© Ubisoft

Prince of Persia: The Lost Crown, a Crítica | Ubisoft redimiu-se e traz um dos melhores jogos dos últimos anos

Depois de “Avatar: Frontiers of Pandora”, a Ubisoft lança “Prince of Persia: The Lost Crown. Será o melhor jogo da produtora nos últimos anos?

Há pouco mais de um mês a Ubisoft lançava um dos jogos mais aguardados dos últimos tempos – “Avatar: Frontiers of Pandora”. Depois de “Avatar: The Game”, que segue os acontecimentos que antecederam o filme de James Cameron, o novo jogo acontece depois da revolta dos Na’vi liderados por Jake Sully.

Lê Também:   Avatar: Frontiers of Pandora, a Crítica | O fantástico mundo (interativo) de James Cameron

Muito superior ao jogo lançado na PlayStation 3, ficámos rendidos à imersão que “Avatar: Frontiers of Pandora” oferece – “’Avatar: Frontiers of Pandora’ é uma lufada de ar fresco depois do decepção que a Ubisoft deixou com o último jogo sobre o incrível mundo criado por James Cameron. Divertido e imersivo o grande ponto forte do jogo são os gráficos, que valem uma experiência única para quem sempre desejou entrar em Pandora”.

Lê Também:   LEO, o artista brasileiro em ascensão fala sobre o seu novo projeto inspirado em São Paulo

Sem dúvida, um dos melhores jogos da produtora francesa nos últimos tempos. No entanto, parece que há outro forte concorrente.

A Ubisoft produziu alguns dos jogos mais sonantes do novo século como a saga “Far Cry” e a saga “Tom Clancy”. Porém, foi em “Assassin’s Creed” que encontrou o grande sucesso mundial. A saga iniciada em 2007 fez a delícia de milhões de jogadores com uma história rica em conteúdo e uma jogabilidade cativante.

Lê Também:   Jodie Foster (O Silêncio dos Inocentes) regressa à televisão após 49 anos com uma das melhores séries de sempre

Contudo, nos últimos anos, a saga tem perdido a qualidade para a maioria dos meios especializados (e jogadores). Por exemplo, a Slant Magazine atribuiu 50 pontos (em 100) ao mais recente jogo- “’Mirage’ deveria ter sido mais do que a fraca ilusão de onde ‘Assassin’s Creed’ já foi”. Nesse sentido a Ubisoft voltou as atenções para outra saga bastante conhecida – “Prince of Persia”.

Lê Também:   Estas duas operadoras unem forças e melhoram o serviço em todo o país

Com uma premissa diferente do habitual da saga e com um estilo muito mais animado, a Ubisoft lança “Prince or Persia: The Lost Crown”. Disponível para a PlayStation 4, PlayStation 5, Nintendo Switch, Xbox Series X/S e Xbox One, decidimos experimentar a nova era desta saga na consola de última geração da Sony.

A NOVA ENTRADA DA SAGA




Antes de mais, é necessário desvincular da memória a experiência dos jogos mais antigos. A jogabilidade é completamente diferente, assim como os gráficos. No entanto, é mesmo pela diferença que “Prince of Persia: The Lost Crown” se destaca.

Lê Também:   Willem Dafoe explica os problemas do Streaming: “Vamos ver algo parvo hoje à noite”

Entramos num jogo contado como se fosse uma banda desenhada, com nuances dos melhores jogos de “Rayman”, “Metroid” e também de “Hollow Knight”. Um dos destaques vai para a personalização da experiência que o jogador quer ter. Ou seja, além das dificuldades habituais (fácil, médio, difícil e muito difícil), o jogador pode personalizar a sua própria dificuldade. Pode escolher ter inimigos mais difíceis mas com menos vida, ou então, escolher a percentagem de dano que se causa nos inimigos. As possibilidade são muitas.

Lê Também:   Este belo filme com Gary Oldman ganhou três Óscares e já está disponível na Prime Video

Longe dos primeiros jogos da saga, entramos num jogo de plataforma (e que belo jogo de plataforma). A jogabilidade é relativamente fácil de aprender e tem muitas mais combinações do que seria de esperar para este tipo de jogo.

prince of persia the lost crown critica analise review ubisoft
© Ubisoft



Já dentro do jogo e, além das nuances dos projetos acima mencionados, também podemos encontrar inspirações dos grandes mapas de “Diablo”, com um toque de RPG. Assim que começamos a entrar na história vamos entrar num mundo cheio de zonas para explorar.

Lê Também:   Depois de Young Sheldon, há mais um spin-off de A Teoria de Big Bang a ser desenvolvido

Apesar de não ser o seu forte, “Prince of Persia: The Lost Crown” tem uma vertente de personalização da personagem. Ou seja, vamos poder comprar upgrades e fazer vários tipos de combinações com os amuletos que nos permite ter mais vida e/ou ataque, por exemplo. Uma boa gestão dos nossos recursos para melhorarmos a personagem é essencial, pois não parece, mas vamos ter vários combates difíceis (e também vai ser preciso evitar confrontos à “Dark Souls“).

A Ubisoft pensou fora da caixa e ressuscitou uma saga muito adorada da melhor maneira possível. “Prince of Persia: The Lost Crown” é sem dúvida um dos melhores jogos da produtora e, provavelmente, do ano.

Compraste o jogo? És fã da saga?

  • JOGABILIDADE - 90
  • HISTÓRIA - 90
  • GRÁFICOS - 80
  • SOM - 80
85

Conclusão:

A Ubisoft pensou fora da caixa e ressuscitou uma saga muito adorada da melhor maneira possível. “Prince of Persia: The Lost Crown” é sem dúvida um dos melhores jogos da produtora e, provavelmente, do ano.

 

Sending
User Review
0 (0 votes)

Também do teu Interesse:


Leave a Reply