©Annapurna Interactive | ©Marvel | ©Lucasfilm

TOP MHD | Os Melhores Jogos 2022

Com o final de mais um ano, chegou a altura da equipa MHD se reunir para definir aqueles que, para nós, foram Os Melhores Jogos de 2022 num TOP MHD comemorativo!

A Magazine.HD juntou toda a sua equipa e, após várias semanas de votação, já foram conhecidos aqueles que para nós se tornaram os Os Melhores Jogos do Ano que passou. 2022 foi um ano rico em videojogos, no entanto os efeitos da pandemia ainda de se fizeram sentir, com o adiamento de diversos projectos que certamente irão fazer parte das nossas listas nos próximos anos. Tal como já referimos, o ano que passou trouxe-nos muitas obras de qualidade, desde as mais aguardadas sequelas, projectos originais, indies inesperados, e não esquecendo as obras que nos surpreenderam pela sua inventividade, estes são “Os Melhores Jogos de 2022”.

Lê Também:
As Melhores Bandas Sonoras dos Jogos 2022

10. CULT OF THE LAMB

Cult of the Lamb
©Devolver Digital

Desenvolvido pela Massive Monster, e publicado pela Devolver Digital, “Cult of the Lamb” chegou e conquistou uma grande vastidão de fãs através do seu género rogue-like diferente de todos os outros. Um jogo que combina os aspetos gráficos de “Don’t Starve” (como também a jogabilidade, que assemelha-se ligeiramente), mas que também vai buscar o sangue de “Hotline Miami” (mas mesmo muito sangue). Mas melhor que os gráficos, é a premissa em que o jogo se baseia. Ao contrário de maioria dos jogos de estratégia e rogue-like, aqui o objetivo é diferente, vamos ter de gerir um culto, da melhor forma possível, e fazendo tudo o que seja necessário. O que fazemos e como fazemos, fica totalmente ao nosso critério, inclusive até podemos dar o nome as personagens. E culto como deve ser, tem de ter vários seguidores fiéis para a causa, que, sobretudo, consigam recrutar mais indivíduos. Além disso, existe outro lado da moeda, com diversos monstros diabólicos para derrotar.

No final, quem é que vais sacrificar para o bem maior?

David Passos




9. MARVEL SNAP

Marvel Snap
© 2022 Marvel

Viciante e incrivelmente desafiante, este jogo é capaz de cativar não só os fãs do universo da Marvel Comics, mas também aqueles que pouco interesse têm em banda desenhada. Com uma mecânica de jogo dinâmica e animações divertidas que demonstram as características únicas de cada herói e vilão, este projecto consegue dar nova vida ao mundo do combate de cartas, um género até agora saturado e esgotado devido às diversas tentativas de capitalizar o sucesso de obras como Yu-Gi-Oh!.

As constantes atualizações, bem como a utilização de uma espécie de “battle pass” dão a Marvel Snap a oportunidade de introduzir diversos novos desafios e cartas de personagens que prometem entreter os mais facilmente distraídos. A customização das cartas e a evolução do nosso baralho são alguns dos aspetos mais viciantes que o jogo tem para oferecer, dando aos fãs a oportunidade de construir conjuntos de cartas poderosos que dificilmente serão derrotados no modo competitivo. A inovação e a criatividade fazem com que este jogo marque presença na nossa lista como um dos melhores projectos de 2022.

João Fernandes




8. GRAN TURISMO 7

Gran Turismo 7 PlayStation
©Sony Interactive Entertainment

Apesar dos seus 25 anos de idade, a saga “Gran Turismo” continua a demonstrar uma grande e revitalizante energia, capaz de cativar os fãs de longa data, bem como os mais inexperientes no que toda ao mundo dos videojogos de corridas. O sucesso do franchise continua irrefutável, quebrando records destro do seu género com o lançamento de cada novo jogo – a mais recente entrada levou a saga a superar os 90 milhões de cópias vendidas, tornando-se no franchise mais lucrativo da Sony Interactive Entertainment.

A constante aposta no realismo e na simulação fiel da condução, ajudam “Gran Turismo” a distanciar-se das demais obras do género, algo facilmente identificável pelo sucesso deste sétimo capítulo. “Gran Turismo 7” viu o regresso de muitas das mecânicas mais popular da saga, bem como as pistas e os veículos clássicos de que todos os jogadores gostam, com a adição de diversas novidades, incluindo as mais recentes máquinas de corrida. O jogo tem vindo ainda a receber frequentes novas adições, levando a uma refrescante experiência sempre que se entra no jogo.

João Fernandes




7. LEGO STAR WARS: THE SKYWALKER SAGA

May the 4th Be With You
© Traveller’s Tales Games / Warner Bros. Games

A parceria entre a LEGO e “Star Wars” já conta com vários anos, com os primeiros jogos a serem lançados ainda para a PlayStation 2, com destaque para “LEGO Star Wars: The Original Trilogy” e “LEGO Star Wars: The Complete Saga”. No entanto, com a aquisição dos direitos por parte da Disney, surgiram mais três filmes, com outros tantos filmes paralelos e séries. Por isso, a Traveller’s Tales voltou ao ataque, e em “LEGO Star Wars: The Skywalker Saga” tivemos o melhor desta parceria. No maior jogo LEGO feito até à data, vamos poder visitar a galáxia inteira através dos nove filmes da saga, com centenas de missões principais e secundárias para concluir, também com centenas de personagens deste universo por onde escolher. Aliado a ambos, está o tão característico humor destes jogos, que ainda hoje consegue surpreender-nos. Mesmo quem não goste deste universo, não vai resistir, provavelmente, ao melhor jogo de LEGO alguma vez feito. A melhora parte do jogo é que podemos começar a história da forma que melhor entendemos, seja na trilogia original ou no trio de filmes mais recentes.

David Passos




6. THE LAST OF US PART I REMAKE

The Last of Us Part 1 Remake HBO Max
©Sony Interactive Entertainment

O inesperado aconteceu, após 10 anos do seu lançamento original, “The Last Of Us” regressa a uma lista dos melhores do ano, desta vez devido ao seu remake, que, apesar de manter as mecânicas de jogos introduzidas na obra original, evitando a todo o custo evoluir com a jogabilidade superior da sua sequela, nos fez lembrar o porquê de este ser considerado uma das maiores obras algumas vez criadas. Com os gráficos melhorados, e os alguns dos principais bugs da versão remaster resolvidos, esta torna-se a forma perfeita de experienciar esta história única.

Lê Também:
The Last of Us Parte 2 | À conversa com Joana Ribeiro

E por falar em história, “The Last Of Us: Part I” continua a ser uma das melhores histórias a sair do mundo dos videojogos, recheada de personagens cativantes e profundas, que nos levam por uma viagem inigualável, explorando o luto, a psique humana e a compaixão, como nunca antes vimos. Este remake de Matthew Gallant e Shaun Escayg não perde o espirito do original, chegando mesmo dar mais profundidade às cenas emotivas, com animações mais detalhadas e expressões faciais incrivelmente realistas. Como tal, todas estas melhorias, e a experiência única de viver, ou sobreviver, uma vez mais neste mundo pós-apocalíptico, colocam “The Last Of Us: Part I” na conclusão da primeira metade do nosso TOP.

João Fernandes




5. STRAY

Stray Games Awards
©Annapurna Interactive

O “Stray” é um daqueles indie que surge do nada, e desde o momento em que são reveladas as primeiras imagens é capaz de cativar todos os fãs de jogos. Desenvolvido pela BlueTwelve Studio e publicado pela Annapurna Interactive, “Stray” é um jogo que consegue agarrar os jogadores ao ecrã, com o seu design e gráficos impressionantes, que nos deixam hipnotizados pelas luzes colorias e cenários de retirar o folego.

No centro da acção encontra-se um gato com uma missão simples, alcançar a superfície, isto oferece aos jogadores uma perspectiva única, que nos dá oportunidade de nos conectar com as personagens robóticas que vão surgindo ao longo do percurso para nos auxiliar na nossa missão. Estes robots, apesar da sua aparência fria e metálica, são na realidade personagens profundas, cheias de emoção e muitas histórias para contar, algo que torna esta jornada numa experiência imperdível.

O mundo que dá lugar a esta viagem é verdadeiramente interessante, com uma história rica, e com níveis desafiantes, que nos deixa o coração apertado sempre que o nosso gato se prepara para enfrentar um novo, e constante, perigo. Tudo isto que referimos, leva a que “Stray” tenha uma posição de destaque no nosso TOP 5.

João Fernandes




4. A PLAGUE TALE: REQUIEM

plague tale
©Focus Home Interactive

Depois do sucesso impressionante de “A Plague Tale: Innocence“, a Asobo Studio e a Focus Entertainment estão de regresso com um novo capítulo nesta nova saga de jogos que promete durar longos e bons anos, e trazer aos fãs de videojogos largas horas de entretenimento, com momentos de suspense incríveis e um mundo revitalizante que não irá deixar ninguém indiferentes à vida destas personagens.

Apenas três anos se passaram desde o jogo original, mas Amicia (Charlotte McBurney) e Hugo de Rune (Logan Hannan) já estão de regresso para uma nova história. O novo jogo não decepciona, agarrando em tudo o que a obra de 2019 se tornou famosa por alcançar, e optou por aprofundar esses aspectos sem perder uma pitada de excitação. A história continua revitalizante, colocando as personagens em constante perigo, o que leva os jogadores a enfrentar desafios inimaginados. O poder da nova geração de consolas deu a oportunidade à equipa da Asobo Studio de apostar novamente numa evolução gráfica, oferecendo aos fãs desta duologia, a oportunidade de visitar este mundo negro com gráfico excelentes, recheados de detalhe e imagens grotescas.

João Fernandes




3. HORIZON: FORBIDDEN WEST

Horizon PlayStation
©Sony Interactive Entertainment

Horizon Forbidden West” é tudo aquilo que se pretende num open-world. A nível gráfico, tal como é característico de AAA, é um jogo de altíssimo nível e, arrisco dizer, que atingiu o patamar de excelência que mais nenhum atingiu. Os cenários são vivos, cheios de vegetação e inimigos.

Cada detalhe foi pensado para transportar o jogador para uma realidade de gaming que nunca tinha sido atingida. São inúmeras as paisagens de cortar a respiração, dignas de um daqueles filmes candidatos ao Óscar de melhor fotografia. Desde praias tropicais, montanhas cobertas de neve e cidades em ruínas, o difícil é mesmo não estar constantemente a usar o modo de fotografia do jogo. A possibilidade de explorar o mundo subaquático, pincelado com um azul esverdeado que marca a separação dos continentes, foi uma das principais introduções na sequela de “Horizon Zero Dawn” e oferece ainda mais versatilidade a um jogo já de si fenomenal. Um aspeto a pensar para a próxima sequela será a possibilidade de combates dentro de água.

Lê Também:
Horizon Forbidden West | Tudo a saber sobre a sequela

Para abril de 2023, já foi anunciado o lançamento de uma expansão, intitulada “Burning Shores“. Nela, terá Aloy a perseguir uma sinistra ameaça em Los Angeles, agora um arquipélago vulcânico e traiçoeiro. Perante o que se tem visto da Guerrilla Games, antevê-se mais uma obra de arte já daqui a pouco mais de três meses!

Tomás Cascão




2. ELDEN RING

The Steam Awards 2022
© FromSoftware

I am Malenia. Blade of Miquella. And i have never known def… Desculpem… Onde estava… Ah! Elden Ring. Seria difícil falar dos Melhores Jogos do ano sem mencionar Elden Ring. O novo jogo da From Software foi uma das grandes febres de 2022 mas, contrariamente ao que tinha acontecido até aqui, não o foi apenas entre os fãs do franchise mas também dos milhões de novos jogadores que deram a Elden Ring uma oportunidade.

O jogador entra na pele de um Tarnished, guerreiros que perderam a graça da Edrtree, exilados e destinados a morrer. Contudo, após a destruição do Elden Ring, os Tarnished retornam com o intuito de se tornarem Elden Lords, reis de todo o território. Pelo caminho, o jogador conhece várias personagens, incluindo Patches (que deixa sempre imensas saudades… vá não o mates, ele tem alguma utilidade), e pode explorar livremente todo o mundo, guiado apenas pelas graças que vai encontrando. Sim, se estás habituado aos jogos lineares, onde vais de A a B, não contes com isso. Muitos jogadores foram parar a locais com inimigos demasiado poderosos (flashbacks daquela mina…. tu sabes qual), ou até se depararam com o primeiro boss bem antes de estarem física, e mentalmente, preparados.

Lê Também:
Elden Ring | Tudo o que precisas de saber

Todavia, a realidade é que este mundo aberto é precisamente o que torna Elden Ring único no seu género. Jogadores veteranos e amantes dos bosses difíceis podem ir diretamente até eles, evoluindo pouco as suas habilidades para uma luta desafiadora (combinando poderes, armas e armaduras para um estilo personalizado), enquanto os novos jogadores podem aproveitar o seu tempo para investigar dungeons e aldeias onde podem aumentar as suas habilidades, tornando as lutas principais mais fáceis.

Com uma paisagem verdadeiramente breathtaking, investir horas a explorar todos os cantos do mapa, conhecer todas as personagens (muitas delas únicas e cujas histórias podem ser simples mas sempre profundas), e descobrir todos os inimigos foi algo que adorei fazer e esse sentimento foi de uma forma geral partilhado por toda a comunidade, aberta a receber estes novos fãs, interessados em experimentar o mundo de souls nesta versão mais acessível e amigável (ainda que sempre desafiadora, pois o jogo nunca te deixa ficar demasiado overpowered, em especial nos últimos bosses).

Com uma história cativante e um gameplay já conhecido dos fãs, jogar Elden Ring é um must e se não jogaste, coloca no TOP 5 jogos a experimentar em 2023. E mantém-te longe dos precipícios… Tipo… Bem longe.

Ângela Costa




1. GOD OF WAR: RAGNAROK

God of War Ragnarok Game Awards
©Sony Interactive Entertainment

God of War: Ragnarok” é, para a equipa da Magazine.HD, não só pela sua jogabilidade desafiante, gráficos vibrantes e acessibilidade histórica, mas também pelas suas personagens ricas e história cativante. O enredo de “Ragnarok” pode não conseguir alcançar as alturas do seu predecessor, mas este revela-se certamente um sucessor de qualidade, expandindo em tudo o que fez o jogo de 2018 o evento especial que se tornou.

Lê Também:
God of War | Melhores Boss fights da saga

Com o luto deixado de lado, “God of War: Ragnarok” aposta agora no crescimento e na independência como temas marcantes, levando Kratos e Atreus numa jornada para por fim ao fimbulwinter, o mais recente sinal da chegada do temível Ragnarok, o fim do mundo nórdico, e trazer a paz aos Nine Realms. Com Thor e Odin na sua alçada, os protagonista acabam pro viajar pelos diversos reinos, uma grande expansão perante a obra anterior, o que nos leva a conhecer novas civilizações, personagens e inimigos. No que toca a estas personagens, o mundo nórdico vê o regresso de muitas das personagens que cativaram os fãs na obra anterior, como Mimir, Freya e a dupla Brok e Sindri; e introduzindo Ratatoskr, Heimdall e Angrboða, entre muitas mais. A jogabilidade continua a ser impressionantes, e a introdução de novas mecânicas torna esta experiência refrescante.

João Fernandes

Qual dos jogos lançados em 2022 foi o teu favorito? Concordas com a nossa lista?

João Fernandes

Licenciado em Cinema, venerador de banda desenhada, fotografia e videojogos!

João Fernandes has 2236 posts and counting. See all posts by João Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.