Kang-ho Song, Hye-jin Jang, Woo-sik Choi, e So-dam Park em "Parasitas" (2019) © Neon

Writers Guild Awards 2020 | Argumento de “Parasitas” na corrida

Foram revelados os nomeados aos Writers Guild of America Awards 2020, os prémios do sindicato de argumentistas. Parasitas é a grande surpresa. 

Foram hoje anunciados os nomeados aos Writers Guild of America Awards, os prémios entregues pelo Sindicato de Argumentistas norte-americanos. Depois de duas vitórias nos Golden Globes 2020, “1917” está na corrida a Melhor Argumento Original, escrito por Sam Mendes e Krysty Wilson-Cairns. Também na corrida encontramos, surpreendentemente, “Parasitas”, o vencedor do Golden Globe de Melhor Filme de Língua Estrangeira e “Marriage Story”, de Noah Baumbach.

Já Greta Gerwig, foi nomeada ao WGA Award de Melhor Argumento Adaptado por “Mulherzinhas”. Completamente ignorado ficou o argumento adaptado de Anthony McCarten pelo filme “Os Dois Papas”, visto até ao momento como um dos favoritos na categoria de adaptação.

Greta Gerwig está nomeada aos Writers Guild Awards por “Mulherzinhas”

Mulherzinhas
Timothée Chalamet e Florence Pugh em Mulherzinhas (2019) | ©Sony Pictures/ Columbia Pictures
Lê Também:
Grandes Filmes na TV | Semana de 6 a 12 de janeiro

“Joker”, com argumento de Todd Phillips e Scott Silver também está na corrida aos Writers Guild Awards 2020, na categoria de Melhor Argumento Adaptado. Ao longo desta semana serão também revelados os nomeados aos PGA Awards e aos DGA Awards, os prémios dos sindicatos dos produtores e realizadores norte-americanos, respetivamente.

Como acontece todos os anos, alguns filmes não eram elegíveis para os prémios do Sindicato de Argumentistas, isto acontece porque alguns dos argumentistas não pertencem ao sindicato, como aconteceu com Quentin Tarantino, que apesar de ter vencido o Golden Globe de Melhor Argumento não concorreu ao prémio do sindicato por “Era Uma Vez em Hollywood”.

Depois dos WGA ter concedido a Tarantino o crédito pela história de “Assassinos Natos” (Oliver Stone, 1994), o cineasta recusou juntar-se ao Sindicato. Curiosamente, o realizador gosta do crédito: “Escrito e realizado por Quentin Tarantino”, algo que o WGA não permite. Mesmo assim,  a ausência de Tarantino dos WGA não deve impedir a sua potencial nomeação ao Óscar de Melhor Argumento Original. O artista já teve 3 nomeações e 2 vitórias às estatuetas douradas por “Pulp Fiction” e “Django Libertado”.

Tarantino está em boa companhia este ano. Também elegíveis aos prémios do Sindicato de Argumentistas estavam os argumentos dos filmes de animação “Como Treinares o Teu Dragão 3” “Mr. Link”, “Klaus”, “Toy Story 4” e “Frozen II: O Reino de Gelo”, assim como Lulu Wang (“A Despedida”), Tyler Nilson e Michael Schwartz (“The Peanut Butter Falcon”), Jimmie Fails, Rob Richert e Joe Talbot (“The Last Black Man in San Francisco”), Trey Edward Shults (“Waves”), Ari Aster (“Midsommar: O Ritual”), Pedro Almódovar (“Dor e Glória”), Julian Fellowes (“Downton Abbey”) ou Tom Edge (“Judy”).

De facto, uma nomeação aos Writers Guild Awards não se traduz exatamente numa nomeação aos Óscares. São excepções: “Bestas do Sul Selvagem” (2012) ou “Uma Separação” (2011). “O Discurso do Rei” (2010), por exemplo, venceu o Óscar de Melhor Argumento Original e o de Melhor Filme, sem sequer ter sido nomeado aos WGA Awards.

Os vencedores dos WGA Awards 2020 serão conhecidos no próximo dia 1 de fevereiro. A lista completa de nomeados aos Writers Guild of America Awards poderá ser conhecida abaixo:

WGA PARA MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL

WGA PARA MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO

  • “A Beautiful Day in the Neighborhood”, de Micah Fitzerman-Blue e Noah Harpster, inspirado no artigo “Can You Say…Hero?” de Tom Junod; TriStar Pictures
  • “O Irlandês”, de Steven Zaillian, baseado no livro “I Heard You Paint Houses” de Charles Brandt; Netflix
  • “Jojo Rabbit”, de Taika Waititi, baseado no livro “Caging Skies” de Christine Leunens; Fox Searchlight
  • “Joker”, de Todd Phillips e Scott Silver, baseado nas personagens da DC Comics; Warner Bros. Pictures
  • “Mulherzinhas”, de Greta Gerwig, baseado no romance de Louisa May Alcott; Sony Pictures

WGA PARA MELHOR ARGUMENTO DE DOCUMENTÁRIO

  • “Citizen K”, de Alex Gibney; Greenwich Entertainment
  • “Foster”, de Mark Jonathan Harris; HBO Documentary Films
  • “The Inventor: Out for Blood in Silicon Valley”, de Alex Gibney; HBO Documentary Films
  • “Joseph Pulitzer: Voice of the People”, de Robert Seidman e Oren Rudavsky; First Run Features
  • “The Kingmaker”, de Lauren Greenfield; Showtime Documentary Films

Acompanha os nossos artigos e as nossas redes sociais para não perderes nenhum dos eventos da temporada de prémios 2019/2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *