série de sucesso. Falemos com o realizador para perceber tudo isto.

Scenes From a Marriage
Scenes From a Marriage | © HBO Portugal

MHD: Ainda se lembra da primeira vez que viu a série original “Scenes from a Marriage” do Ingmar Bergman?

Hagai Levi: Eu lembro-me vivamente quando vi pela primeira vez a série de televisão inovadora de Ingmar Bergman, “Cenas da Vida Conjugal”. Seria a minha maior influência para alguns dos meus trabalhos como “Be’Tipul” e “The Affair”.

MHD: Como foi o convite para realizador a série? 

Hagai Levi: Sempre gostei da série, mas jamais consegui imaginar, nem nos meus sonhos, que um dia o próprio filho do Ingmar Bergman, o Daniel me convidaria para realizar a minha versão da série, tendo em conta que a série original teve um impacto tão profundo na minha vida criativa. Vi a série aos 18 anos e não sabia bem o que estava a assistir. Cresci num kibutz muito pequeno e religioso, então não fui exposto a nenhuma arte e certamente não à televisão até ficar mais velho. Foi então que num dia fui ao clube do kibutz, o único lugar onde podíamos assistir televisão – e apenas um canal – e assisti “Cenas da Vida Conjugal”. Eu não sabia nada sobre isso, nem sobre o Ingmar Bergman. Mas eu assisti à série e tive esse sentimento raro. Logo pensei ‘isso é arte’.

Depois em 2013, o Daniel Bergman, que trabalha no conselho da Ingmar Bergman Foundation, é curador dos arquivos do pai e detém os direitos sobre os seus argumentos, decidiu que era o momento certo para uma nova versão. Depois o Daniel escreveu-me e disse-me que gostava da minha série “Be’Tipul”, que foi surpreendido pela forma como mostro as personagens, como me foco nos seus rostos sem nenhum drama externo e apenas focado num único local. Foi o destino!

séries canceladas em 2018
“The Affair”

MHD: Porquê a decisão de reverter os papéis do homem e da mulher da série original para esta nova série protagonizada pelo Oscar Isaac e pela Jessica Chastain?

Hagai Levi: Estava assustado e simultaneamente animado com o desafio de criar uma versão contemporânea. A chave para desbloquear a minha versão veio quando decidi inverter os papéis de género do original. Tive essa ideia ao longo dos anos, mas houve um momento muito específico em que estava sentado com a minha editora de histórias e contei-lhe todas as ideias que tive. Quando abordei a possível inversão de papéis ela referiu-o como algo bastante interessante.

Na história de Ingmar Bergman, podemos ver o Johan como o principal ganha-pão, um homem que espera que a sua esposa, a Marianne cuide dos seus filhos, cozinhe e cuide da casa. Quando ele anuncia que parte para Paris com a sua amante, chocada a sua mulher Marianne ainda ajuda-o a fazer a mala! É algo impressionante.

Hagai Levi
Jessica Chastain e Oscar Isaac em “Scenes from a Marriage” © HBO

Na minha série, a Mira, a quem dá vida Jessica Chastain, é uma executiva ambiciosa que não está totalmente realizada nem feliz no seu casamento com Jonathan, um professor de filosofia intelectual que trabalha em casa e cuida da filha de ambos, Ava. Quando o casamento deles desmorona, Jonathan está desesperado para mantê-lo intacto. Desta vez temos uma mulher que tenta conciliar a carreira enquanto mãe e enquanto profissional e aproveitei isso para mostrar o casamento pelo olhar de um casal americano contemporâneo. Do nada, temos um homem muito mais interessante, com um lado mais sensível e temos ainda uma mulher mais forte.

MHD: Sendo a série bastante íntima, será que nos puderia dizer se o enredo desta nova adaptação teve alguma coisa em comum com a sua vida pessoal?

Hagai Levi: A série original de Ingmar Bergman foi escrita e feita nos inícios dos anos 1970 e reflete uma época diferente. Eu quis tornar a série o mais pessoal possível e, dessa forma, tentar que se relacionasse com o público moderno. Divorciei-me duas vezes e ambas as mulheres com quem estive casado – e no geral – as restantes mulheres da minha vida – nunca foram como a Marianne na série original. Eram mulheres independentes, às vezes até duronas, e eu consegui ser esse homem-alfa que olha para as mulheres de uma forma superior. Além disso, fui um pouco mais longe e fiz do Jonathan um ex-judeu ortodoxo, totalmente eu.

Lembro-me de ter pensado que, por um lado, a série passa-se na América e não em minha terra natal, nem sequer na minha língua, mas, por outro lado, definitivamente tinha material suficiente para tornar a história minha.

MHD: Acredita que na dor de um casal ainda há espaço para o amor? Fale-nos um pouco daquilo que poderemos ver na evolução de Mira e Jonathan ao longo da série…

Hagai Levi: A série conta com cinco episódios que abrangem cinco anos, é sobre a dor da separação, porém continua a ser essencialmente, uma história de amor. Eu vejo-a como uma história de amor de uma maneira que aquelas duas pessoas não se conseguem separar-se uma da outra. A Mira e o Jonathan são espécie de almas gémeas e mesmo quando eles se querem separar, não conseguem. Acaba por acontecer sempre alguma coisa quando eles se encontram. Não conseguem tirar os braços um do outro.

Eu tirei algo dos episódios da série original, que no total eram seis. Eu fiz cinco e acabei por agarrar cada episódio e começar algumas coisas mais cedo. Por isso, acabou por ser mais uma série de “cenas de um divórcio” do que “cenas de um casamento”. Essa exposição dos argumentos brutais entre os atores, acaba por refletir o porquê de considerar esta série como uma história de amor. E depois temos uma dupla brilhante como a Jessica Chastain e o Oscar Isaac. Simbolizam a química perfeita.

Hagai Levi
Jessica Chastain e Oscar Isaac em “Um Ano Muito Violento” © FilmNation Entertainment

MHD: Como foi a colaboração com o Oscar Isaac e com a Jessica Chastain? Temos a certeza que muitos dos leitores da MHD gostariam de saber mais sobre como foi trabalhar com estas estrelas de Hollywood.

Hagai Levi: Os dois atores deram tudo. Tivemos um mês e meio de ensaios com os atores num palco e depois no próprio set. Então foi uma experiência muito diferente. Na televisão, especialmente na televisão americana, existe um tempo muito limitado para conseguir ensaiar algumas cenas importantes. Mas aqui tínhamos muito tempo para entrar no conteúdo.

Conseguimos ler o argumento várias vezes, ensaiar muitas vezes e conversar imenso sobre o assunto. O Oscar Isaac e a Jessica Chastain já se conheciam, já tinham contracenado juntos, mas aqui tiveram oportunidade de se conhecer de uma outra forma. Até estudaram juntos em Julliard, e portanto é uma relação de amizade de muitos anos. Isso criou uma intimidade imediata durante os ensaios e nas filmagens. Estou muito feliz e grato porque sinto que eles se entregaram e confiaram em mim. Eles estão totalmente envolvidos nesta série e realmente foram para os lugares mais sombrios. Mais não poderia pedir.

“Scenes from a Marriage” já está disponível na HBO Portugal. 

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

One thought on “Scenes from a Marriage | Hagai Levi fala-nos da nova série da HBO

  • Simplesmente fantástica! Assisti o episódio 4 e ansioso pelo 5!!! Uma das melhores Mini série de 2021 com toda certeza!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *