Rachel Weisz em "A Favorita" (2018)| © Fox Searchlight Pictures

Rachel Weisz, os filmes essenciais

Rachel Weisz, uma das melhores intérpretes da sua geração, completou ontem, a 7 de março de 2020, 50 primaveras!

A atriz britânica – naturalizada norte-americana- começou a sua carreira na televisão, no início dos anos 90, e desde então construiu um invejável historial no cinema com papéis marcantes em longas-metragens como “O Fiel Jardineiro” (2005) ou “A Favorita” (2018).

Rachel Hannah Weisz nasceu em Londres, a 7 de março de 1970. É filha de uma terapeuta austríaca de raízes italianas e de um inventor húngaro de origem judaica. Os seus pais chegaram a Inglaterra no período imediato pré-Segunda Guerra Mundial, enquanto crianças, com o intuito de fugir ao regime nazi.

Aos 14 anos, Weisz começou uma carreira enquanto modelo e foi-lhe oferecido o papel de filha em “O Rei David”, sobre David, o segundo Rei da Israel unificada, em 1000 A.C. A jovem acabou por recusar o papel no filme de 1985 protagonizado por Richard Gere, o que atraiu atenção mediática para si.

Foi durante os seus estudos na Universidade de Cambridge – onde estudou Inglês e se formou com louvor- que colocou em prática a sua paixão pelas artes teatrais. Em Cambridge, co-fundou a companhia de teatro “Talking Tongues”, a qual viria a vencer um prémio no Edinburgh Festival Fringe  – um proeminente festival artístico. Apesar da sua longa jornada no cinema, Rachel Weisz continua a marcar presença no teatro como uma parte essencial do seu corpo de trabalho.

Ao longo da sua carreira cinematográfica, representou mulheres fortes e auto-determinadas, e nos últimos anos tem reforçado uma filmografia fora da norma e que intercala filmes de estúdio com papéis num circuito mais alternativo – trabalhando constantemente com realizadores de referência e escolhendo, com cada vez mais acentuada minúcia, as personagens a quem dá vida.

Hoje, comemoramos o seu aniversário com a recuperação dos filmes essenciais que marcam a sua carreira!

1 de 17

BELEZA ROUBADA (1996) 

Beleza Roubada Rachel Weisz
Rachel Weisz em “Beleza Roubada” (1996) |©Fox Searchlight Pictures

Na primeira metade dos anos 90, Rachel Weisz iniciou a sua carreira com pequenos papéis em séries televisivas. Entre elas, séries de época como “The Advocates” (1991) ou “Scarlet and Black” (1993). O papel que mais notoriedade inicial lhe conferiu foi a interpretação teatral no West End da personagem Gilda, numa nova versão da peça “Design for Living” de Noël Coward (1995).

No cinema, o seu primeiro pequeno  papel foi no filme de terror britânico “Death Machine” (1994) – uma homenagem ao género e aos seus criadores.

Foi com “Stealing Beauty”, ou “Beleza Roubada”, de 1996, que começou a obter atenção por parte da crítica especializada. O filme do falecido Bernardo Bertolucci (“O Último Tango em Paris, “O Último Imperador”), protagonizado por Liv Tyler e Jeremy Irons, narra a história de uma jovem  que viaja para Itália à procura de respostas após o suicídio da sua mãe. Aqui, Rachel Weisz dá aqui vida a uma  personagem  secundária chamada Miranda.

Esta obra nomeada à Palma de Ouro inclui-se aqui não como grande interpretação de Weisz, mas antes como uma marca dos seus primeiros passos na ficção cinematográfica.

1 de 17

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *