Óscares 2019 | Quem vai ganhar?

Os Óscares são já este domingo (madrugada de segunda-feira em Portugal) e a MHD tenta prever o que parece ser uma temporada de prémios marcada pela absoluta imprevisibilidade.

Todos os anos há quem se queixe que os Óscares são demasiado previsíveis. Depois de meses a ver os mesmos exatos filmes e artistas serem destacados por uma série de prémios percursores, é difícil não saber já, com relativa exatidão, quem vão ser os vencedores que vão subir ao palco no Dolby Theatre. Tais queixas fazem sentido durante muitas temporadas de prémios, mas não este ano. De facto, a temporada de prémios 2018/2019 é uma das mais bizarras de sempre, assim como uma das mais imprevisíveis. Desde Melhor Filme a Melhor Curta-Metragem de Animação, nada parece estar certo, excetuando a categoria de Melhor Canção Original. Nesse caso, se Lady Gaga não ganhar, vai ser o maior choque na História da categoria e dos recentes Óscares. Além disso, todas as previsões são incertas e precárias.

Parte do problema devém dos filmes, grandes campeões da temporada, que estão nomeados para Melhor Filme. Todos eles representam casos estranhos da Awards Season que parecem impossibilitar sua glória nos Óscares. Os percursores, por exemplo, têm passado o ano dispersos e sem foco. No início de janeiro, com os Globos de Ouro e os Producers Guild Awards, parecia que “Green Book” ia ser o grande vencedor da temporada, apesar de resultados medíocres no box office, mas tudo mudou. Desde então que o filme só consegue ganhar prémios para Melhor Ator Secundário, não foi nomeado para Melhor Realizador nos Óscares e até perdeu o prémio do sindicato dos Argumentistas ao contrário do que todos os especialistas tinham previsto. As controvérsias em volta da veracidade do filme e suas formas retrógradas e antiquadas de lidar com questões de tensão racial certamente não têm ajudado.

Assim Nasce Uma Estrela critica
A vitória de Lady Gaga na categoria de Melhor Canção parece ser a única aposta certa.

Apesar de oito nomeações, “Vice” tem sido vítima de más críticas e a reação pública ao filme tem sido hostil. A sua vitória em Melhor Maquilhagem parece provável, mas de resto tudo é uma incógnita. “Bohemian Rhapsody” também tem sido afetado por más críticas, sendo o filme mais odiado pelos críticos a ser nomeado para Melhor Filme na História recente da Academia. Em compensação, tem sido um triunfo com o público e com os sindicatos de Hollywood. Só que é difícil imaginar uma obra tão polémica, realizada por um dos párias atuais de Hollywood (Bryan Singer foi acusado de ações pedófilas sistemáticas num artigo de investigação do The Atlantic) ganhar o maior galardão. Sonoplastia, Melhor Ator e até Melhor Montagem são possibilidades, mas mesmo isso é inseguro.

Lê Também:
Queres ver os Óscares na TV?

A campanha e reputação de “Assim Nasce Uma Estrela” mantiveram-se altas no início da Awards Season mas foram gradualmente perdendo o fôlego e, atualmente, parece que o filme só vai ganhar mesmo Melhor Canção. Certamente o galardão de Melhor Atriz parece estar fora das mãos de Lady Gaga, sendo disputado essencialmente entre Olivia Colman de “A Favorita” e Glenn Close de “A Mulher”. Essa é uma das muitas corridas de dois filmes disputadas pelo filme de Yorgos Lanthimos. Em Melhores Figurinos parece ser “A Favorita” ou “Black Panther”, em Melhor Cenografia a mesma coisa, em Melhor Argumento Original é “A Favorita” vs “Green Book” e Melhor Atriz Secundária é uma corrida a cinco, com Rachel Weisz e Regina King na aparente liderança.

roma
Irá ROMA fazer História?

Por seu lado, “BlacKkKlansman” tem-se mantido uma presença consistente, mas pouco vistosa na temporada, sendo que o seu principal foco de campanha tem sido Spike Lee. Por isso mesmo, o filme deve ir ganhar Melhor Argumento Adaptado, se bem que uma série de omissões importantes nos percursores tornam a vitória estatisticamente improvável. “Black Panther” tem aclamação crítica e popular, tem importância cultural e o melhor resultado financeiro do ano, mas os preconceitos da Academia contra filmes de super-heróis vão ser a sua desgraça. Só “Roma” parece afirmar-se como um filme capaz de ganhar a noite, mas o facto de ser uma obra de autor a preto-e-branco, numa língua que não inglesa e produzido pela Netflix pode por em causa a sua vitória. Ou seja, seguindo os padrões de anos anteriores, ninguém pode ganhar. Contudo, alguém tem de ganhar.

Se a situação é incerta em categorias dominadas por filmes também nomeados para Melhor Filme, noutros casos é o caos total. Não há favorito claro na categoria de Melhor Banda-Sonora Original, por exemplo. As categorias das curtas-metragens estão a ter um ano de rara atenção mediática pelo facto de quase todos os nomeados estarem acessíveis online, mas isso não clarificou quem vai ganhar, especialmente na categoria Live-Action que é talvez a coleção mais deprimente de filmes alguma vez selecionada pela Academia de Hollywood. Melhor Documentário, mais do que ser sobre mérito artístico, parece ser uma categoria centrada em popularidade comercial, o que coloca “Free Solo” em competição direta com “RBG”.

Enfim, com base nos percursores, com base nas narrativas dos nomeados, sua campanha e reação da indústria aos filmes, tentámos conceber uma lista de previsões. Num ano como este, é provável que muitas delas estejam erradas, mas pelo menos tentámos.

Lê Também:
Óscares 2019 | Lista Completa dos Nomeados

PREVISÕES FINAIS PARA OS VENCEDORES DOS ÓSCARES ’19:

MELHOR FILME
Roma
Alternativa: Green Book – Um Guia Para a Vida

MELHOR REALIZAÇÃO
Alfonso Cuarón, Roma
Alternativa: Spike Lee, BlacKkKlansman: O Infiltrado

MELHOR ATOR PRINCIPAL
Rami Malek, Bohemian Rhapsody
Alternativa: Christian Bale, Vice

MELHOR ATRIZ PRINCIPAL
Glenn Close, A Mulher
Alternativa: Olivia Colman, A Favorita

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO
Mahershala Ali, Green Book – Um Guia Para a Vida
Alternativa: Richard E. Grant, Can You Ever Forgive Me?

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA
Regina King, Se Esta Rua Falasse
Alternativa: Rachel Weisz, A Favorita

MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL
A Favorita, Deborah Davis e Tony McNamara
Alternativa: Green Book – Um Guia Para a Vida, Nick Valleloga, Brian Haynes Currie e Peter Farrelly

MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO
BlacKkKlansman: O Infiltrado, Spike Lee, Charlie Wachtel, David Rabinowitz e Kevin Willmott
Alternativa: Se Esta Rua Falasse, Barry Jenkins

MELHOR MONTAGEM
Bohemian Rhapsody, John Ottman
Alternativa: Vice, Hank Corwin

MELHOR FOTOGRAFIA
Roma, Alfonso Cuarón
Alternativa: Guerra Fria, Lukasz Zal

MELHOR CENOGRAFIA
A Favorita, Fiona Crombie e Alice Fenton
Alternativa: Black Panther, Hannah Beachler e Jay Hart

MELHOR DESIGN DE FIGURINOS
A Favorita, Sandy Powell
Alternativa: Black Panther, Ruth E. Carter

MELHOR MAQUILHAGEM E CABELOS
Vice, Greg Cannon, Kate Biscoe e Patricia Dehaney
Alternativa: Maria, Rainha dos Escoceses, Jeny Shircore, Marc Pilcher e Jessica Brooks

MELHORES EFEITOS VISUAIS
O Primeiro Homem na Lua,
Alternativa: Vingadores: Guerra do Infinito,

MELHOR BANDA-SONORA ORIGINAL
Black Panther, Ludwig Göransson
Alternativa: Se Esta Rua Falasse, Nicholas Britell

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
“Shallow”, Assim Nasce Uma Estrela, Lady Gaga, Mark Ronson, Anthony Rossomando e Andrew Wyatt
Alternativa: “All the Stars”, Black Panther, Sounwave, Kendrick Lamar, Anthony Tiffith e SZA

MELHOR SONOPLASTIA
Bohemian Rhapsody, Paul Massey, Tim Cavagin e John Casali
Alternativa: Assim Nasce Uma Estrela, Tom Ozanich, Dean A. Zupancic, Jason Ruder e Steven Morrow

MELHORES EFEITOS SONOROS
O Primeiro Homem na Lua,
Alternativa: Bohemian Rhapsody,

MELHOR FILME NUMA LÍNGUA ESTRANGEIRA
Roma, México
Alternativa: Guerra Fria, Polónia

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
Homem-Aranha: No Universo-Aranha
Alternativa: Ralph vs Internet

MELHOR DOCUMENTÁRIO
RBG
Alternativa: Free Solo

MELHOR CURTA-METRAGEM LIVE-ACTION
Skin
Alternativa: Marguerite

MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO
Animal Behavior
Alternativa: Bao

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTAL
Period. End of Sentence
Alternativa: End Game

Concordas com as nossas previsões inseguras? Quem julgas que vai ganhar os Óscares este domingo? Deixa as tuas respostas nos comentários.

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *