Timothée Chalamet em "Um Dia de Chuva em Nova Iorque" (2019) |©NOS Audiovisuais

Timothée Chalamet vai dar vida a jovem Bob Dylan

Timothée Chalamet, um dos mais cobiçados intérpretes da jovem Hollywood, encontrou o seu novo projeto. O ator celebrizado pelo seu papel em “Chama-me Pelo Teu Nome” vai dar vida a Bob Dylan num filme biográfico do realizador de “Walk the Line” (2005).

De acordo com a revista online, Timothée Chalamet está em negociações com a Fox Searchlight Pictures para ser o protagonista deste que será o próximo filme de James Mangold. “Going Electric”, título possível do filme, é realizado assim por um autor  prolífico no campo da biografia. Mangold realizou em 2019 “Le Mans ’66: O Duelo”, um filme com bastante apreciação crítica. Tem ainda no seu currículo, como referido, “Walk the Line” (2005) e ainda certos títulos de culto  popular noutros géneros,  tais como “Logan” (2017) ou “Vida Interrompida” (1999). 

Timothée Chalamet, aos 24 anos, deverá assim vir a interpretar uma versão do músico Bob Dylan quando este tinha a mesma idade, numa altura inaugural da sua carreira, no ano de 1965. Esta biopic pretende abordar o período no qual o músico fez a transição do folk para o rock ‘n’ roll. Quando Dylan trocou a sua guitarra acústica por uma eléctrica, as vozes de protesto não tardaram a levantar-se. E a partir daí evolui a monumental carreira de Bob Dylan, que incluiu uma improvável vitória do Prémio Nobel da Literatura em 2016.

Lê Também:
Timothée Chalamet | Perfil de uma estrela em ascensão

Jeff Rosen, o manager do músico, está envolvido na produção do filme. Quanto ao título, não está inteiramente definido, mas “Going Electric” é “o que se ouve pela cidade”. Por agora, pouco mais se sabe sobre o filme. A notícia não avança se Chalamet, que tem algum treino vocal, vai cantar as músicas de Dylan. A mera especulação é que o ator está já a aperfeiçoar os seus dotes na guitarra, familiarizando-se com a guitarra acústica e eléctrica. Um papel certamente apetitoso, que poderá, quiçá, levar o jovem a repetir a nomeação ao Óscar. A sua primeira nomeação, na categoria de Melhor Ator, foi conseguida em 2018, por “Chama-me pelo teu Nome“.

the king critica netflix
Timothée Chalamet em “The King” (2019) | © Netflix

A Searchlight adquiriu os direitos do projeto quando este foi descartado pela HBO, aquando de uma mudança de estratégia, e nesta altura, segundo a Deadline, Timothée Chalamet era um nome que se ouvia já nas conversações. Mais uma grande oportunidade para a estrela em ascensão, Timothée protagonizou em 2019 “Um Dia de Chuva em Nova Iorque”, de Woody Allen, bem como o filme “The King”, lançado e produzido pela Netflix. No final do ano, foi ainda uma forte personagem secundária como Laurie em “Mulherzinhas”, de Greta Gerwig, que chega a 30 de janeiro deste mês.

Em 2020, é o protagonista de “Dune”, de Denis Villeneuve, a estrear em Portugal a 17 de dezembro de 2020, e participa no novo projeto de Wes Anderson, “The French Dispatch”, que ainda não tem data de estreia.

TRAILER | TIMOTHÉE CHALAMET EM MULHERZINHAS

Fiquem então com o trailer de “Mulherzinhas”, próximo filme do ator a estrear em sala. Ansiosos pela adaptação literária realizada por Greta Gerwig, onde Timothée Chalamet e Saoirse Ronan voltam a partilhar o ecrã? 

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *