"Tudo em Todo o Lado Ao Mesmo Tempo" | © NOS Audiovisuais

TOP MHD | Os melhores posters de 2022

Desde maximalismos psicadélicos a pinturas misteriosas, os melhores posters de cinema do ano passado levam-nos por uma panóplia de opções estilísticas. Quem disse que o objeto publicitário não pode ser arte também?

Já é tradição, aqui pela Magazine.HD, que cada ano comece com a retrospetiva do ano que passou. Por isso mesmo, está na altura de ponderar os melhores feitos cinematográficos de 2022, desde os filmes em si até ao seu material promocional. Apesar de vivermos uma era negra para a arte do poster, com plataformas online cada vez menos interessadas em seguir esse caminho comercial, muito belo trabalho continua a ser feito. De facto, até os maiores magnatas do streaming podem abrir as portas ao sublime design, especialmente quando se busca prestígio da indústria e a curiosidade do espetador com ambições que vão além da distração.

Para elaborar o nosso top 10, o critério é simples. Os melhores posters do ano têm que ter sido primeiro divulgados entre 1 de Janeiro e 31 de Dezembro de 2022, podendo referir-se a filmes originalmente lançados em qualquer ano. O que interessa é o design em si. Além disso, optámos por excluir coleções de cartazes, tentando analisar cada caso enquanto objeto individual.

white noise melhores posters
© Netflix

Isso quer dizer que há necessidade de uma menção honrosa. “White Noise,” também conhecido como “Ruído Branco,” foi um dos grandes títulos da Netflix em finais do ano passado. Para celebrar a ocasião, foi elaborada uma avantajada campanha com posters desenhados por uma variedade de artistas. Este trio inspirado na cenografia satírica do filme é belíssimo, justapondo as personagens em crise pessoal com uma cultura em crise consumista. A pessoa torna-se num produto nestes posters cómicos.

Sem mais demoras, passemos para o top 10 em si, explorando os melhores posters de 2022 em ordem de ascendente qualidade…

Lê Também:
TOP MHD | Os melhores posters de 2021




10. X

x melhores posters
© NOS Audiovisuais

O primeiro trabalho na saga de Maxine e Pearl, novas rainhas do terror, vai buscar inspiração ao cinema erótico dos anos 70. Sem cair no pastiche descarado, há um apelo a estéticas retro neste cartaz, com alguma ousadia contemporânea para rematar a imaginação perversa de Ti West. As pernas cruzadas como reflexo do título é uma ideia fantástica e toda a história cromática do design merece palmas.

Lê Também:
Os melhores filmes de 2022 | As escolhas dos críticos




09. TUDO EM TODO O LADO AO MESMO TEMPO

tudo em todo o lado ao mesmo tempo
© NOS Audiovisuais

A grande revelação do ano, esta comédia de ação a resvalar em drama geracional brinca com o maximalismo dramatúrgico do princípio ao fim. Por consequência, os seus melhores cartazes são aqueles que incorporam as noções de caos organizado, caindo na loucura da ilustração psicadélica e personagens multiplicadas em jeito de caleidoscópio. De facto, todos os trabalhos desta campanha merecem amor, sendo que podíamos encher a lista de melhores posters de cima abaixo com exemplos deste singular filme, seus universos infinitos e irreverência total. Este favorito para os Óscares tem poster a condizer com a sua qualidade.

Lê Também:
Tudo em Todo o Lado ao Mesmo Tempo, em análise




08. CORSAGE – ESPÍRITO INQUIETO

top mhd corsage melhores posters
© Pris Audiovisuais

Cartazes repletos de citações tendem a ser enfadonhos esquemas de design gráfico sensabor. Contudo, de vez em quando, lá se afigura um exemplo extraordinário, essa lendária exceção que prova a regra. Assim é o caso deste poster de “Corsage,” onde a prestação da atriz principal é posta em destaque através da aclamação crítica. O que torna este poster num dos melhores do ano é o contraste entre a imagem cerimonial da Imperatriz Sissi pronta para o retrato e a ousadia do seu gesto, a frieza implacável do olhar que se propõe em jeito de desafio. Trata-se de uma perfeita sumarização do filme a ser promovido.

Lê Também:
LEFFEST ’22 | Corsage – Espírito Inquieto, em análise




07. SEGUINDO TODOS OS PROTOCOLOS

© Áspera Filmes

A ousadia faz-se em gestos feios, mas também se transmite pela beleza do tabu explodido na praça pública. “Seguindo Todos os Protocolos” é uma comédia brasileira sobre as desventuras de um hipocondríaco gay a tentar ter sexo seguro em tempos de confinamento. Esta simples ilustração captura o êxtase carnal em comunhão com a absurdez da premissa, a conjugação cómica entre o desejo e a segurança, a copulação e a máscara obrigatória.

Lê Também:
Queer Lisboa ’22 | Seguindo Todos os Protocolos, em análise




06. JOYLAND

joyland melhores posters
© Oscilloscope

Mais um filme de temática queer e mais uma ilustração inspirada. Neste caso, não estamos no campo da comédia ou do desenho digital, seguindo os ditames da tragédia em modelo de pintura em tela, com tinta e pincel físicos. “Joyland” é um dos filmes mais belos do ano e tem um poster a condizer, reinterpretando o olhar do amante até que esse simples gesto se torna em abstração colorida. Mantém-se o mistério da fita sem deixar de apelar ao olho curioso da potencial audiência, um dos melhores posters do ano sem sombra de dúvida.

Lê Também:
Queer Lisboa ’22 | Joyland, em análise




05. PINÓQUIO DE GUILLERMO DEL TORO

pinoquio de guillermo del toro melhores posters
© Netflix

Por falar em ilustrações maravilhosas, este design alternativo para o poster do “Pinóquio de Guillermo del Toro” é um sonho de magnificência gráfica. Faz-se leve referência às texturas do desenho em carimbo de madeira, mas o que persiste na memória é a concretização das personagens em jeito bidimensional. Sente-se a mão do artista tal como se sente o toque do artesão no filme em si, com grafismos em referência a cinema antigo. Em suma, é um daqueles posters maravilhosos que todo o cinéfilo gostaria de ter como adorno na sua parede.

Lê Também:
Pinóquio de Guillermo del Toro, em análise




04. FRESH

fresh melhores posters
© Disney+

Do epíteto do belo, passamos para o píncaro do horror. Simples e potente, este cartaz serve de sumarização sinistra para o conceito à volta do qual todo este pesadelo se baseia. O corpo da mulher esquartejado, tornado numa comunidade pronta a ser consumida pelo homem rico, embalado e pronto a servir com verniz ainda presente nas unhas. Sexo e morte, violência e objetificação – tudo isso vive nesta foto virada poster, esta perfeita forma de resumir “Fresh” e convidar o espetador corajoso a provar seus sabores proibidos, suas críticas ferozes.

Lê Também:
Sundance 2022 | FRESH, em análise




03. HOLY SPIDER

holy spider melhores posters
© NOS Audiovisuais

Trabalhando num registo semelhante a “Fresh,” este cartaz para “Holy Spider” põe-nos na posição do assassino cujos crimes definem a narrativa. Ao invés de vermos o corpo da mulher enquanto um produto, encaramos a face da vítima mortal gritando do além até que o tapete em que morreu se converte em retrato. A mortalha torna-se num sinal de culpa, uma acusação, um dos melhores posters do ano.

Lê Também:
MOTELX’ 22 | Holy Spider, em análise




02. TÁR

Tár
© Focus Features

A artista enquanto divindade, um titã emergindo das sombras qual monumento maior que a carne, elevando-se acima da humanidade num gesto que tanto transmite medo como assombro. “TÁR” é uma fita que dá para pensar, mas seu elemento principal é a caracterização devastadora de Cate Blanchett. Este poster entende isso, mas não ousa renegar o modo como o filme se opõe a uma ideia simplificada de estrelato, fama e celebridade. A atriz não é aqui encarada como algo sublime, mas sim como a aparição tenebrosa capaz de nos espantar com deslumbramento ou destruir a vida dependendo do seu humor. O efeito é forte, mas simples, descobrindo poder no rigor minimalista.

Lê Também:
79º Festival de Veneza (2) | A ‘Tár’ de Blanchett e ‘Bardo’, à procura da identidade




01. DECISÃO DE PARTIR

decisao de partir melhores posters
© Alambique Filmes

A montanha colide com a onda neste maravilhoso cartaz, ilustrando as duplicidades da narrativa com um toque de mistério e um sopro de romance. Cada protagonista aparece por duas vezes, ora como parte da paisagem ou como figura impondo-se sobre a realidade, enquanto o homicídio que dá início à história aparece qual espectro a meio da composição. O círculo dentro do retângulo remete para os equilíbrios estéticos desta obra-prima de Park Chan-wook, enquanto a paleta restritiva nos recorda as cenografias pessoais de cada personagem. Em suma, trata-se de um trabalho perfeito, um dos melhores posters do ano e, quem sabe, um dos melhores da década também.

Lê Também:
LEFFEST ’22 | Decisão de Partir, em análise

O que achas das nossas escolhas para os melhores posters do ano? Partilha os teus cartazes favoritos nos comentários e fica atento a outros top MHD!

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Cláudio Alves has 1693 posts and counting. See all posts by Cláudio Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.