Mikhaël Hers © 2021 Nord-Ouest Films, Arte France Cinema

72ª Berlinale: Berlim Short? Competição Grande!

A Berlinale 2022 apresentou hoje a sua versão short (que afinal não é assim tão short!) das duas secções competitivas mais importantes: Competição Oficial e Encounters e também a Berlinale Speciale (fora de Concurso). A 72ª Berlinale vai decorrer presencialmente e streaming só para a indústria e mercado

A edição presencial da 72ª Berlinale-Festival Internacional de Cinema de Berlim, vai decorrer de 10 a 16 de Fevereiro (até 20 prioritariamente para o público alemão), com sobretudo com uma selecção de filmes da Competição e na Encounters, muito interessante, tendo em conta as limitações em geral, provocadas pela Covid-19; e com a presença de cineastas de primeira linha como Claire Denis, Lucrecia Martel, Hong Sangsoo, Dario Argento ou Bertrand Bonello, entre outros. O júri desta 72ª Berlinale será presidido pelo cineasta norte-americano M. Night Shyamalan e a actriz francesa Isabelle Huppert vai receber um Urso Honorário de Carreira. Devido às exigências impostas pela pandemia de covid-19, a aparentemente o número de filmes foi reduzido (mas não parece!) e a lotação das salas será limitada a 50%, o que vai limitar muito a nossa cobertura, ainda mais pela necessidade de testagens quase diárias. Por isso, a Selecção Oficial será apresentada num período mais curto que o habitual, entre 10 e 16 de Fevereiro. Os prémios do júri oficial serão anunciados a meio da semana, na quarta 16 de fevereiro; os restantes quatro dias do festival, de 17 a 20 e até domingo, destinam-se prioritariamente ao público e cinéfilos alemães. A imprensa não terá prioridade e entrará se houver lugar.

74ª Berlinale

Aliás, foi com breves palavras de afirmação da necessidade imperiosa desta 72ª Berlinale, acontecer, em segurança e com riscos mínimos, mas ser um festival presencial e em salas de cinema, que a recente dupla directiva da Berlinale, Mariette Rissenbaek e Carlo Chatrian anunciou o programa competitivo, que faltava para conhecer-mos na totalidade a Selecção Oficial: ‘Acreditamos que a experiência colectiva de ver um filme em sala é a natureza de um festival de cinema, e sobretudo do Festival de Berlim’. É efectivamente com entusiasmo e surpresa que vamos assistir à estreia mundial dos novos filmes de Claire Denis, Bertrand Bonello, Hong Sang-soo, Paolo Taviani, Rithy Panh (na Competição Oficial) ou as novas obras de Ulrich Seidl, Lucrecia Martel, Alain Guiraudie, Dario Argento ou Quentin Dupieux na Berlinale Speciale (fora de concurso). 

74ª Berlinale
Mediatrice Kayitesi, Aline Amike in Father’s Day by Kivu Ruhorahoza © Iyugi Productions

A Competição Oficial, reune incrivelmente um total de 18 filmes, imenso para seis dias (com a extensão de mais quatro) e reúne nomes ilustres do cinema de autor, para além do já anunciado filme de abertura ‘Peter von Kant’, de François Ozon. Assim, na competição principal, destacam-se o novo filme da francesa Claire Denis, intitulado ‘Avec Amour et Acharnement’, protagonizado por Juliette Binoche e Vincent Lindon, e ‘The Novelist’s Film’, mais uma obra do prolífico Hong Sang-Soo. Efectivamente é a terceira vez consecutiva que o cineasta coreano integra a Competição da Berlinale depois de ‘A Mulher que Fugiu’, (2020), e ‘Introduction’, (2021). O veterano italiano Paolo Taviani, apresenta pela primeira vez um filme, após a morte do seu irmão Vittorio (com quem venceu o Urso de Ouro 2012 com ‘César Deve Morrer’), intitulado ‘Leonora Addio’, baseado na obra da obra do escritor e dramaturgo Luigi Pirandello; o polémico e controverso realizador austríaco Ulrich Seidl apresenta uma história de ficção intitulada, ‘Rimini’. Na linha do cinema autoral de intervenção social, estão os novos filmes da suíça Ursula Meier com ‘La Ligne’; do cambodjano Rithy Panh, com mais um documentário ‘Everything Will be OK’ (na continuidade do anterior ‘A Imagem que Falta’); e o do realizador canadiano Denis Côté, (‘Higiene Social’) que regressa pela quarta vez à selecção oficial de Berlim, desta vez com ‘Un Été Comme Ça’. 

François Ozon filme
Peter Von Kant @74ªBerlinale

Para além deste conjunto de cineastas reconhecidos presentes, esta edição da 72ª Berlinale abre igualmente uma oportunidade para o lançamento de um conjunto de novos cineastas e possíveis revelações como: a espanhola Carla Simón, com ‘Alcarràs’; o francês Mikhaël Hers, com ‘Les Passagers de la Nuit’, protagonizado por Charlotte Gainsbourg e Emmanuelle Béart, ali um cineasta que tem tido uma presença constante no IndieLisboa; o espanhol Isaki Lacuesta, que já não é propriamente uma revelação pois teve uma retrospectiva no Curtas Vila do Conde 2018 com ‘Un año, una noche’, com Noémie Merlant e Nahuel Pérez Biscayart. É um filme muito aguardado por causa da sua abordagem ao o ataque terrorista ao Bataclan de Paris em 2015. 

Na Competição principal vão estar igualmente:  ‘A Piece of Sky’, do suíço Michael Koch; ‘Nana’, de Kamila Andini; ‘Rabiye Kurnaz vs. George W. Bush’, do alemão Andreas Dresen; ‘Robe of Gems’, da mexicana Natalia López Gallardo (a fogosa mulher de Carlos Reygadas, estreia-se assim na realização); ‘Return to Dust’, do chinês Li Ruijun. E por ultimo expectativa para ‘A E I O U – A Quick Alphabet of Love’, da alemã Nicolette Krebitz e ‘Call Jane’, da norte-americana Phyllis Nagy (foi argumentista de ‘Carol’ de Todd Haynes), com Sigourney Weaver e Elizabeth Banks;

74ª Berlinale
Zoey Deutch, Mark Rylance in The Outfit by Graham Moore © Nick Wall / Focus Features

A Encounters, a secção competitiva iniciada em 2020 para acolher cineastas que ‘procuram tratar o cinema como um campo de inovação artística’, apresenta 15 estreias mundiais. E para uma versão short em dias de projecções, há que aproveitar ao máximo porque o calendário de visionamentos vai ser muito apertado. Senão vejamos: ‘Coma’, do francês Bertrand Bonello (‘Apollonide – Memórias de um Bordel’), ‘À Vendredi, Robinson’, um documentário de Mitra Farahani, que é na verdade uma conversa entre os dois grandes mestres do cinema, Jean-Luc Godard e o iraniano Ebrahim Golestan. Nesta secção competitiva estrearão também ‘Flux Gourmet’, o novo filme do britânico Peter Strickland, (‘Berberian Sound Studio’), um cineasta que foi revelado em edições anteriores da Berlinale. Selecionados também para esta secção estão o argentino Gastón Solnicki (‘A Little Love Package’), a documentarista austríaca Ruth Beckermann (‘Mutzenbacher’) e ‘Journal d’Amérique’ do francês Arnaud des Pallières. 

Para além das secções competitivas foi anunciada a Berlinale Special, a habitual secção de antestreias. Destaque em primeiro lugar para ‘Terminal Norte’, a nova curta-metragem da argentina Lucrecia Martel; e depois para ‘This Much I Know to Be True’, um documentário de Andrew Dominik, que acompanha o trabalho do músico Nick Cave durante o confinamento, filmes que vão ser dois momentos importantes desta secção fora da competição. Há ainda o ‘Occhiali Neri’, de Dario Argento, mais um filme do veterano mestre italiano do giallo, e ‘Incroyable mais vrai’, do sempre provocador e desconcertante realizador francês Quentin Dupieux (‘100% Camurça’). O francês Alain Guiraudie (‘O Desconhecido do LagoouNa Vertical’), estreará igualmente ‘Viens je t’emmène’, o seu novo filme, desta vez na secção paralela Panorama, dedicada a filmes que abordam temas mais fracturantes, cuja programação foi anunciada há poucos dias. 

72ª Berlinale
By Flávio de Pedro Cabeleira

Esta 72ª Berlinale terá cerca nove participações portuguesas (7 filmes, 1 série e mais João Nunes Monteiro nas Shooting Stars), com destaque para curta-metragem ‘By Flávio’, de Pedro Cabeleira, na Berlinale Shorts e portanto candidata a um Urso de Ouro, na linha de realizadores portugueses que já o ganharam. Vão estar ainda quatro longas-metragens nacionais, na secção Forum (‘O Trio em Mi Bemol’, de Rita Azevedo Gomes, ‘Mato Seco em Chamas’, de Joana Pimenta e Adirley Queirós, ‘Super Natural’, de Jorge Jácome, e ‘Terra que Marca’, de Raúl Domingues) e mais dois filmes em competição na secção paralela juvenil Generation (a longa-metragem ‘As Águas de Pastaza’, de Inês T. Alves, e a curta ‘Aos Dezasseis’, de Carlos Lobo). Uma oitava presença, e não menos importante é ‘Vanda’, a serie criada por Patrícia Müller para a SIC/Opto, que será apresentada no Mercado Europeu do Filme (em streaming), na secção Berlinale Series Selects. 

JVM

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colaborou no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’  (2014) e 'Mar Urbano Lisboa (2019). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’ (2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’ (2012), Mostras de Cinema da América Latina (2010 e 2011), 'Vamos fazer Rir a Europa', (2014), Mostra de Cinema Dominicano, (2014) e Cine Atlântico, Terceira, Açores desde 2016, até actualidade. Foi Director de Programação do Cine’Eco—Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela de 2012 a 2019. É membro da FIPRESCI.

José Vieira Mendes has 524 posts and counting. See all posts by José Vieira Mendes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.