Qual será o melhor filme do universo The Conjuring?

Universo The Conjuring | Ranking oficial MHD

“The Conjuring” é, sem sombra de dúvidas, o fenómeno de terror do século. A propósito da estreia recente de “A Maldição da Mulher que Chora“, a MHD traz-te o Ranking Definitivo deste arrepiante universo cinematográfico!

1 de 6

Tudo começou com uma relativamente modesta história ao estilo casa assombrada que tomava inspiração nos reais (e arrepiantes) casos de investigação de Ed e Lorraine Warren. O potencial para o império já lá estava… mas talvez poucos tivessem antecipado o que “The Conjuring” viria, efetivamente, a tornar-se: o mais lucrativo e bem sucedido franchise de terror da Era moderna, ultrapassando mesmo os resultados em bilheteira dea saga “Saw”.

É certo que esta saga de terror está longe de ser a primeira a originar um chorrilho de sequelas, prequelas e spinoffs, mas o franchising – apesar de cambalear por vários pontos do espectro qualitativo – tem-se mantido com uma reputação firme, construindo, aos poucos, um universo de direito próprio.

Com um novo (e surpreendente) spinoff a chegar recentemente às nossas salas – “A Maldição da Mulher que Chora” – e com “The Conjuring 3 – A Evocação a caminho, a MHD olha para a totalidade deste franchise de sucesso e traz-te o Ranking Definitivo dos Filmes do Universo The Conjuring!

6. ANNABELLE (2014)

Se Chucky foi o brinquedo assassino que dominou o séc. XX, atualiza-se o female power até aos recantos mais obscuros das tormentas do Inferno para coroar democraticamente Annabelle como a abelha-mestra dos bonecos sinistros do séc. XXI. Depois de roubar todas as atenções em “The Conjuring – A Evocação” (2013), Annabelle teve direito à sua primeira incursão a solo logo no ano seguinte… que acabou por revelar o gosto amargo de uma excelente oportunidade perdida, colocando-o no último lugar da lista. Largamente desprovido do medo e temor clássico que caracterizam até hoje o original, “Annabelle depende inteiramente de sustos previsíveis e rascunhados colados com saliva num enredo aborrecido e atabalhoado cujas trapalhadas ficariam por resolver até sequelas subsequentes. A pressa de aproveitar a “vaca leiteira” foi, possivelmente, o seu maior inimigo…

1 de 6

Catarina Oliveira

Licenciada em Ciências da Comunicação e com formação complementar em Design Gráfico, além de editora e diretora criativa da MHD é também uma das sócias fundadoras da mais recente face da empresa. Colaboradora de Cinema na Vogue Portugal. Gestora de conteúdo na Lava Surf Culture e NOS Empresas - Criar uma Empresa. Autora do blog de Cinema Close-Up.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *