Midsommar © A24

Midsommar | Os filmes que influenciaram Ari Aster

Com a estreia de “Midsommar” e a vinda de Ari Aster ao MOTELx, a MHD destaca o que ver antes da estreia do filme de terror do ano.

“Midsommar: O Ritual” é apenas a segunda longa-metragem do cineasta norte-americano Ari Aster, após o aclamado “Hereditário”, estreado em Portugal no ano passado e que até foi considerado como um dos possíveis nomeados aos Óscares. Tal não aconteceu, mas só o facto de ser bastante comentado, popular e criticamente, prova que Aster quer deixar a sua marca e que não está aqui de passagem.

Além do mais, Aster regressa este ano e o facto de estrear uma nova obra cinematográfica em apenas 1 ano, leva-nos a questionar como é que um realizador tão jovem conseguiu revolucionar o género do terror em tão pouco tempo. A resposta talvez se encontre nas suas fontes de inspiração, que a Magazine.HD decidiu investigar. Digamos que Aster é mesmo conhecedor do género e das suas matrizes, revertendo-as e oferecendo-as como fruta fresca aos espectadores contemporâneos, sedentos por grande cinema de terror.

1 de 11

Ao contrário de “Hereditário”, que decorre no ambiente fechado e sufocante do lar familiar com Toni Colette como matriarca à beira de um ataque de pânico, “Midsommar” é um filme de espaços abertos e não tem nada que ver com o primeiro projeto de Aster. O filme até começa com um drama familiar, mas destaca-se essencialmente pelos seus cenários e espaços amplos, além de desenrolar-se em plena luz do dia. Só isto, prova ser elemento contraditório à maioria dos filmes de terror focados na escuridão como instigadora do medo.

Com o subtítulo português “O Ritual”, o filme coloca-nos diante a um casal – Dani (Florence Pugh, de “Lady MacBeth”) e Jack Reynor (de “Sing Street”) – que viaja até à Suécia para participar no famoso festival de Verão (as populares Festas Juninas) daquele país nórdico. Contrariamente ao que pensavam, o ambiente de festa na terra do sol da meia-noite começa pouco a pouco a revelar-se sinistro e leva-os a questionarem a sua própria realidade e até a relação.

midsommar
Florence Pugh em “Midsommar – O Ritual” (2019), um filme de terror mais luminoso da História do Cinema |©A24

Muito se diz por aí que “Midsommar: O Ritual” renova outro filme de terror sobre cultos pagãos: “O Sacrifício” (1973), protagonizado por Christopher Lee, Edward Woodward e Diane Cilento, e que teve direito a um remake em 2006 com Nicholas Cage e Ellen Burstyn. No entanto, a obra de Ari Aster não deixa de ser um filme original, que se sacia por alguns dos projetos mais amados do cineasta de apenas 33 anos.

Por esta razão, e para te deixares levar pelo grande cinema, recomendamos uma lista de filmes que influenciaram Aster e o seu “Midsommar”. As influências vão desde o ano de 2018,até aos filmes de Michael Powell e Emeric Pressburger estreados há mais de 70 anos atrás, aquando do pós-segunda guerra mundial (momento determinante pela reconfiguração das temáticas nos filmes de terror e do suspense com foco no medo do outro e do desconhecido).

Para quem é fã de um grande filme de terror não deve mesmo perder a estreia de “Midsommar: O Ritual” na 13ª edição do MOTELx, que acontece em Lisboa no início de setembro (programação aqui). O próprio Ari Aster estará presente na projeção que ocorre no Cinema São Jorge, para apresentar o filme e comentá-lo com os espetadores.

A lista dos filmes que influenciaram Ari Aster e o seu “Midsommar” são apresentados a seguir, segundo ordem decrescente relativa ao seu ano de produção. Recomendamos que assistas a estes filmes depois de Midsommar, sobretudo pelos spoilers que possam ser dados.

(ALERTA: SPOILERS!)

1 de 11

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *