Dor e Glória © El Deseo

32º Prémios do Cinema Europeu | Almodóvar e Polanski empatados

Pedro Almodóvar e Roman Polanski estão empatados e lideram as nomeações (4) para os Prémios do Cinema Europeu, anunciados hoje no contexto do Festival de Sevilha. A cerimónia de entrega dos prémios vai decorrer a 7 de Dezembro em Berlim, cidade-sede da Academia Europeia de Cinema.

Foi à sombra da Torre del Oro, de Sevilha e com um bom presságio de um sol quente e outonal que foram anunciados as principais nomeações — as restantes foram sendo apresentadas sucessivamente, incluindo as curtas onde estão duas portuguesas — aos Prémios de Cinema Europeu (EFA). E sem dúvida juntam-se aqui os melhores e mais premiados filmes europeus da temporada. No entanto, acabariam por brilhar — inclusive através da transmissão em streaming — e com um surpreendentemente empate desta vez o cinema espanhol e o cinema francês, nuns prémios que são geralmente dominados pela indústria de cinema do norte da Europa.

j'accuse
J’Accuse | © Canal+

O filme ‘Dor e Gloria’, de Pedro Almodóvar pelo grande sucesso que tem sido de público e da crítica, é sem dúvida um dos grandes favoritos com 4 nomeações (melhor filme, melhor realizador, melhor argumento e melhor actor, para Antonio Banderas, Prémio de Melhor Actor no Festival de Cannes 2019). No entanto, o seu grande rival na categoria de melhor filme e melhor realizador é Roman Polanski com ‘J’acuse’, — apesar de hoje ter rebentado mais um escândalo de um possível caso de abuso sexual em França, relacionado com o realizador — que também parte com quatro nomeações. Isto além das nomeações para melhor filme de ‘O Traidor’, do italiano Marco Bellocchio, do filme francês ‘Les Misérables’, do jovem-revelação Ladj Ly, de ‘A Favorita’, do grego Yorgos Lanthimos, que esteve nomeado para os Óscar 2019; e surpresa das surpresas o filme alemão ‘System Crasher’, de Nora Fingscheidt, talvez o menos reconhecido nos cartazes europeus, porque estreou há largos meses. ‘System Crasher’, conta uma perturbante história de Benni, uma menina de nove anos revoltada, agressiva e imprevisível, que é entregue aos cuidados de várias instituições e aos serviços sociais porque a sua própria mãe tem medo dela. O filme esteve na competição e venceu o Prémio Alfred Bauer da Berlinale 2019, em fevereiro.

Lê Também:
LEFFEST '19 | Passámos por Cá, em análise
o traidor critico
© Alambique Filmes

Na categoria de Melhor Realizador, repetem-se alguns dos nomeados para melhor Filme, com os filmes do espanhol Pedro Almodóvar, do polaco Roman Polanski, do grego Yorgos Lanthimos e do italiano Marco Bellocchio a terem a companhia da francesa Céline Sciamma, que realizou o belo ensaio no feminino de ‘Portrait de la jeune fille en feu’, que esteve na competição de Cannes 2019. Quanto aos actores a estrela internacional Antonio Banderas de ‘Dor e Glória’, estará muito bem acompanhado e disputará o trofeu de melhor actor europeu com o francês Jean Dujardin (‘J’accuse’), que também já ganhou um Óscar (‘O Artista’), e por Pierfrancesco Favino (‘O Traidor’), Levan Gelbakhiani (‘And Then We Dance’, filme apresentado na Quinzena dos Réalizadores do Festival de Cannes 2019), Alexander Scheer (‘Gundermann’) e Ingvar E. Sigurðsson (‘A White, White Day’ um filme da 51ª Semana da Crítica do Festival de Cannes 2019). Na categoria de melhor atriz está nomeada Olivia Colman, pelo seu papel em ‘A Favorita’ (Óscar de Melhor Actriz 2019), Trine Dyrholm, por ‘Dronningen’, a dupla Noémie Merlant e Adèle Haenel por ‘Portrait de la jeune fille en feu’, Viktoria Miroshnichenko em ‘Dylda’, e a pequena Helena Zengel, protagonista de ‘System  Crasher’. Para melhor documentário europeu estão curiosamente também alguns dos potenciais nomeados para aos Óscares  2020: ‘For Sama’, realizado em conjunto pela realizadora e jornalista síria Waad al-Kateab e pelo inglês Edward Watts, ‘Honeyland’, dos norte-macedónios Ljubomir Stefanov e Tamara Kotevska, ‘Putin’s Witnesses’, do russo Vitaly Mansky, ‘Selfie’, do italiano Agostino Ferrente, e ‘La Scomparsa di Mia Madre’, do igualmente italiano Beniamino Barrese.

Cães Que Ladram aos Pássaros
Vicente Gil diverte-se com os amigos nas ruas turísticas do centro do Porto. | © Uma Pedra no Sapato

Já previamente anunciados como candidatos a melhor curta-metragem europeia estão os representantes portugueses: ‘Cães que ladram aos pássaros‘, de Leonor Teles, que esteve na Mostra de Veneza, em setembro passado, e ‘Les Extraordinaires Mésaventures de la jeune fille de pierre’, de Gabriel Abrantes, apresentado em maio na 51ª Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes.

JVM

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colaborou no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’  (2014) e 'Mar Urbano Lisboa (2019). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’ (2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’ (2012), Mostras de Cinema da América Latina (2010 e 2011), 'Vamos fazer Rir a Europa', (2014), Mostra de Cinema Dominicano, (2014) e Cine Atlântico, Terceira, Açores desde 2016, até actualidade. Foi Director de Programação do Cine’Eco—Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela de 2012 a 2019. É membro da FIPRESCI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *