©Microsoft

Xbox Series X, em análise

Será que os sonhos dos jogadores se vão tornar realidade? A Xbox Series X chegou finalmente ao mercado com poder, desempenho, jogos e novos horizontes!

Houve muita discussão nos meses antes do lançamento das novas consolas e, após uma correria pelas lojas físicas e online, muitos foram os sortudos que conseguiram reservar uma Xbox Series X ou Xbox Series S para si.

A nova geração Xbox teve o lançamento de consolas mais bem sucedido de sempre no departamento, uma conquista impressionante feita pela indústria face as adversidades existentes neste ano de 2020 que teve tão de surpreendente como de difícil.

Infelizmente, tanto pela grande procura como pela produção em tempos excepcionais, há fãs de Xbox e potenciais novos fãs que ainda aguardam a sua oportunidade para agarrar aquela pequena torre compacta a 499,99€, ou o melhor salto geracional por apenas 299,99€.

Não demorou muito para o stock esgotar e, apesar da pandemia e suas consequências actuais, foi feito um esforço conjunto sem precedentes, desde a produção nas fábricas, a passar pelos armazéns e estafetas, até chegar às lojas e casas. A indústria dos videojogos testemunhou, com sucesso, um começo de uma nova geração que ficará, certamente, para a história. Os trabalhadores quer da Microsoft, quer da Sony, merecem uma salva de palmas!

Lê Também:
Xbox One | 100 jogos da geração que se destacam
Xbox Series S X All Access
© Xbox

Numa espera longa de algum tempo em antecipação, vivemos o dia. Chega finalmente a caixa com a qual se sonhou por semanas a fio, meses até, após a revelação da Xbox Series X na cerimónia dos The Game Awards em Dezembro de 2019, que nos apanhou a todos de surpresa. Foram dias de especulações, rumores, anúncios, demonstrações e ansiedade pela nova geração a chegar.

O Natal chegou mais cedo. De repente, somos de novo crianças a abrir um presente muito desejado, desta vez com o cuidado de adulto, a pensar em ir buscar um x-acto para cortar cuidadosamente a fita-cola. Mas não foi preciso. O trabalho da equipa Xbox começa na embalagem, com autocolantes eficazes a segurar a majestosa caixa inconfundível. Basta retirar sem ferramentas necessárias.

Com uma imagem do Master Chief em destaque na caixa, temos um vislumbre das aventuras que estamos prestes a viver. Apesar de ser de um jogo adiado para além do desejado, “Halo Infinite” estará lá em breve, no final de 2021.

A sequela de “Halo 5: Guardians” é antecipada desde 2015, e a 343 Industries vai dar o máximo para trazer uma aventura sem igual que dá a “Halo” a fama que tanto tem, aliada à responsabilidade de ser o título que mais representa a Xbox, sendo seu fiel companheiro desde o lançamento da primeira consola em 2001. Um pacote completo com campanha inovadora, multiplayer competitivo e gratuito, com novos modos e novas hipóteses de customização a 120fps, tudo feito no novo motor de jogo criado pelo estúdio, Slipspace Engine, chegará quando a Xbox e “Halo” celebrarem 20 anos, em 2021.

Xbox Series X Pacote
Xbox Series X © Catarina Ferreira

No seu interior, a robusta rainha de memes, Xbox Series X, está cuidadosamente aconchegada num embrulho leve, preto e texturizado, e as palavras “Power Your Dreams” compõem um cartão que a envolve.

A embalagem resistente previne que a recém-chegada seja alvo das frustrações mais violentas dos estafetas que as entregam. O formato da consola-mãe desta geração é o que torna a embalagem tão convidativa. É aqui que os sonhos começam. Segurá-la como um lança-foguetes à Arnold Schwarzenegger, ou abraçá-la nos nossos braços como um bebé, são muitas as formas possíveis de brincar com os memes ou criar o nosso.

Simples e rápida de instalar na nossa TV ou monitor, basta o cabo de alimentação e HDMI 2.1. para nos aventurarmos nos diversos mundos que nos esperam. Melhor acompanhada de um ecrã que suporte o novo padrão de 4K60FPS, mas cuja potência será desfrutada de maneiras únicas em qualquer ferramenta de exibição de imagem.

Em meros segundos, é fácil iniciar sessão com a nossa conta habitual e aplicar as nossas preferências pré-definidas. Saltar de geração nunca foi tão fácil! Apesar do processo de instalação de videojogos não ser instantâneo, as velocidades com uma boa ligação à internet são satisfatórias. Além disso, se quisermos começar a utilizar a consola, basta conectar o nosso disco HDD externo e jogar qualquer um dos milhares de jogos através da retrocompatibilidade.

Qualquer jogo da Xbox One, Xbox 360 ou Xbox OG corre de forma impressionante na nova geração, com melhor resolução, framerates e ecrãs de carregamento muito mais curtos. Tudo isto de forma automática e sem qualquer actualização necessária para a Xbox Series X|S.

O fast travel é realmente rápido em “The Witcher III”, “Just Cause 4” já não se engasga com o caos e explosões, e “The Elder Scrolls V: Skyrim” tem ainda mais detalhes. Estes são apenas alguns dos sonhos tornados realidade sem qualquer esforço necessário dos criadores nem dos jogadores. Haverá melhor?

Pela primeira vez, podemos saltar de geração com toda a nossa biblioteca de jogos às costas e ainda desfrutar dela de formas que nos fazem apaixonar de novo pelos nossos títulos favoritos. Já não temos que ligar a consola, descarregar os jogos que queremos e esperar horas para começar. Com a Xbox Series X|S, podemos começar assim que clicamos no botão para ligar a consola.

Xbox Series X
Xbox Series X © Catarina Ferreira

Entretanto, os títulos que oferecem optimizações recebem logo uma actualização extra quando os movemos para o SSD interno, ou colocamos um SSD externo da Seagate. “Ori and the Will of the Wisps”, “Assassin’s Creed Valhalla” e “DiRT 5” são alguns dos melhores exemplos. É impressionante ver o quão longe os videojogos chegaram, de uns meros pixéis e sonhos, a mundos complexos e vastos a correr de forma fluída e limpa diante dos nossos deliciados olhos.

Alguns dos estúdios podem finalmente realizar as suas visões artísticas graças a duas belas máquinas com uma capacidade de processamento de informação revolucionário. A Night City de “Cyberpunk 2077” está viva, cheia de NPCs, veículos e eventos a acontecer. Apesar da CD Projekt Red não ter ainda lançado as optimizações para a nova geração, o ambiente e fauna da cidade futurística levam-nos a abrir o photo mode para registar o salto geracional que vivemos, seja pela quantidade de informação visível, como pelo trabalho dedicado em todos os pixéis do jogo. E tudo porque a nova tecnologia o permite.

“Gears 5” nunca pareceu melhor, agora que o primeiro DLC, “Hivebusters” chegou e consegue surpreender ainda mais com os detalhes e imagem nítida. Não só podemos regressar a alguns dos nossos mundos favoritos, como podemos desfrutá-los de forma mais rápida e fluída. Já não temos que esperar alguns minutos para abrir “Halo: The Master Chief Colletion” ou “Forza Horizon 4”. Jogar com amigos nunca foi tão instantâneo.

Nem trocar entre títulos! O quick resume é a função que sempre quisemos, mas nem sabíamos. A consola tem memória reservada para deixar 3 jogos de nova geração em stand by. Com isto, nem sequer existem ecrãs de carregamento. Basta trocar de “Assassin’s Creed Valhalla” para “Yakuza: Like a Dragon”, ou voltar à experiência única de “Tetris Effect: Connected” quando quisermos, consoante a nossa mood do momento, sem perder progresso nem passar pela maçada de esperar que os jogos carreguem. Já nem temos sequer tempo para ver o telemóvel e as novidades no Twitter nestas pequenas pausas, que já nem existem.

Cyberpunk 2077
“Cyberpunk 2077”, Photo Mode na Xbox Series X © Catarina Ferreira

O comando pouco muda em relação ao que já é impecável. O novo botão share facilita o processo de captação de imagem dos momentos que queremos recordar, um d-pad melhorado torna a jogabilidade mais livre de falhas, e os gatilhos texturizados deixam-nos agarrados à experiência de jogo.

Até o input lag torna tudo mais real. Aliás, o input lag é o verdadeiro influenciador de jogo, especialmente para os fãs de online, que constituem uma grande parte dos jogadores Xbox. Aquela irritação dos tiros não serem registados ou demorarem aquele meio segundo que é a diferença entre a vida e a morte, fica para trás. Um comando que tão pouco muda em relação às versões mais recentes da Xbox One, consegue ser mais aliciante do que as versões Elite, somente pelo tempo de resposta instantâneo.

E, embora a versão da Xbox Series X|S sirva perfeitamente, também não teremos que começar a juntar moedas para comprar um comando novo para jogar com os amigos. Basta pegar na colecção de comandos da Xbox One e emparelhá-los com a nova consola. Nestas pequenas coisas, vê-se como a Xbox coloca em prática a sua mentalidade de que o jogador é quem está no centro da experiência. E para o jogador, nunca foi tão simples ser… jogador!

Xbox Series X Wireless Controller
Comando Wireless Xbox Series X © Xbox

Com tanto poder e capacidades e, ainda assim é verdade, a Xbox Series X não emite um único som. O coração até fica em alerta com a ideia de que talvez a consola tenha deixado de funcionar, vítima de mais um defeito de fabrico habitual das primeiras fornadas. Mas não, a consola simplesmente não pia, nem aquece.

É uma peça de design absolutamente impecável, na forma como todas as componentes de hardware foram colocados não só para o melhor funcionamento, como para o aspecto visual limpo e perfeccionista da sua carcaça. Não é por acaso que o departamento da Xbox conta com as inovações e tecnologias feitas por alguns dos melhores profissionais. O facto de ser uma marca Microsoft traz sempre uma vantagem única nos sistemas operativos, tecnologia de ponta e serviços.

Xbox Series X
© Catarina Ferreira

Com as falhas e bugs iniciais que as novas gerações ainda não conseguem eliminar, é até favorável que os exclusivos mais esperados demorem alguns meses a chegar, pois todos queremos desfrutá-los no seu melhor esplendor. Apesar de, após algumas semanas de utilização, nada parece dar de si, a indústria ainda está a trabalhar com as novas ferramentas e coisas incríveis estarão à porta.

Estreias como “Call of the Sea“, “Gears Tactics”, “Tetris Effect: Connected”, “Enlisted (Preview)” e “Bright Memory”, permitem-nos ver mais de perto aquele futuro risonho que nos espera e que iremos receber de braços abertos, particularmente após um período tão difícil no mundo.

A Xbox Series X|S conta com uma diversidade sólida no seu arranque, especialmente dado que a maioria deles estão acessíveis no seu lançamento por apenas 1€ para novos subscritores no Xbox Game Pass. Já não é necessário comprar apenas 2 ou 3 jogos por 70€ cada. Basta aceder a centenas de títulos através de uma subscrição mensal, que inclui novidades, exclusivos e até o catálogo do EA Play!

The Medium
“The Medium” © Bloober Team

Certamente, falta aquele gostinho de pegar na consola para mergulhar no mundo intenso de “Halo”, “Gears”, ou até um dos novos IPs que os estúdios da Xbox estão a produzir. Infelizmente, não contamos com um exclusivo chave que acompanhe a Xbox Series X|S, mas jogos é o que não falta. E um conjunto de jogos de todos os géneros está prestes a chegar a partir de 2021.

Já em Janeiro teremos “The Medium”, exclusivamente na Xbox Series X|S e no Xbox Game Pass. A lista de exclusivos começou este ano com muitas promessas: “Scorn“, “Second Extinction”, “KartRider: Drift”, “CrossFire X”, “The Ascent“, “The Gunk”, “S.TA.L.K.E.R. 2” e “12 Minutes”, entre outros. A Microsoft continua a subir a fasquia e não parece estar a terminar. A juntar-se a estes em 2021, teremos “Microsoft Flight Simulator” e “MechWarrior 5 Mercenaries, bem como títulos dos Xbox Game Studios por confirmar ou anunciar.

Para um futuro mais longínquo, “ARK II” foi anunciado como exclusivo temporário para 2022, “Perfect Dark” é o projecto da The Initiative que foi finalmente confirmado, “State of Decay 3” continua em desenvolvimento, e “Avowed” é apenas um dos vários RPGs em desenvolvimento apenas para a Xbox. A este último, provavelmente juntam-se “The Elder Scrolls VI” e “Starfield”, dois grandes RPGs em desenvolvimento pelos estúdios da Bethesda, que está em processo de aquisição pela Microsoft.

The Elder Scrolls VI
“The Elder Scrolls VI” © Bethesda Softworks

A promessa de jogos para todos continua, bem como a de mais exclusivos. E todos eles estarão disponíveis para jogar na Xbox Series X|S, PC ou através do cloud gaming que está prestes a chegar a mais dispositivos, inclusive TVs.

Um portefólio impressionante de 23 estúdios, com “Fable”, “Forza Motorsport”, “Senua’s Saga: Hellblade II” e “Halo Infinite” a caminho, um catálogo crescente de jogos no Xbox Game Pass disponíveis nas consolas Xbox, PC e dispositivos móveis através do cloud gaming, a Microsoft tem tudo a seu lado. Um arranque sólido com duas máquinas impressionantes com um funcionamento silencioso que não aquece, mas causa furor.

A nova geração promete!

E todos os nossos sonhos estão a tornar-se realidade…

Lê Também:
Xbox Game Pass | Lista Completa de Jogos

TRAILER | RECORDA O ANÚNCIO DA XBOX SERIES X

Já fizeste o salto geracional de 2020? O que pensas deste começo da Xbox? O que mais te entusiasma?

Xbox Series X, em análise

Game title: Xbox Series X

Game description: A Xbox Series X é a consola mais poderosa no mercado actual, e é acompanhada da acessível Xbox Series S. Com um catálogo recheado graças ao Xbox Game Pass e jogos dos Xbox Game Studios, são duas favoritas na nova geração.

  • Design - 95
  • Especificações - 95
  • Comando - 95
  • Interface de Utilizador - 90
  • Exclusivos - 85
92

CONCLUSÃO

O MELHOR: A mais poderosa do mercado com oportunidades incríveis de saltar para a geração com a biblioteca no disco externo pronta a ser percorrida.

O PIOR: Faltava um título publicitado como o jogo de lançamento com as consolas.

Sending
User Review
4.6 (5 votes)
Comments Rating 0 (0 reviews)

Catarina Ferreira

Sempre tive desejo inato de expressar a minha criatividade, tendo envergado pelas artes nos estudos e nos tempos livres, como pintura, desenho, fotografia ou arte digital. Os videojogos também me acompanharam desde cedo. Halo foi o que me trouxe à Xbox, onde acabei por criar os Xbox PT Dummies. Não sou fã de guerras de consolas e acredito que todos têm o dever de ser felizes onde entenderem. Podem ver as minhas opiniões (não) populares no Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sending