Ana Rodrigues ©MHD

Anna Shaffer na Comic Con Portugal 2024 sobre a audição para The Witcher: “Inicialmente tentei o papel de Yennefer”

Anna Shaffer foi uma das convidadas de Cinema & TV desta edição da Comic Con Portugal, e abordou a sua participação em “Harry Potter”, assim como o processo de casting e experiência atual na série “The Witcher”.

O maior evento de cultura pop do país está a decorrer na Exponor entre os dias 21 e 24 de Março de 2024, no que é a sua 10ª edição, e a primeira convidada de Cinema & TV a ser recebida pelos jornalistas foi Anna Shaffer.

A atriz inglesa que se estreou como a estudante de Hogwarts Romilda Vane em “Harry Potter e o Príncipe Misterioso”, e que atualmente interpreta a feiticeira Triss Merigold na série “The Witcher”, da Netflix, falou aos jornalistas antes de se apresentar ao público nos dois palcos que nesta edição da Comic Con Portugal recebem os convidados de Cinema & TV, e abordou as participações em ambos os franchises.

Lê Também:   Comic Con Portugal 2024 | Tudo o que precisas de saber sobre a nova edição

Questionada acerca de já conhecer os livros ou os jogos de “The Witcher” que antecedem e inspiraram a série antes de fazer parte da mesma, Anna Shaffer confessou que não conhecia nem sabia nada sobre a saga.

Quando consegui o papel, havia um nome de código, não me recordo o que era chamado. A minha agente ligou-me e disse, conseguiste o papel em (…) a Princesa Perdida. E eu disse, óptimo, o que é isso? E ela respondeu não desculpa, The Witcher. E eu disse, okay, o que é isso? (rindo) E ela respondeu-me aquilo para o qual tens vindo a fazer audições“.

Após conseguir o papel, a atriz admite já ter lido os livros mas acredita que “a série que criaram é uma entidade em si mesma, uma adaptação dos livros”.




Anna Shaffer conferência Comic Con Portugal 2024
Ana Rodrigues ©MHD

Acerca do processo de audição para a série, revelou que, na verdade, cerca de um ano antes de tentar o papel de Triss, “originalmente fez a audição para Yennefer”. No que considera que foi “uma péssima audição”, mencionando que “o papel não era certo para si”, felizmente teve a oportunidade de mais tarde fazer uma nova audição para o papel da feiticeira Triss e daí prosseguiu com o processo, culminando no que sabemos hoje. “Sou grata por fazer parte da família Witcher”, disse.

Anna Shaffer mencionou ainda que, dado o crescimento da série e das personagens, existe uma dificuldade acrescida na interpretação, sobretudo para si “juntar esse tipo de força e poder”, pois considera-se geralmente “de uma natureza suave”. Mas a atriz considera que é um desafio positivo, porque “Triss é uma curandeira”, e por isso pode canalizar essa sua energia nos momentos de batalha.

Lê Também:   Comic Con Portugal de regresso ao Porto e o CEO Paulo Rocha Cardoso conta-nos tudo: "Queremos levar a Cultura Pop pelo país"

Ainda em conversa com os jornalistas na Comic Con Portugal, confessou-se feliz por existirem algumas diferenças entre a Triss dos livros da saga The Witcher, e a sua interpretação de Triss no pequeno ecrã, sobretudo no facto de poder desenvolver uma ligação maior com outras personagens femininas, destacando a amizade entre Triss e Yennefer (interpretada por Anya Chalotra), e que espera podermos ver ainda mais com o avançar da série.

A atriz revelou também que participa do processo criativo de criação das roupas da sua personagem, e que o guarda-roupa é algo que a apaixona – de facto, mencionou que poder utilizar um guarda-roupa complexo é um dos fatores que a tem puxado para papéis de fantasia, e que gostaria de ter um desafio futuro num drama histórico para poder explorar ainda mais esse seu gosto.




Anna Shaffer Live Stage Comic Con Portugal 2024
Ana Rodrigues ©MHD

Questionada ainda acerca do que traz como melhor memória da participação em “The Witcher”, Anna revelou que cresceu com a série e que aprendeu a trabalhar com atores bastante experiences com quem pode aprender muito. A personagem que interpreta passou também por um processo de crescimento e que “desde a segunda temporada” e de ter a oportunidade de conhecer (a personagem) Ciri potenciou a “dureza” que diz “assustadora para si”, mas “entusiasmante” e “recompensador de ver no ecrã”.

No que diz respeito à participação em Harry Potter, mesmo tendo sido já há algum tempo atrás, admite ainda recentemente ser reconhecida na rua como Romilda Vane.

“A parte fantástica de ser parte de dois franchises como estes é o grupo de fãs que é tão incrível e tão dedicado (…) e eu sou sempre grata, significam muito para mim em formas diferentes“.

Lê Também:   Comic Con Portugal confirma presença de uma das maiores estrelas de Harry Potter

Falou por fim em projetos futuros, referindo que acredita que irá estar envolvida na série da Netflix “ainda durante algum tempo” por isso não tem mais nada alinhado.

E apesar das criticas à adaptação de “The Witcher” ao pequeno ecrã, Anna Shaffer acha natural que os fãs tenham altas expectativas acerca das adaptações de algo que gostam, e sente-se agradecida pelo facto dos fãs terem vindo a gostar mais das personagens. Para além disso, acredita que haverão ainda mais versões desta história para serem contadas e espera “que os fãs que não estão contentes encontrem a sua interpretação (preferida) no futuro”.

O que achaste da participação da atriz nesta edição da Comic Con Portugal? Vais acompanhar as restantes atividades?



Também do teu Interesse:


About The Author


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *