©Maggie Silva (MHD)

Comic Con Portugal 2021 | Painel Once Upon a Time Com Lana Parrilla

Durante 7 temporadas, Lana Parrilla foi uma das principais estrelas da série de Fantasia da ABC – “Once Upon a Time”. Na pele de Regina, a Rainha Má, Parrilla ficou nas bocas do mundo. Em 2021, foi uma das convidadas de honra da Comic Con Portugal. Estivemos presentes no seu painel e tomámos nota das questões colocadas pelos fãs! 

Lê Também:
Comic Con Portugal 2021 | Encontro entre a imprensa e Lana Parrilla

A conversa com os fãs, que decorreu no dia 10 de dezembro à tarde no Golden Theater (Altice Arena), centrou-se essencialmente no trabalho de Lana Parrilla como Regina na série “Once Upon a Time”, tendo a atriz admitido a dificuldade de se “divorciar” da personagem, isto porque “passava mais tempo a interpretá-la do que a viver a sua vida pessoal”. 

AS VITÓRIAS PESSOAIS DA SUA CARREIRA E O CANCELAMENTO DE ONCE UPON A TIME

Painel Lana Parrilla de Once Upon a Time
©Maggie Silva (MHD)

Quando “Once Upon a Time”  – OUAT – ( ou “Era uma Vez”) recebeu ordem de cancelamento, estava Lana Parrilla a celebrar a realização, por si levada a cabo, de um dos episódios de OUAT. De acordo com a atriz, Hollywood consegue ser um sítio difícil onde é preciso ter “thick skin” (ser resiliente) para sobreviver na indústria do entretenimento. Lana defende que na Terra do Cinema: “Há mais desilusões do que vitórias.

Quanto à realização de um episódio de OUAT, foi-lhe feita diretamente a proposta, a qual aceitou com amplo entusiasmo. Aliás, estava planeado que viria a realizar dois capítulos da temporada 8 – a qual nunca aconteceu.

Depois de 23 anos como atriz realizar surgiu como algo natural e estudar o processo de realização foi algo que apreciei muito.

Lana recorda também que esteve em 8 séries antes de atingir a fama global com “Once Upon a Time”. Contudo, ou não duraram tanto tempo ou a atriz integrou o elenco com a série já estabelecida, como aconteceu com “24”. “No que toca à minha carreira, Once Upon a Time colocou-me num patamar inteiramente distinto e estou muito grata por isso”. 

A atriz defende que valoriza muito tudo o que conseguiu alcançar e reconhece também que Regina era uma personagem interessante e atípica:

Esta não era uma dinâmica típica de Branca de Neve Vs Rainha Má, esta era uma história sobre vingança e castigo.

REGINA – UMA PELE DIFÍCIL DE ESQUECER 

Lana Parrilla de Once upon a time na Comic Con
@Maggie Silva (MHD)

 

Lana Parrilla reconhece que se tornou mais solitária ao interpretar Regina, mantendo-se algo afastada do resto do elenco durante as gravações, pelo menos durante os primeiros tempos e enquanto a sua personagem era mais “maléfica”. A atriz recorda que Robert Carlyle, o intérprete de Rumpelstiltskin, passou por um processo semelhante.

A intérprete de Regina recorda que tivera, inclusive, alguma dificuldade em divertir-se durante as gravações de “Once Upon a Time”, estando muito focada na personagem e colocando de parte eventos sociais aparentemente simples, como por exemplo saídas à noite.

Como um dos momentos favoritos da sua performance recorda o episódio musical, um momento que lhe permitiu ultrapassar medos enquanto dançava e cantava. No painel, Lana acabou por aceder ao pedido de uma fã, cantando um pouco enquanto recordava um dos anões da série, que tinha um grande fraquinho por ela, e que infelizmente faleceu há pouco tempo.

Já ao pensar nos momentos mais difíceis de interpretar na vida de Regina recorda a morte de Daniel como um momento “de partir o coração”. Todavia, defende que era essencial para a “Rainha Má” deixá-lo ir.  “Só assim se poderia encontrar”. 

QUE OUTROS HERÓIS E HEROÍNAS PODERIAM ENTRAR EM ONCE UPON A TIME? 

pesadelo em elm street 2010
© New Line Cinema

Questionada em relação a que outro Conto de Fadas gostaria de ver integrados na série da ABC que co-protagonizou, Lana admite que não via muita Disney à exceção das obras dos anos 90. Depois disso tornou-se uma “adolescente rebelde” que preferia assistir a filme de terror. Avança também que nunca foi uma apaixonada por princesas, preferindo mitologia grega e sereias mitológicas”.

Brincando, confessa que preferia ver Regina a lutar contra personagens icónicas de outros universos – como Freddy Krueger de “Pesadelo em Elm Street” ou até Darth Vader de “Star Wars”.

melissa mccarthy © Walt Disney Studios.
© Walt Disney Studios.

Entre heroínas de infância escolhe a vilã Ursula de “A Pequena Sereira” (filme que terá em breve um live-action) , a qual representou de certa forma em “Once Upon a Time”. “Os escritores tiveram em consideração os meus gostos, como sabiam que eu adorava a Ursula fizeram com que a interpretasse de certa forma e como gostava muito de Hansel and Gretel deixaram-me realizar esse episódio”. 

Lê Também:
Comic Con Portugal 2021 | Anjos e Demónios com Misha Collins

QUE OUTRA HEROÍNA OU VILÃ REPRESENTARIA LANA EM OUAT? 

Lana Parrilla admite que não quereria representar nenhuma outra personagem na série, uma vez que não é fã de princesas e considera a sua como uma das melhores personagens.

OUAT na CCPT (Once Upon a Time)
© 2017 American Broadcasting Companies, Inc. All rights reserved.

 

A atriz recorda também o guarda-roupa criado por Eduardo Castro para a Rainha Má, com “tudo ajustado ao meu corpo”. Lana reconhece que nem sempre as roupas eram confortáveis, por vezes passava até muito frio nas gravações, mas o resultado final era sempre a recompensa perfeita. De acordo com Lana Parrilla o designer de guarda-fatos de OUAT merecia ter vencido muitos prémios mas foi “ofuscado por Game of Thrones”.

Lana Parrilla demonstra algum ressentimento no que toca a este esquecimento, recordando que “Once Upon a Time” tinha um quarto do orçamento do gigante GOT (por episódio) e que ainda assim a equipa conseguia criar um produto final de elevada qualidade. Entre o guarda-roupa das 7 temporadas, recorda com carinho o vestido de veludo vermelho, e até confessa ter em casa uma versão desta vestimenta. Destaca também o vestido “super sexy” de borracha da temporada 3, o qual se encontra no seu roupeiro.

Como seria de esperar, a atriz tem a sua cave repleta de peças do guarda-roupa da série da ABC. Para além de roupa, admite que tem também em casa alguns dos espelhos de Regina e parte da sua coleção de perucas. Contudo, diz ser muito diferente de Regina e por isso nunca usaria o seu guarda-roupa casualmente: “sou muito hippie para a Regina, mas creio que ela gostaria de mim”. 

A PAIXÃO POR CRIAR PERSONAGEM REAIS E SIMPLES 

Antes da “Evil Queen”, Lana relembra que criou muitas personagens mais simples e reais, as quais aprecia largamente. Aprecia também maquilhagens mais simples no set, admitindo que a maquilhagem de Regina era por vezes pesada, o que a fazia “parecer mais velha”.

Não é por isso surpreendente que identifique o drama, especialmente os dramas psicológicos, como o seu predileto. Os seus papéis de sonha seriam semelhantes a fortes performances de atrizes femininas – como Ellen Burstyn, avassaladora em “Requiem for a Dream” ou Charlize Theron, irreconhecível física e psicologicamente em “Monster”.

Quanto à sua Regina, o traço de personalidade que prefere na personagem é mesmo a sua perseverança, a qual considera transponível para outras personagens que interpretou no passado. No que toca à sua capacidade de sentir empatia para com a Rainha Má, Lana Parrilla reconhece-o como essencial:

Porque não haveria de simpatizar com ela? Não poderia julgá-la se a estava a interpretar. Considero que teve razões válidas para fazer o que fez. Eu tinha de estar sempre do seu lado.

O DESAFIO RECENTE DE WHY WOMEN KILL (PARA VER NA HBO PORTUGAL) 

why women kill t2 hbo portugal
©HBO Portugal

 

“Adorei cada momento, este foi um dos melhores grupos com os qual trabalhei”, recorda Lana. A atriz recorda sentir-se como Marilyn Monroe com o vestido vermelho na abertura da série.

Uma pergunta mais geral, colocada pelo painel de fãs, relaciona-se com a sua preparação para representar qualquer papel. Lana Parrilla identifica 7 momentos ou componentes essenciais: 

1- Lavar o cabelo com um cheiro específico. Por exemplo, em “Once Upon a Time” usava o mesmo shampoo, ao longo de sete anos, que vinha numa garrafa preta, muito digno de Rainha Má. Este era o cheiro da Rainha.

2- Aquecimento vocal durante 15 a 40 minutos.

3 – Realização de alongamentos – acordar o corpo antes de representar é importante para a atriz.

4- Preparar uma chávena de chá.

5- Tomar vitaminas religiosamente.

6 – Preparar-se mentalmente para a cena em questão – libertar a mente.

7 – Ouvir música.

Estes são os rituais necessários para se tornar “a melhor versão de si mesma”.

A Comic Con Portugal decorreu, em 2021, entre os dias 9 e 12 de dezembro. Não deixes de acompanhar a nossa cobertura caso sejas fã do maior evento de cultura pop no nosso país! Quanto a “Once Upon a Time”, a série pode ser revista na Disney+.

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Maggie Silva has 431 posts and counting. See all posts by Maggie Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.