Sofia Mirpuri © Nicolas Coelho via Story in a Box

Sofia Mirpuri: “Tudo num Só lugar. Tudo na Story In A Box”, em entrevista

Falámos com a atriz e produtora Sofia Mirpuri, a jovem portuguesa que está a fazer a diferença com a Story in a Box.

Nas caixas da Story in a Box guardam-se histórias que precisam de ser contadas, sonhos que querem ser realizados e a paixão contagiante de Sofia Mirpuri, uma das atrizes mais promissoras de Portugal. Em conversa exclusiva com a Magazine.HD, Sofia volta-nos a falar dos desafios da sua produtora, que recentemente inaugurou um estúdio em Lisboa.

Lê Também:   Emilia Perez: Um musical que pôs Cannes a cantar e a dançar

Mais do que um novo trabalho, a Story in a Box é a materialização do amor de Sofia pelo audiovisual e a sua incansável missão de impulsionar o crescimento da indústria em Portugal. A empresa surge como um raio de luz, provando que talento, dedicação e paixão podem superar qualquer obstáculo, mesmo sem o apoio de instituições públicas ou financiamentos tradicionais. Vejamos o que Sofia Mirpuri tem a dizer sobre o seu trabalho.

Sofia Mirpuri, em entrevista

Sofia Mirpuri
Sofia Mirpuri © Nicolas Coelho via Story in a Box

MHD: Como têm sido os últimos meses de trabalho para ti e para a Story in a Box?

Sofia Mirpuri: A Story In A Box nasceu há um ano e meio e tudo tem acontecido no compasso ideal. Começámos com a ideia de nos focar exclusivamente na ficção, depois das duas longas-metragens (“Alice, Nova Iorque e Outras Histórias” – cinema e RTP – e “Erros Meus, Má Fortuna, Amor Ardente” – RTP) e da curta-metragem (“Samanta: Má Ou Santa”) que produzi a título independente, e por isso neste momento estamos com três projetos em desenvolvimento: uma longa-metragem, uma curta-metragem e uma série.

Quando iniciei a produtora, sabia que queria levar a cabo projetos desafiantes, capazes de marcar a diferença, de contribuir para levar a produção nacional além-fronteiras. O nosso foco está no desenvolvimento de projetos impactantes que acrescentem novas perspectivas ao audiovisual e à vida. Acredito que a indústria do storytelling é uma das mais poderosas que existem, capaz de gerar mudança e evolução no pensamento coletivo e, como consequência, no mundo.

Lê Também:   Eurovisão 2024 | "Surreal e divertido", Nemo prepara-se para representar a Suíça (Entrevista)

Pouco depois do nosso início, quando uma marca nos desafiou a produzir alguns vídeos promocionais, claro que agarrámos o desafio com uma perspetiva de “contar uma história” – e esta experiência foi o momento em que decidimos alargar o nosso espectro de atuação também a publicidade, digital, corporate e até mesmo cobertura de eventos. E claro que, tendo o storytelling de impacto como identidade e missão, a nossa pergunta inicial é sempre, para qualquer projeto: “que história queremos contar?” seguida da pergunta “e como a vamos contar?”. Os clientes foram surgindo com muito trabalho de prospecting e também pelo boca-a-boca, sendo que nos últimos meses temos tido vários clientes que voltam a nós para outros projetos, indicador de que estamos a fazer um bom trabalho.

Há 5 meses abrimos o nosso estúdio, que serve tanto para servir as nossas próprias produções como para ser alugado por e para outras produções, seja por freelancers (ex: videógrafos, fotógrafos) como por influencers, ou marcas, ou empresas, agências de comunicação e outras produtoras. Começámos também a receber workshops no nosso estúdio, nomeadamente workshops para atores.

MHD: Será que poderias partilhar quais são os desafios enfrentados atualmente pela Story in a Box?

Relativamente aos dois focos principais da Story In A Box, creio que os maiores desafios são: ficção – encontrar formas alternativas de financiamento, já que os canais “comuns” (ex: concursos estatais e privados nacionais), que não só são muito poucos e estão sobrelotados, como também têm pouca verba a distribuir face à quantidade de bons projetos em busca de financiamento. Publicidade e digital: conseguir encontrar um espaço para estender a toalha ao sol, ou seja, num meio onde já há muitos “gigantes” estabelecidos, conseguir trazer para nós novos clientes – porque depois de os conseguirmos, felizmente têm retornado.

Story in a Box
© Nicolas Coelho via Story in a Box

Conseguir estabelecer o nosso valor num mercado como o nacional, onde o cliente tem sempre um orçamento muito reduzido face ao resultado que se pretende. A qualidade do trabalho entregue é primordial para nós, e nunca vamos entregar algo que esteja aquém daquilo que são os nossos standards, mas isso implica sempre um grande jogo de cintura do nosso lado.

Neste ano e meio de percurso também crescemos muito no sentido em que sabemos reconhecer o nosso valor e por vezes temos de dizer que não a certos projetos cujos budgets consideramos muito reduzidos para aquilo que queremos entregar. Uma coisa é certa, o sentido de compromisso e profissionalismo é fundamental para nós, e se aceitamos um projeto, fazemo-lo sempre da melhor forma que sabemos. É também por isso que nos últimos tempos temos começado a direcionar-nos para o mercado internacional, onde já contamos com clientes como, por exemplo, a companhia aérea Global Airlines e a Hi Fly Airline.

MHD: A Story in a Box recentemente abriu um estúdio, que oferece uma variedade de serviços, incluindo aluguer de estúdio, serviços de elenco, localização de filmagens de luxo e fotografia e vídeo de eventos. Será que me poderias explicar em que consistem cada um destes serviços?

Sofia Mirpuri: O serviço de localização de filmagens de luxo prende-se com a produtora e não com o estúdio em si. É um serviço direcionado para grandes clientes, geralmente internacionais, que vêm filmar a Portugal – uma tendência cada vez maior – e precisam de decors de luxo como, por exemplo, casas de campo, carros clássicos, aviões privados, helicópteros, entre outros. Na Story In A Box também fazemos cobertura de eventos de diferentes géneros: sejam eventos desportivos, eventos de moda ou eventos corporativos, comprometemo-nos a entregar aos nossos clientes material que capte verdadeiramente a essência do ambiente vivido.

Sofia Mirpuri © Nicolas Coelho via Story in a Box
Lê Também:   Eurovisão 2024 | "Já cantei fado e gosto muito de Portugal", Marina Satti da Grécia em entrevista

O estúdio, com 112 m2, tem de zona de infinity wall, black box, fundos coloridos, camarim com makeup station, zona de office/copa e ainda uma arrecadação onde os clientes podem deixar o equipamento e cenário entre sessões.

 Além disso, também dispomos de equipamento de iluminação. 

O estúdio tem uma localização bastante acessível junto ao aeroporto de Lisboa, com muitos lugares de estacionamento mesmo à porta.

Tudo num só Lugar. Tudo na Story in a Box.

MHD: Existe algum serviço completo?

Sofia Mirpuri: Sim. Story In A Box Studio proporciona um serviço completo. Não só temos um estúdio versátil que pode ser alugado independentemente por e para outras produções, como também podem requisitar equipamento, equipa ou até coffee break. Para projetos maiores, como por exemplo, publicidade e digital, podem contratar os serviços de produção da Story In A Box e podemos fazer toda a produção do projeto, de A a Z.
 Pré-produção
, equipa de profissionais
, equipamento Técnico
, casting
, filmagem, sessão fotográfica
, pós-produção. Tudo num só lugar. Tudo na Story In A Box. Alugamos ainda o nosso estúdio para castings de ficção ou publicidade, e também podemos ser nós a tratar de todo o processo de casting. Dispomos, na verdade, de diretor de casting.

MHD: Como têm reagido as empresas e pessoas que já colaboraram com a Story in a Box e utilizaram o vosso estúdio?

Sofia Mirpuri: Muito bem. Felizmente temos vários clientes que voltaram a requisitar os nossos serviços depois da primeira experiência, o que é um ótimo indicador de que gostam do nosso trabalho. Muitos deles já nos deixaram reviews muito positivas, que gostamos de partilhar nas nossas redes sociais para que potenciais clientes, ainda indecisos, possam perceber que somos, sem dúvida, uma boa aposta.

Um dos comentários que nos tem sido mais adereçado prende-se com a nossa rapidez na produção e entrega dos produtos finais, sem por isso sacrificar a qualidade. Sabemos que hoje os clientes querem tudo “para ontem”, não por capricho mas porque, efetivamente, há timings e prazos a cumprir e umas coisas dependem das outras. E nós fazemos tudo o que está ao nosso alcance para os ajudar.

Story in a Box
© Nicolas Coelho via Story in a Box

MHD: Têm planos para expandir ou diversificar os serviços oferecidos pela empresa?

Sofia Mirpuri: Neste momento queremos focar-nos em fortalecer a nossa estrutura nos serviços que já dispomos, garantindo a sua máxima eficiência e uma máquina oleada capaz de produzir e entregar com a devida rapidez vários projetos com qualidade, cimentando o nosso lugar como produtora audiovisual de referência. Temos planos para expandir o nosso portfólio de clientes internacionais, e a curto-médio prazo é desejável que a Story In A Box crie um departamento dedicado à gestão e comunicação de marca.

MHD: Há algum projeto em que a Story in a Box esteja a trabalhar atualmente ou planear para o futuro? Quais os teus próximos trabalhos como produtora?

Sofia Mirpuri: Estamos a desenvolver três projetos de ficção: uma longa-metragem, uma curta-metragem e uma série. Já todas estão escritas e estamos em processo de financiamento, sendo que já rodámos o episódio piloto da série. Na área da publicidade e digital, contamos com diferentes projetos.

À parte disso, eu escrevi o argumento para uma série de comédia dramática com um enredo e premissa que há muito queria escrever e com um potencial comercial que acredito ser enorme. Sei que este projeto vai ressoar com muitas pessoas e abordar temas de relevância e atualidade, tais como a perda auditiva numa jovem millennial que carrega em si todos os sonhos do mundo, a diversidade cultural, entre outros, com um toque de humor que proporciona aos espectadores o comic relief necessário à abordagem de todos estes temas.

MHD: Como é que a Story in a Box tem estado a acompanhar as tendências da indústria de entretenimento?

Sofia Mirpuri: Se te referes a uma crescente representatividade e inclusão na indústria do entretenimento, a Story In A Box pretende acompanhar a 100% esta “tendência” nos nossos projetos. Uma “tendência” que, a nosso ver, não deve nunca ser vista como uma moda passageira, mas sim um compromisso com a responsabilidade social que têm e devem ter todas as produtoras, exibidores, distribuidoras – que são, intrinsecamente e pela sua essência, agentes de mudança.

A Story In A Box assume a sua responsabilidade social e compromisso para com a inclusão através, também, da acessibilidade de todos os seus conteúdos. A legendagem de conteúdos é uma das nossas bandeiras, tornando-os acessíveis aos milhões de pessoas pelo mundo (e quase 2 milhões de portugueses) que têm algum tipo de dificuldade auditiva e que por isso se veem impedidos de assistir a cinema português nas salas do nosso país, ou séries e programas nacionais na televisão, ou conteúdos nas redes sociais.

Gostarias de conhecer o trabalho da Story in a Box? Visita o site oficial

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *