"Arcane" ©Netflix

Arcane, primeira temporada em análise

A colaboração entre a Riot Games e a Netflix entrega-nos “Arcane”, uma das melhores surpresas do ano, não só no que toca a animação, mas com uma narrativa triunfante. Fãs e desconhecidos de “League of Legends”, esta série é para vocês!

“Tell you you’re the greatest”

Ezreal, Lee Sin ou Thresh será que estes nomes vos dizem alguma coisa? Provavelmente sim, mas possivelmente também pode ter sido a primeira vez que os ouviram. De qualquer maneira, estes são os nomes dos champions mais populares do jogo “League of Legends”. “League of Legends” (LoL ou ás vezes só conhecido como League) é um videojogo multiplayer online de arena de batalha (MOBA) desenvolvido e publicado pela Riot Games. Inspirado em “Defense of the Ancients” (DotA) e “Warcraft”, a sua estreia em Outubro de 2009, viria a revolucionar o mundo dos esport, sendo atualmente citado por muitos como o maior esport do mundo, com um cenário competitivo internacional composto por 12 ligas. Só em 2019, o seu campeonato teve mais de 100 milhões de espectadores únicos, chegando a uma audiência simultânea de 44 milhões.

Nunca tendo jogado “Lol” a notícia de uma série animada da Netflix baseada neste universo, não me entusiasmou particularmente. No entanto, o trailer, com uma animação cativante e com uma mistura de estilos steampunk e fantasia, veio mudar a minha ideia e decidi dar-lhe uma oportunidade. Não podia ter decidido melhor.

Lê Também:
A grande aposta em E-Sports

Arcane” (“Arcane: League of Legends”) é assim anunciada na celebração do décimo aniversário de “League of Legends”, como uma série de televisão de streaming de animação para adultos. Situada no passado em relação ao universo de “League of Legends”, “Arcane” serve como uma prequela do jogo e reconta as histórias de origem de vários personagens de Piltover e Zaun. Um dos grandes pontos positivos da série começa logo pelo fato de atrair tanto os espectadores casuais que nunca jogaram a “League” quanto os fãs de longa data do jogo.

Produzida pela Riot Games e pelo estúdio de animação francês, Fortiche, a série viu a sua estreia na Netflix a 6 de Novembro de 2021. Após a estreia a série bateu o recorde de mais bem avaliada na Netflix no espaço de uma semana e alcançou o primeiro lugar no Top 10 da plataforma em 52 países. Quando a 20 de Novembro “Arcane” concluiu a sua primeira temporada, a Riot Games e a Netflix vieram rapidamente anunciar a sua renovação, prometendo que desta vez o tempo de espera não seria de 6 anos. Espera-se a estreia do novo capítulo após 2022.

Powder/Jinx
“Arcane” ©Netflix

Com um total de 9 episódios, a série foi repartida em atos de 3 episódios, sendo lançados uma vez por semana durante três semanas. A adaptação deve a sua criação a Christian Linke e a Alex Yee que também atuaram como argumentistas ao lado de Conor Sheehy, Ben St. John, David Dunne, Nick Luddington, Mollie Bickley St. John, Amanda Overton e o reconhecido Ash Brannon (argumentista de “Toy Story 2”).

Arcane” foi muito bem recebida de uma forma geral, apresentando um índice de aprovação de 100% no Rotten Tomatoes. Muitos acreditam estarmos mesmo perante o nascimento de um clássico. A verdade é que a série acerta em praticamente tudo, e no meio do brilhantismo destaca-se a esplêndida animação, a maravilhosa construção da história e do mundo, para além do impecável desenvolvimento e interpretação das personagens.

Arcane
“Arcane” ©Netflix

Fãs de aventura e animação, esta série é obrigatória para vocês. A harmonia entre fantasia, steampunk e sci-fi com a adição de uma narrativa cativante e crescentemente envolvente empurra-nos para uma experiência viciante e irresistível, que levará muitos a consumir a temporada de uma só vez.

Enquanto a estrutura dos episódios e a forma como a história nos é apresentada tem sido comparada com “Invincible” – outra grande estreia de animação em 2021; a originalidade da animação e o espanto provocado, com um domínio na mistura de desenho à mão e animação CGI, é apontada como a mais surpreendente desde “Spider-Man: Into the Spider-Verse“. “Arcane” tem ainda sido comparada com “Game of Thrones” devido a todos os jogos políticos do Conselho, com a recente “Shadow and Bone” com muitas semelhanças entre os seus mundos underground e principalmente entre Silco e Kaz, a ação de “Castlevania” e são vastos os elementos que chocam com os de “BioShock”.

É impossível também não referir o modo como a banda sonora se funde com a história e a animação. “Enemy” dos Imagine Dragons, o tema de abertura da série, tornou-se um dos pontos de referência de “Arcane”, mas também estão de parabéns os compositores Alexander Temple e Alex Seaver pelo trabalho exemplar.

Arcane
“Arcane” ©Netflix

Uma das grandes escolhas em “Lol” é a do champion com que vamos jogar, “Arcane” põe-nos um peso semelhante em cima com o de decidir qual a melhor personagem da série. É um quebra-cabeças saber se amamos ou odiamos Powder/Jinx, mas é inegável o quanto a sua personagem nos toca. Jinx surge como um género de Harley Quinn, dos tempos em que esta era exclusivamente uma vilã, e antes deste seu novo renascimento como anti-heroina. No outro lado da moeda temos a impulsiva e temível Vi, com uma completa aversão pela autoridade. É como se fosse uma Jessica Jones, um pouco menos alcoólica. Caitlyn é a detetive e pacificadora, que pretende trazer justiça a Piltover e Zaun, atuando também como contrapeso de serenidade à natureza de Vi. Jayce é o verdadeiro homem do progresso e o defensor do amanhã. Apesar de ter o coração no sítio certo, o aumento de poder e responsabilidade complicam as decisões que o inventor tem de tomar. Ao brilhante e focado cientista Viktor, só lhe falta mesmo o apelido de Frankenstein.

A completar a profunda e intrínseca caracterização das várias interessantes personagens está um elenco de vozes fenomenal. Hailee Steinfeld (“Hawkeye”) e Ella Purnell (“Army of the Dead”) protagonizam como Vi e Powder/Jinx, respetivamente. Kevin Alejandro (“Lucifer”) dá a voz a Jayce Talis, temos Katie Leung (Cho Chang da saga “Harry Potter”) como Caitlyn Kiramman, Harry Lloyd (“Brave New World”) como Viktor, Jason Spisak (“Young Justice”) no papel de Silco, Toks Olagundoye (“Castlevania”) como Mel Medarda, JB Blanc (“Breaking Bad”) dá a voz a Vander e Bolbok, e Reed Shannon interpreta Ekko. Nas versões infantis de Powder, Caitlyn e Ekko temos ainda Mia Sinclair Jenness, Molly Harris e Miles Brown, respetivamente. Sarah Williams atua como a voz musical de Jinx.

Zaun

“But once you turn they hate us”

O sucesso de “Arcane” apanhou muitos de surpresa, mas é uma popularidade acompanhada por uma elevada qualidade, numa das melhores estreias de séries da Netflix de 2021. Esperamos que a produção da 2ª temporada mantenha a qualidade, mas seja o mais rápida possível!

TRAILER | TODOS QUEREM SER O TEU INIMIGO NA ADAPTÇÃO DA NETFLIX DE “ARCANE: LEAGUE OF LEGENDS”!

Qual é a tua personagem favorita de “Arcane”?

Arcane, primeira temporada em análise
Arcane

Name: Arcane

Description: Fantasia e tecnologia. Utopia de Piltover e opressão de Zaun. A polaridade de "Arcane" põe duas irmãs do lado oposto, duas champions de League of Legends, a lutar por ideais divergentes.

  • Emanuel Candeias - 98
98

CONCLUSÃO

“Arcane” é uma experiência viciante e irresistível digna de um bom binge-watching. A adaptação em série de “League of Legends” da Riot Games é um clássico em formação que entra para a lista de melhores estreias da Netflix de 2021. Praticamente imaculada, a série é um exemplo de originalidade na animação, de fortes interpretações, personagens muito ricas e uma narrativa completamente envolvente.

Pros

  • Esplendida animação
  • “Enemy” dos Imagine Dragons
  • Narrativa extremamente cativante e um mundo muito bem construído e apresentado
  • Elenco impressionante

Cons

  • Vontade de querer ir jogar logo “Lol” para mergulhar mais neste universo
Sending
User Review
0 (0 votes)

Emanuel Candeias

Graduado em Hogwarts, foi head-boy de Ravenclaw. Aventurou-se durante uns tempos pela Middle-Earth e por Westeros, tendo feito grandes amizades na House Stark e com os elfos de Lothlórien. De forma a aprofundar os seus conhecimentos contactou grandes mentes como Doctor Banner, Doctor Strange e chegou mesmo a viajar com Doctor Who. Dedicou-se durante uma temporada a fortalecer a sua espiritualidade em Konoha, onde aprendeu com os mestres Goku e Naruto. Neste momento encontra-se perdido no Matrix. O seu sonho é vir a ingressar na Starfleet.

Emanuel Candeias has 251 posts and counting. See all posts by Emanuel Candeias

Leave a Reply