Fleabag © Amazon Prime

Emmys 2019 | Os melhores e piores momentos

No rescaldo da cerimónia dos Emmys 2019, decidimos juntar aqueles que considerámos terem sido os melhores e os piores momentos da noite. Será que concordas?

Numa noite sem um apresentador oficial, a organização da 71ª gala dos Primetime Emmys Awards foi organizada com recurso a várias presenças no palco – desde actores galardoados, a adorados comediantes e aos apresentadores dos talk shows nocturnos da televisão norte-americana.

E como em qualquer cerimónia de prémios, alguns momentos deixaram a sua marca positiva, a par de outros que nos fizeram questionar o processo criativo por trás da organização. Nós juntámos os piores e os melhores, excluindo a passadeira vermelha desta análise, e queremos saber se concordas connosco! Vai percorrendo a galeria para saberes do que falamos.

PIOR: FOX, FOX, FOX

simpsons fox
“The Simpsons” | ©2019-2020 Twentieth Century Fox Film Corporation.

Uma nota muito importante: não temos nada contra a FOX! Mas, se estamos numa cerimónia de prémios da televisão, não deveria a mesma ser ajustada à grande oferta que temos actualmente? Afinal de contas, houve nomeados da Amazon, da HBO, da Netflix, BBC, entre outros. É certo que a FOX esteve por trás da emissão dos prémios mas parece-nos que a organização levou o tema demasiado a peito quando vários momentos se tornaram uma promoção a todo o custo das séries do canal.

Lê Também:
Emmys 2019 | E os grandes vencedores são...

Com um início de cerimónia onde um sketch de Homer Simpson foi o destaque, passando por uma cena com Peter Griffin de “Family Guy”, ainda houve a promoção descarada de “The Masked Singer”, o programa de competição mais recente do canal. Com máscaras no palco, na carpete vermelha ou mesmo na montagem do melhor do ano, foi claro que a FOX enalteceu em grande os seus trabalhos. Um em particular que nos saltou à vista foi realmente na montagem das séries que foram canceladas, ou chegaram ao fim, este ano, onde o destaque foi para “Gotham” e nem “Orange is the New Black” chegou à montagem final.



PIOR: A VOZ OFF

lion king 2019
“O Rei Leão (The Lion King)” 2019 | © NOS Audiovisuais

Se não assistiram aos Emmys 2019 desde o início, poderá ter escapado, mas a voz-off apareceu no início da cerimónia e era Thomas Lennon. Com um discurso deveras sarcástico, ainda que com algumas notas de curiosidades sobre a cerimónia e carreira dos actores que o público gosta de ouvir, ficou muito além do expectável. Da cerimónia toda, talvez os seus piores momentos tenham sido a referência à prisão de Felicity Huffman (“Donas de Casa Desesperadas”), o trocadilho do filme “The Lion King” por Talking Lions: The Movie, a sua tentativa de sotaque sueco ou a tentativa de comédia com a vitória de Craig Mazin quando anunciou “More like Craig A-Mazin”. Numa noite onde o humor esteve bem presente, a voz off ficou em falta.



PIOR: UMA CRISE DE IDENTIDADE

Bryan Cranston
Your Honor | © HBO Portugal

Assustados com as audiências que as cerimónias têm conquistado nos últimos anos, e talvez impulsionados pela última cerimónia dos Óscares, as mentes da Academia de Televisão decidiram apostar na cerimónia sem anfitriões. Não seria um problema, se todo o espectáculo tivesse sido organizado de outra forma. Os sketches preparados pela organização revelaram que nem a equipa sabia muito bem qual o rumo a adoptar; Bryan Cranston caracterizou o espectáculo como uma confusão nos seus primeiros 5 minutos de discurso, Thomas Lennon lançou uma farpa que a razão pela qual as pessoas não fazem este género de espectáculos é porque não prestam, e o próprio número musical de Adam Devine foi confuso.



PIOR: A DUPLA DE “THE MASKED SINGER”

FOX
The Masked Singer é um dos nomeados na categoria | © FOX

A pior dupla de apresentadores de toda a cerimónia é capaz de ter sido da própria casa, FOX. Nick Cannon e Keon Jeong, do programa “The Masked Singer”, foram entregar um prémio mas o seu sketch foi de longe o pior, sem objectivo e mais entediante de todos. Procurando alguma interacção do público com um vídeo da sua filha, o momento foi longo, esquisito e desconfortável até.



PIOR: FALTA DE COERÊNCIA

Game of Thrones
Game of Thrones | © HBO Portugal

Todos os anos são várias as séries favoritas do público que chegam ao fim. Umas porque terminou a sua história, outras por cancelamentos, mas todas com um final ditado. O que não se percebeu nesta cerimónia no entanto, foi a aparente necessidade de realçar apenas algumas séries em particular. De séries que tiveram o seu final anunciado, apenas “Veep” e “Game of Thrones”, ambas da HBO, tiveram direito a um momento especial. O elenco de GoT subiu todo ao palco, com uma pequena homenagem ao trabalho, possibilitando ao elenco nomeado deixar umas palavras de agradecimento. Já de “Veep”, foi possível ver o elenco junto uma últimavez em cima do palco, apresentando um prémio e fazendo clara alusão à dinâmica divertida da série.

Mas fica a pergunta.. porquê apenas estas? “The Orange Is The New Black” também acabou, Laverne Cox estava inclusive nomeada para um prémio, mas a série pareceu ficar completamente de fora da cerimónia por exemplo.




MELHOR: BOB NEWHART

Zoolander
Os olhares Blue Steel e Magnum de Derek (Ben Stiller) e Hansel (Owen Wilson)

Sem apresentador definido, a produção voltou-se para os pequenos sketches e o primeiro foi de nostalgia pura e com um toque de comédia que não deixou ninguém indiferente. Com Ben Stiller a reviver algumas das personagens mais icónicas do mundo da comédia, como George Burns e Lucille Ball, o actor pára ao lado de um Bob Newhart, bem vivo. O veterano de 90 anos provou estar ainda apto para dar o melhor de si, colocando-se numa posição de confronto com Ben Stiller afirmando ser uma lenda que daria conta dele, e finalizando com a nota que o tinha odiado em “Tropic Thunder” (mas sempre com um toque de humor!).



MELHOR: DISCURSOS

Patricia Arquette
Patricia Arquette

Já se sabe que os palcos das cerimónias de prémios são uma escapatória para os artistas espelharem por vezes as suas convicções políticas e pessoais, e desta vez não foi diferente nos Emmys 2019. No entanto, talvez pelo tom adoptado pela maioria dos vencedores, foram temas que ressoaram nas audiências, mas sem se tornarem o grande foco da noite.

Num tom que invocava os assuntos políticos à experiência pessoal de cada um, realçamos os momentos no palco de Patricia Arquette (Melhor Actriz Secundária numa Série Limitada ou Telefilme – “The Act“), Michelle Williams (Melhor Actriz numa Série Limitada ou Telefilme – “Fosse/Verdon”) e Peter Dinklage (Melhor Actor Secundário Drama – “Game of Thrones“). Arquette apelou ao movimento transgénero e à atenção que a população deveria ter, especialmente à perseguição que ainda se sente, fazendo referência à sua própria irmã Alexis, já falecida, que era actriz e uma activista transgénero.

Lê Também:
Emmys 2019 | Competição entre co-protagonistas

Michelle Williams falou sobre os direitos de igualdade entre géneros, não só nos ordenados mas também nas questões de apoio ao trabalho de todos, aludindo ao facto dos executivos de “Fosse/Verdon” não terem poupado a custos e lhe terem dado a oportunidade de várias aulas e formações para enriquecer o seu trabalho.

Já Dinklage aludiu à importância da diversidade, porque noutros tempos, e noutros locais na actualidade, ele poderia nem estar a pisar aquele palco para receber o prémio pelo qual foi nomeado.



MELHOR: O TRIUNFO DE PHOEBE WALLER-BRIDGE

Melhores séries 2019
Apesar de não ter entrado no top 10, “Fleabag” é uma das nossas menções honrosas | © 2016 Amazon Studios

“O” nome da noite foi apenas um: Phoebe Waller-Bridge. Nem a sombra das nomeações de “Game of Thrones” ou a possibilidade de Julia Louis-Dreyfus se tornar a actriz com mais Emmys foram suficientes para afastar a estrela da noite e da 71ª gala.

Ao todo, Phoebe Waller-Bridge arrecadou três Emmys, todos pela sua série “Fleabag“. Com distinções de Melhor Actriz numa Série de Comédia, Melhor Argumento de Série de Comédia e Melhor Série de Comédia, Waller-Bridge subiu trêz vezes ao palco para receber os Emmys. No final, já não sabendo como reagir ao sucesso do seu projecto, apenas referiur “This is just getting ridiculous” (trad. livre: Isto já se está a tornar rídiculo).

Lê Também:
Emmys 2019 | Os episódios a ver antes da cerimónia

Para além dos prémios conquistados, damos também os parabéns a Phoebe Waller-Bridge pelo seu momento de apresentação ao lado de Bill Hader. Juntamente com o actor, foram os responsáveis por atribuir o Emmy de Melhor Série Limitada, num sketch onde reinou o humor e conseguiram descrever de uma forma única e caricata cada um dos nomeados à categoria.




MELHOR: AS PRIMEIRAS VITÓRIAS

Pose
Billy Porter em Pose | © FX

Numa cerimónia em que muitos dos vencedores também foram totais surpresas para o público, houve dois que se destacaram por terem entrado na história nas “primeiras vitórias”.

Billy Porter, o protagonista de “Pose”, de Ryan Murphy, ganhou o Emmy de Melhor Actor numa Série Dramática e tornou-se assim o primeiro afro-americano gay a ganhar um prémio da Academia de Televisão. Já Jharrel Jerome, o jovem que conquistou o Emmy de Melhor Actor numa Série Limitada ou Telefilme por “When They See Us“, foi o primeiro afro-latino a conquistar um prémio. Com momentos de distinção no palco, foram ambos elegantes no seu discurso de agradecimento a todos os que os ajudaram a chegar àquele momento.




MELHOR: RECORDES ALCANÇADOS

Peter Dinklage
Peter Dinklage em “GoT” | © HBO

Um dos últimos prémios da noite, o de Melhor Actor Secundário por uma Série Dramática, deu lugar a mais um momento de recorde na história dos Emmys. Peter Dinklage, o actor que deu vida a Tyrion Lannister durante as oito temporadas de “Game of Thrones”, ganhou o cobiçado Emmy, que se tornou a sua quarta vitória pelo mesmo papel.

Com esta vitória, Peter Dinklage destacou-se dentro dos vencedores desta categoria e tornou-se assim o primeiro actor a conquistar quatro Emmys pelo mesmo papel, na mesma categoria.

E tu, o que tens a dizer da cerimónia? Também concordas que houve melhores momentos do que piores?

Marta Kong Nunes

Fanática de cinema e séries por pura paixão, sou da geração Disney mas também das Tartarugas Ninjas, Motoratos e afins. Já passei pela obsessão de vários géneros de cinema e apesar de me considerar eclética, nada me tira o gozo de um bom filme de acção (por muito irrealista que seja). Séries também se devoram por cá, mas a magia de um filme, será sempre a magia de um filme!

Marta Kong Nunes has 3075 posts and counting. See all posts by Marta Kong Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.