©Filipe Figueiredo

Teatro ‘O Coração de um Pugilista’

“O Coração de um Pugilista”, é uma peça muito cinematográfica do alemão Lutz Hübner, com Miguel Guilherme como cabeça de cartaz, que está cena no Teatro Aberto em Lisboa. Dois estranhos, duas gerações, duas concepções de vida, constroem uma amizade improvável, que vai mudar as suas vidas.

‘O Coração de Pugilista’, do dramaturgo alemão Lutz Hübner, — em cena no Teatro Aberto é uma excelente combinação do teatro com o cinema, da palavra com a imagem. A peça conta a história de dois homens: um jovem fanfarrão em busca de reconhecimento no seu grupo de amigos e um ex-pugilista idoso que vive isolado e quer escapar do lar de idosos. No início, começam por confrontar-se quase como num combate de boxe, mas deste encontro nasce uma amizade improvável que muda completamente as vidas dos dois homens, numa trama que é marcada pelo conflito de gerações, mas também pela forma ‘como se lida com a vitória e a derrota’ e como encontrar um sentido para a vida.

O Coração de um Pugilista
Miguel Guilherme é o protagonista ao lado do jovem Gonçalo Almeida ©Filipe Figueiredo
Lê Também:
3 (Novos) Filmes Que Falam do Cinema

A peça estreou pela primeira vez em Portugal no Teatro de São João do Porto, com encenação de José Wallenstein, interpretada por Sérgio Praia e José Pinto. Regressa agora ao Teatro Aberto, em Lisboa, com encenação de João Lourenço e com Miguel Guilherme — em mais uma espantosa interpretação — como cabeça de cartaz, juntamente com o jovem Gonçalo Almeida e Bárbara Vagaroso, no papel da cuidadora do lar. Apesar de não ser propriamente um vanguardista, o dramaturgo Lutz Hübner (n.1964) é um dos autores mais representados nos teatros da Alemanha, sobretudo devido à atualidade dos seus temas e à linguagem realista das suas peças. A peça foi apresentada pela primeira vez, no Grips Theatre em Berlim, em 1996, onde o dramaturgo vive desde essa altura, com a esposa, a actriz Sara Nemitz, formando uma espécie de duo como autores teatrais de grande sucesso entre o público. Em 2015 a peça  ‘A Professora Müller Tem de Se Ir Embora’ (‘Frau Müller muss weg!’), foi adaptada ao cinema por Sönke Wortmann, com  a conhecida actriz e apresentadora alemã Anke Engelke, ganhou o Prémio Bávaro de Melhor Argumento. Em 1998, esta peça ‘O Coração de um Pugilista’ recebeu o Prémio Alemão de Teatro Juvenil, o que à partida demonstra logo a sua empatia e acessibilidade a um público bastante alargado, incluindo os jovens espectadores, que vão certamente entender melhor uma das personagens em confronto. Mas não só, já que a peça é escrita com uma linguagem muito certeira e simples, que capta facilmente a atenção dos espectadores, para determinadas questões da realidade contemporânea. ’

VÊ PROMO DE ‘O CORAÇÃO DE UM PUGILISTA’

‘O Coração de um Pugilista’ é uma peça concebida praticamente para dois actores: Jojo (Gonçalo Almeida), é um agitado adolescente e Leo (Miguel Guilherme), um sábio idoso, inconformado com a sua situação de quase isolamento no lar de idosos, que é quase uma prisão. As sete cenas — o paralelo com os sete rounds, de um combate de boxe não são uma coincidência — descrevem o desenvolvimento dessa amizade improvável entre dois representantes de duas gerações, com vidas e experiências muito diferentes. Jojo está a cumprir serviço comunitário nessa casa de repouso, depois de ter sido ‘apanhado’ a roubar uma mota. Na verdade, apesar da sua revolta, aceitou a sua pena, responsabilizando-se para salvaguardar o líder do seu gangue; e, por isso é por todos considerado o idiota, que ficou com as culpas do outro. A vida empurrou os dois para este canto, onde o miúdo tem a tarefa de pintar as paredes do quarto. A princípio, são hostis um com o outro, mas pouco a pouco Jojo vai encontrar em Leo um amigo com um ‘grande coração de um pugilista’, que o ajuda a colocar a sua vida nos eixos. Numa turbulenta trama em que cada cena representa um dia, os adversários do início, acabam por lutar juntos para realizar os seus desejos e anseios e redesenhar as suas vidas para melhor. Leo impede Jojo de usar a violência para ganhar reconhecimento no seu grupo e Jojo ajuda Leo a determinar-se para conseguir a sua liberdade.

Lê Também:
Mostra Nacional de Jovens Criadores | Vencedores de 2022
O Coração de um Pugilista
©foto Jorge Figueiredo, Teatro Aberto

Graças também às dicas de Leo, Jojo até conseguirá conquistar o coração de sua amada. O fim da peça é na verdade feliz e quase uma utopia, pois acabam por vencer os dois. Usando uma linguagem viva e bem-humorada, Hübner desenha esse encontro intergeracional com muita ternura para as duas personagens, que sobretudo a interpretação de Miguel Guilherme amplia e convence. O relacionamento improvável entre os dois homens, desperta a esperança que vem da superação das diferenças. O público, identificando-se para uns com a personagem mais velha, para outros com a mais nova, torna-se cúmplice do riso e do drama das personagens. Uma peça a não perder!

JVM

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colaborou no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’  (2014) e 'Mar Urbano Lisboa (2019). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’ (2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’ (2012), Mostras de Cinema da América Latina (2010 e 2011), 'Vamos fazer Rir a Europa', (2014), Mostra de Cinema Dominicano, (2014) e Cine Atlântico, Terceira, Açores desde 2016, até actualidade. Foi Director de Programação do Cine’Eco—Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela de 2012 a 2019. É membro da FIPRESCI.

José Vieira Mendes has 602 posts and counting. See all posts by José Vieira Mendes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.