"Mais uma Rodada" conseguiu conquistar a nomeação a Melhor Realização e a Melhor Filme Internacional |©Films4you

Nomeações aos Óscares 2021 | surpresas e destaques

As nomeações aos Óscares 2021, que acontecem a 25 de abril,   foram hoje anunciadas pelo casal Priyanka Chopra Jonas e Nick Jonas. Percorremos os  filmes em destaque para encontrar as surpresas, pontos altos e aqueles que foram esquecidos pela Academia.

A 93ª edição dos Óscares acontece mais tarde este ano, fruto do esforço no sentido de contrabalançar as limitações às estreias cinematográficas em 2020 e permitir que mais obras pudessem concorrer às estatuetas.

A janela de submissão de filmes viu-se alargada e, apesar de todas as provações enfrentadas, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood conseguiu encontrar alguns nomeados de peso.

A organização equacionou diversas hipóteses,  inclusive manter a cerimónia no seu formato habitual, mas acabou por ser anunciado em fevereiro que a cerimónia iria decorrer em múltiplas localizações. Uma delas o já mítico Dolby Theatre. Hoje, no âmbito do anúncio dos nomeados às 12h18 (hora de Portugal), foi avançado que os Óscares irão mesmo acontecer em dois locais distintos. Os rumores dos últimos dias acabaram por se confirmar e a segunda localização será  a Union Station de L.A, a principal estação ferroviária da cidade e um marco histórico inaugurado em 1939.

Feitas as contas e entrando agora nas obras que concorrem às cobiçadas estatuetas douradas, “Mank” afirma-se sem grande surpresa como o filme mais nomeado. A longa-metragem de David Fincher, acerca do argumentista do clássico “Citizen Kane” e do processo de escrita da obra, está nomeada a 10 estatuetas. Considerando que esta é uma obra para lá de académica, pautada por uma notória qualidade técnica e acerca da história de Hollywood, não se poderiam esperar poucas nomeações por parte de uma Academia ainda algo conservadora.

Para lá do lugar dianteiro de “Mank” nas nomeações contamos, curiosamente, com 6 grandes concorrentes com 6 nomeações cada. São eles: “O Pai”, “Judas and the Black Messiah”, “Minari”, “Nomadland – Sobreviver na América”, “Som do Metal” e “Os 7 de Chicago”. “Uma Miúda Com Potencial”, outro destaque da temporada de prémios, segue com 5 indicações (tal como “Ma Rainey: A Mãe do Blues”).

Analisamos agora quais foram as grandes surpresas , os chocantes renegados e os pontos altos das nomeações. 

DANIEL KALUUYA E LAKEITH STANFIELD CONCORREM NA MESMA CATEGORIA

POR “JUDAS AND THE BLACK MESSIAH”

judas and the black messiah critica
“Judas and the Black Messiah” | © Warner Bros.

Esta é uma das maiores, e mais incompreensíveis, nomeações aos Óscares 2021. Daniel Kaluuya alcançar aqui a sua segunda nomeação ao Óscar (a primeira por “Foge”) não foi surpresa alguma, seguindo-se à vitória nos Globos de Ouro, nomeação nos BAFTA, SAG e reconhecimento em muitas outras premiações.

A grande surpresa é que  LaKeith Stanfield  o acompanhe na nomeação a Melhor Ator Secundário. Ao longo de toda esta temporada de prémios LaKeith tem sido submetido e nomeado na categoria de Melhor Ator Principal, não obstante o facto de estes dois atores dividirem o ecrã de forma muito equilibrada. Nos Óscares o caso mudou e Stanfield compete como Secundário. A dupla nomeação marca a 11ª vez que dois intérpretes são nomeados pelo mesmo filme nesta categoria.

“Judas and the Black Messiah” acompanha a história do importante ativista dos Panteras Negras Fred Hampton (Kaluuya) e a traição que sofreu às mãos do informador William O’Neal (Stanfield).




“O PAI” CONQUISTA UMA POSIÇÃO DE RELEVO

Golden Globes 2021 o pai
©NOS

“O Pai”, filme realizado por Florian Zeller e protagonizado por Olivia Colman e Anthony Hopkins, pode até ser um dos filmes mais aclamados dos últimos meses. Não obstante, diversas são as longas-metragens desta award season que têm sido mais faladas e premiadas. Por esta razão, é surpreendente que a obra tenha conseguido igualar o número de nomeações em segundo lugar com tantos outros concorrentes.

As nomeações para os dois intérpretes centrais eram quase certas, mas as indicações para Melhor Design de Produção, Melhor Edição e especialmente Melhor Filme não estavam de todo garantidas.

Com esta indicação, Anthony Hopkins torna-se o ator mais velho na história dos Oscars a ser nomeado na categoria de Melhor Ator. Alcança este feito aos 83 anos. Esta é a sexta nomeação de Hopkins , nomeado no ano passado na categoria de Melhor Ator Secundário por “Os Dois Papas”. Já a sua única vitória aconteceu quase há trinta anos, em 1992, pela sua interpretação como Hannibal Lecter em “Silêncio dos Inocentes”.




MUITO AMOR PARA “O SOM DO METAL” 

sound of metal-análise
© Amazon Studios

Que Riz Ahmed (“The Night Of”) seria nomeado por “O Som do Metal”, filme disponível  em Portugal na Plataforma Amazon Prime Video, estávamos já convencidos. Assim tem sido ao longo de toda esta temporada de prémios.

Mais um marco histórico nesta edição da cerimónia: Ahmed torna-se o primeiro muçulmano nomeado na categoria de Melhor Ator (previamente Mahershala Ali ganhou duas estatuetas douradas mas sempre para Ator Secundário).

Adicionalmente as nomeações aos Óscares 2021 foram muito além do expectável, com o filme a receber indicações para categorias reputadas como Melhor Filme, Melhor Argumento Original, Melhor Edição e ainda Melhor Som (esta última mais provável tendo em conta que “Sound of Metal” retrata as experiências de um baterista a perder a audição).




A EUROVISÃO CHEGA AOS ÓSCARES 

netflix festival eurovisão da canção a história dos fire saga
“Festival Eurovisão da Canção: A História dos Fire Saga” | © John Wilson/NETFLIX

A perplexidade é muita com a música “Husavik”, da comédia musical Netflix “Festival Eurovisão da Canção: A História dos Fire Saga”, a surgir como uma nomeada caricata a Melhor Música Original nos Oscars 2021.

O filme protagonizado por Rachel McAdams e Will Ferrel é uma paródia eurovisiva que acabou por não cair no goto nem dos críticos nem dos fãs do evento. Esta é quiçá a carta fora do baralho mais inesperada (e mais hilariante). Apesar de constar da lista de pré-nomeados na categoria, a chamada “short list”,  até à nomeação vai alguma distância. Esta invulgar comédia conseguiu superá-la.




GLENN CLOSE COM UMA (ALGO) IMPROVÁVEL 8ª NOMEAÇÃO 

POR “LAMENTO DE UMA AMÉRICA EM RUÍNAS”

Hillbilly Elegy nomeações aos Óscares 2021
Glenn Close e Amy Adams completamente irreconhecíveis em “Lamento de uma América em Ruínas” © Netflix

“Lamento de Uma América em Ruínas”, “Hillbilly Elegy no original”, é um filme Netflix incrivelmente mal recebido em 2020. Este acompanha as tribulações de uma família com dificuldades econónimas e reflete acerca de três gerações distintas.

Apesar de Glenn Close ter sido nomeada por este papel para os Screen Actor Guild Awards e ainda para os Globos de Ouro, na categoria de Melhor Atriz Secundária, muitos acreditavam que a Academia ia passar ao lado desta nomeação. Com este papel, Close conseguiu tanto esta nomeação aos Óscares 2020 como uma indicação aos Razzies na categoria de Pior Atriz Secundária (não é maravilhoso quando tal acontece?).




VIOLA DAVIS FAZ HISTÓRIA NA EDIÇÃO DE 2021 

ma rainey critica netflix nomeações aos Óscares 2021
“Ma Rainey: A Mãe do Blues” | © Netflix

Viola Davis é uma lenda viva em Hollywood. Em 2021 faz história ao tornar-se a atriz negra mais nomeada ao longo  dos 93 anos de Oscars (somando a sua quarta nomeação) .

Davis é também agora a única mulher negra com duas nomeações na categoria principal de Melhor Atriz (a primeira tinha sido em 2012 por “As Serviçais”). Em 2017 ganhou o seu primeiro Óscar por “Vedações”, uma adaptação de uma peça de August Wilson tal como este “Ma Rainey: A Mãe do Blues“.

A categoria de Melhor Atriz está bastante competitiva, com grandes prestações ao seu lado. Quiçá alcance aqui o seu segundo Óscar, embora Carey Mulligan pareça uma escolha provável se considerarmos o seu conceituado percurso na indústria (que até agora não lhe mereceu estatuetas).

Em “Ma Rainey: A Mãe do Blues” Viola Davis personifica uma cantora real que a história não tem suficientemente presente. Fá-lo com alma, coração e lágrimas, numa intepretação extraordinária que nos confirma quão merecedor é o seu estatuto na indústria.




DUAS MULHERES NA CATEGORIA DE REALIZAÇÃO 

(PELA PRIMEIRA VEZ) 

Nomeações aos Óscares 2021 Nomadland
Frances McDormand e Chloé Zhao nas gravações de “Nomadland” (2020) |©NOS

As nomeaçãos aos Óscares 2021 estão marcadas por várias agradáveis surpresas e principalmente por sinais de transformação. Pela primeira vez na história desta premiação podemos encontrar duas realizadoras na corrida de Melhor Realização. Um primeiro passo para que tal deixe de se tornar tão invulgar e extraordinário?

Esta tem sido uma temporada de prémios especial para as mulheres atrás da câmara em Hollywood e as nomeações de Chloé Zhao (“Nomadland”) e de Emerald Fennell (“Uma Miúda com Potencial”) confirmam-no. Nos últimos Óscares, o grande aumento de mulheres em Hollywood a realizarem obras aclamadas ao longo do ano acabou por não se traduzir em nenhuma nomeação nesta categoria. Criadoras como Greta Gerwig, Lulu Wang, Marielle Heller, Mati Diop ou Olivia Wilde (entre  diversas outras) foram deixadas de parte.

No caso de Fennell, “Uma Miúda com Potencial” é a sua primeira experiência nas longas-metragens (e que arranque). Chloé Zhao (por agora a favorita à vitória) brilha ainda mais: não só é a primeira mulher a ser nomeada em quatro categorias como é a primeira mulher não-branca a ser nomeada para Melhor Realização pelo aventureiro “Nomadland – Sobreviver na América”.

Só cinco mulheres haviam sido nomeadas nesta categoria até agora: Lina Wertmüller, Jane Campion, Sofia Coppola, Kathryn Bigelow (vencedora em 2010) e Greta Gerwig.

Em 2021 surge outro recorde importantíssimo no femino: 76 nomeações foram para mulheres, num total de 70 nomeadas (mais uma primeira vez).




UM GRANDE ANO PARA ARTISTAS DE ORIGEM ASIÁTICA

steven yeun minari
Steven Yeun em “Minari” | ©A24

De forma indireta, a vitória inesperada de “Parasitas” no ano passado trouxe algo mais ao debate acerca de inclusão e diversidade. A falta de representatividade gritante da bastante significativa população asiática nos Estados Unidos tornou-se uma matéria cada vez mais discutida. Felizmente, as nomeações de 2021 parecem mais um passo importante para uma indústria do cinema com a capacidade de contar histórias que englobem múltiplas comunidades e experiências, tornando-se mais rica.

Chloé Zhao (“Nomadland”) e Lee Isaac Chung (“Minari”) tornaram-se os primeiros realizadores de origem asiática a serem nomeados pela sua realização. O grande destaque de “Minari” nas nomeações, uma obra sobre a experiência de imigrantes coreanos nos Estados Unidos, mostra uma maior flexibilidade por parte de uma Academia que muito teve medo de sair de uma zona de conforto ao longo da sua história.

Igualmente chocante é que antes de 2021 nunca um ator asiático-americano tenha sido nomeado na categoria principal de representação. Steven Yeun (“Em Chamas”) finalmente conseguiu alcançar este feito, o que aliás já vinha a ser especulado desde que “Minari”, que co-protagoniza, estreou em janeiro de 2020 no Sundance Film Festival.

“Minari” conseguiu ainda um outro feito assinalável. Youn Yuh-Jung (uma enorme referência no seu país de origem) tornou-se a primeira atriz coreana a ser nomeada para um Óscar pela sua tocante interpretação. Depois de todos os magníficos intérpretes de “Parasitas” terem sido ignorados no último ano, é bom saber que a Academia está a aprender.




THOMAS VINTERBERG COM NOMEAÇÃO A MELHOR REALIZADOR

POR “A ÚLTIMA RODADA”

Nomeações aos Óscares 2021 Druk
©Films4you

Era uma hipótese mas não uma certeza. Ultrapassando possíveis nomes na corrida de Melhor realização como Regina King (“Uma Noite em Miami”), Aaron Sorkin (“Os 7 de Chicago”) ou Spike Lee (“Da 5 Bloods – Irmãos de Armas”), o dinamarquês Thomas Vinterberg conseguiu mesmo chegar à competição nesta categoria.

O seu filme “Druk” (no original) compete também na categoria de Melhor Filme Internacional onde se afirma como o claro favorito. Esta nomeação na categoria de Melhor Realização apenas torna esta hipótese cada vez mais certeira.

A cereja no topo do bolo seria Mads Mikkelsen, o protagonista da obra, ter sido nomeado. Contudo, a hipótese era remota não obstante a sua maravilhosa prestação no papel de um professor de secundário que perdeu a vivacidade e se envolve numa peculiar experiência em conjunto com outros professores: manter um nível constante de álcool no sangue para melhorar as suas vidas.




MAIS RENOVAÇÃO DE TALENTO

TERÁ AJUDADO A ABERTURA A NOVOS MEMBROS DA ACADEMIA?

netflix em dezembro ma rainey
Chadwick Boseman num dos seus últimos papéis | NETFLIX © 2020

Sim, parece ser mesmo verdade, os Óscares estão a aprender com os seus erros. Um grande problema no passado foi um certo perpetuar de nomeações e entrega de prémios sempre aos mesmos artistas, sem introduzir “novo sangue”. Na sua 93ª cerimónia estão nomeados 11 intérpretes estreantes nas categorias de representação, entre eles o já falecido Chadwick Boseman (“Ma Rainey: A Mãe dos Blues“), o favorito na categoria de Melhor Ator.

Entre as novas caras nomeadas encontramos 9 pessoas não-brancas, um outro recorde. Que a mudança seja permanente, e não apenas uma forma de satisfazer as muitas críticas que se multiplicaram no passado recente da cerimónia.




NUM ANO ATÍPICO

A NETFLIX GANHA AINDA MAIS TERRENO

mank-critica nomeações aos Óscares 2021
“Mank” de David Fincher lidera as nomeações |© Netflix

A Netflix já tinha obtido o número impressionante de 24 nomeações em 2020 e as circunstâncias excecionais que levaram ao encerramento dos cinemas durante grande parte de 2020 apenas deram ainda mais força ao serviço de streaming (este ano são 35!). Em 2021 apresenta-se como o estúdio com mais nomeações (aliás, pelo segundo ano consecutivo).

Contudo, tendo em conta a temporada de prémios até agora,  é improvável que a Netflix leve o “Melhor Filme” para casa. Até agora nomear imensos filmes Netflix não se tem concretizado em muitas vitórias, e o prémio máximo da noite não foi ainda para a plataforma (esteve muito perto com o magnífico “Roma”).




MA RAINEY: A MÃE DOS BLUES” E “UMA NOITE EM MIAMI”

FALHARAM MELHOR FILME

Viola Davis
“Ma Rainey: a Mãe dos Blues”/ © Netflix

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood decidiu apenas nomear 8 longas-metragens na categoria de “Melhor Filme”. Para trás ficaram filmes que muito têm dado que falar nesta temporada de prémios. As “vítimas” “Ma Rainey: a Mãe dos Blues” e “Uma Noite em Miami” estavam bem quotadas para as nomeações, nomeadamente nas casa de apostas especializadas. Inclusive outros filmes que acabaram por conseguir um lugar, como “O Pai” ou “O Som do Metal”, encontravam-se mais abaixo nas previsões.

E enquanto “Uma noite em Miami” conseguiu uma nomeação para Melhor Argumento Adaptado, “Ma Rainey’s Black Bottom” ficou fora da corrida. Aqui “Borat” e “O Tigre Branco” conseguiram bater a concorrência.




PEDRO ALMODÓVAR É UMA AUSÊNCIA ASSINALÁVEL

COM O SEU “A VOZ HUMANA”

leffest the human voice
“The Human Voice”, de Pedro Almodóvar, teve estreia neste festival |©LEFFEST

Pedro Almodóvar estava na calha para a nomeação na categoria de “Melhor Curta-Metragem”. “A Voz Humana”, trabalho de 30 minutos no qual dirigiu Tilda Swinton, não só teve estreia nacional no LEFFEST (Lisbon and Sintra Film Festival), como chegará às salas de cinema nacionais em junho pela mão da Pris. A sua data de estreia estava marcada para dezembro de 2020, mas a presente crise de saúde publica voltou a trocar as voltas às exibições cinematográficas.

Esta elogiada curta metragem, supreendentemente excluída da corrida nas nomeações aos Óscares 2021, baseia-se na peça de Jean Cocteau e foi criada em em plena pandemia.




JODIE FOSTER NÃO CONQUISTA A NOMEAÇÃO

DE MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA POR “O MAURITANO

Jodie Foster nomeações aos Óscares 2021
Jodie Foster em “O Mauritano” | © Cinemundo

Apesar de “O Mauritano” não ser um dos grandes destaques desta temporada de prémios, a verdade é que a vitória de Jodie Foster nos Globos de Ouro poderia ter impulsionado as suas hipóteses para as estatuetas douradas. Não acabou por acontecer e o filme não teve quaiquer indicações nomeações aos Óscares 2021.




“DA 5 BLOOD – IRMÃOS DE ARMAS” NÃO CONVENCE A ACADEMIA

da 5 bloods critica netflix
“Da 5 Bloods – Irmãos de Armas” | © Netflix

“Da 5 Blood”, de Spike Lee,  foi o filme do ano para a National Board of Review em 2021, venceu 21 outros prémios (até agora) nesta award season e tem recebido na generalidade boas críticas. Contudo nas nomeações aos Óscares 2021 ficou-se pela nomeação a Melhor Banda Sonora.

As nomeações possíveis de representação para Chadwick Boseman (para Ator Secundário), potencial duplo nomeado que acabou por marcar presença na categoria de Melhor Ator Principal e para Delroy Lindo (“Melhor Ator”)  acabaram por não se concretizar.




SNUB DE “LA LLORONA”

PARA MELHOR FILME INTERNACIONAL 

La llorona critica motelx
“La Llorona” | © MotelX

“La Llorona”, obra de terror  política, foi a submissão oficial da Guatemala para a categoria de Melhor Filme Internacional. Acabou por não conseguir chegar às nomeações aos Óscares 2021, onde se apresentava como um potencial nomeado (embora não estivesse no topo da lista). A nomeação aos Globos de Ouro acabou por não ser capaz de impulsionar esta obra que passou pelo Motelx em setembro de 2020.




UMA EXCLUSÃO MAIS INESPERADA PARA MELHOR FILME INTERNACIONAL

“DEUX” (OU “TWO OF US”

Globos de Ouro 2021 como ver nomeados snubs nomeações aos óscares 2021
©Sophie Dulac Distribution

Se a submissão da Guatemala era um esperançoso sem gigantes hipóteses, “Deux” era quase um dado adquirido. A Academia de Hollywood tem a tendência de surpreender nos filmes indicados nesta categoria, e as nomeações aos Óscares 2021 não foram  exceção.

Este aclamado drama romântico sobre duas idosas que escondem o seu amor há muitas décadas foi nomeados aos Globos de Ouro, teve muito sucesso nos franceses César e também marcou presença em vários festivais. Acabou descartado pelos Óscares.

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Maggie Silva has 496 posts and counting. See all posts by Maggie Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.