Leonardo DiCaprio e Brad Pitt | © Big Picture Films

Era uma vez em… Hollywood | Entre a realidade e a ficção

Em “Era uma vez em…Hollywood,” Quentin Tarantino mistura a realidade com a ficção, alternando entre personagens que de facto existiram e outras que saíram diretamente da sua mente, destinadas a salvar o dia!

Tarantino leva-nos até 1969, a uma Hollywood ainda marcada pelos dourados anos 50, mas que, ao mesmo tempo, se tenta despegar deles. É dentro deste contexto que somos apresentados às personagens de “Era uma vez em…Hollywood,” onde a ficção se interliga habilmente com a realidade.

1 de 12
once upon a time in hollywood
Cliff Booth (Pitt) e Rick Dalton (DiCaprio) são das poucas personagens ficcionais do filme | © Big Picture Films

Ainda que seja um mosaico de histórias, o nono filme de Tarantino centra-se no ficcional Rick Dalton (Leonardo DiCaprio) e no seu duplo Cliff Booth (Brad Pitt). Com a carreira a entrar numa espiral de declínio, Dalton entra em êxtase quando descobre que duas das mais famosas celebridades da cidade são os seus novos vizinhos: Roman Polanski e Sharon Tate. O problema é que o ator não é o único a descobrir os novos habitantes de Beverly Crest, já que Charles Manson (ainda que só por uma cena) também ‘passa por lá,’ casualmente à procura dos antigos moradores.

Lê Também:
Era uma vez em…Hollywood, em análise

Descobre quem são as estrelas de Hollywood do final da década de 60, que Tarantino incluiu em “Era uma vez em…Hollywood.”

1 de 12

Inês Serra

Cresci a ir ao cinema, filha de pais que iam a sessões duplas...Será genético? Devoro livros e algumas séries. Fã incondicional do fantástico e do sci-fi. Gostaria de viver todos os dias com o mote Spielbergiano - "I dream for a living"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *