"Tio Tomás, a Contabilidade dos Dias", um dos vencedores deste festival digital, pode ser encontrado nesta sessão |©Monstra

MONSTRA EM CASA | Competição de Curtas 4, em análise

A MONSTRA EM CASA é uma ambiciosa proposta da MONSTRA – Festival de Animação de Lisboa para conseguir garantir a concretização do Festival durante a crise da Pandemia do COVID-19. O festival regressou através do online a dia 25 de maio e termina hoje, dia 31. 

A edição de 2020 da MONSTRA assinalava os 20 anos do evento e deveria ter acontecido entre 18 e 29 de março. A inédita situação de confinamento e isolamento social levou a uma reorganização e assim nasceu a MONSTRA EM CASA, uma selecção online composta por quatro sessões de curtas: internacionais, estudantes, portuguesas e curtíssimas, apresentadas ao longo de 12 sessões, num total de 169 filmes disponibilizados na plataforma Kinow. Em setembro serão exibidas em sala as longas-metragens e o que ficou a faltar da restante programação do certame. Por agora, são já conhecidos os vencedores destas quatro competições iniciais.

Depois de analisadas três sessões de competição de curtas internacionais partimos agora para a quarta. Este novo programa inclui trabalhos de Regina Pessoa, Ami Lindholm, Cesar Díaz Meléndez, Dahee Jeong, Florian Grolig, Delia Hess, Maria Steinmetz & Andrea Martignoni e Michaela Mihalyi & David Štumpf num total de 8 curtas e 1h19 de duração.

1 de 8

1- “MÃE E LEITE” DE AMI LINDLHOLM (FINLÂNDIA, 2019, 11′)

Monstra 2020
©Monstra

Mãe e Leite descreve as grandes mudanças psicológicas que surgem com a maternidade. Quando o bebé nasce, a mãe tem que abandonar a vida que conhecia. Uma onda de leite materno inunda tudo à sua volta – a sua casa, trabalho, amigos, relações e até uma noite bem dormida. Uma comédia absurda sobre amamentar e a montanha russa emocional por que passa uma nova mãe.

Esta curta de comédia fantasiosa serve-se de um poderoso símbolo visual para exemplificar as atribulações da amamentação, exacerbando e recorrendo à hipérbole para retratar o pânico das novas mães – não deixando de tornar este conteúdo relacionável para qualquer um que o veja: seja mulher, homem, mãe ou não.

Aqui se apresenta um orgulhoso e imaginativo esforço que pretende eclipsar um taboo instaurado por uma sociedade patriarcal. “Mãe e Leite” é hilariante e pertinente, e há que deixar os parabéns a quem o fez e também a quem o selecionou para esta competição.

Vale ainda a pena recordar que esta curta não deixa esquecida a perspetiva masculina, tornando esta uma experiência partilhada, como não deve deixar de ser.

Classificação: 80/100

1 de 8

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *