© Fox Searchlight Pictures

De Lady Bird a Mulherzinhas, estas são as melhores performances de Saoirse Ronan

Por ocasião do seu aniversário recente, um bem especial, os 30 anos, recuperamos a carreira extraordinária da atriz irlandesa Saoirse Ronan. Nas luzes da ribalta desde a infância, Ronan tem vindo a participar em grandes obras ao longo das últimas décadas. Quais os destaques e melhores prestações de uma das mais jovens atrizes nomeadas ao Óscar? 

Nascida a 12 de abril de 1994, muito recentemente com 30 anos de vida completos, Saoirse Ronan é uma das mais discretas mas também mais bem-sucedidas atrizes da sua geração (e não só). Com um currículo raro e invejável, Saoirse Ronan tem três décadas de vida completas e quatro nomeações a estatuetas douradas, a primeira em 2008 com apenas 13 anos de idade na categoria de Melhor Atriz Secundária pela sua marcante, trágica e desafiante Briony em “Atonement”.

Lê Também:   Lady Bird, em análise
 

Além disso, ao completar 25 anos, Saoirse Ronan já somava quatro nomeações aos Óscares – um caso único nos 97 anos de história da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Saoirse Ronan em "Expiação - a sua primeira nomeação ao Óscar
Saoirse Ronan em “Expiação” | © Universal Pictures

Das suas colaborações célebres em anos recentes em filmes de Greta Gerwig às já duas participações em filmes de elenco assinados por Wes Anderson, Ronan vence pela sua capacidade de escolher projetos de qualidade e ser associada maioritariamente a dramas e comédias dramáticas de qualidade. Quais os seus papéis mais marcantes?

10. NA PRAIA DE CHESIL  (2017)

Na Praia de Chesil
Na Praia de Chesil

Além dos grandes filmes de estúdio e indies norte-americanos, Saoirse Ronan também integra regularmente o elenco de obras britânicas. “On Chesil Beach” pode ser uma longa-metragem discreta e não particularmente afamada, mas esta obra estreada no Festival de Toronto tem os seus méritos inegáveis. Um deles, a performance extraída a Saoirse Ronan.

Noutra adaptação da prolífica obra literária de Ian McEwan (“Expiação”), Ronan viaja até 1962 e interpreta Florence Ponting, uma jovem recém-casada. Este é um projeto que explora com quietude os meandros da intimidade, apresentando o início idílico da relação entre um casal com origens bastante distintas. Seguimo-los daí até à exploração da sua desconfortável noite de núpcias, para assim acompanhar a pressão societária colocada, nesta época, e também hoje, em questões como intimidade física e sexo. E apesar deste drama se fazer de pequenos momentos, a prestação de Ronan consegue destacar-se.




9. O GRANDE HOTEL BUDAPESTE (2014)

Numa lista de melhores interpretações poderíamos correr o risco de incluir apenas prestações como protagonista ou como uma das presenças determinantes para a história, mas a verdade é que, pequenas ou extensas, as incursões em filmes de Wes Anderson na carreira de Saoirse Ronan merecem ser sinalizadas.

Lê Também:   Asteroid City, em análise

No pitoresco “Grand Budapest Hotel”, muito elogiado pelos seus magníficos cenários com maquetes gigantes e situado no ano de 1930, Ronan é Agatha e consegue, na perfeição, captar o estilo de humor muito particular patente nas obras do cineasta norte-americano. Uma pasteleira com alma de rebelde, Agatha não tem muitas falas mas é composta a partir de expressões faciais generosas e pequenos gestos meticulosos.

Sem muitas palavras, Saoirse conseguiu criar uma personagem robusta e palpável.




8. THE FRENCH DISPATCH OU CRÓNICAS DE FRANÇA (2021)

Crónicas de França”, tal como a maioria das obras recentes de Wes Anderson, é uma história muito fragmentada e que dá conta das experiências colectivas de uma pitoresca localidade francesa no século XX e da redação local que relata os seus eventos e idiossincrasias.

Outro verdadeiro filme de elenco, “The French Dispatch” conta uma vez mais com Saoirse Ronan num papel pequeno mas reconhecível e memorável. Muito longe das suas habituais adolescentes e jovens mulheres, Ronan dá vida aqui a uma personagem mais experiente. A sua invulgar persona aqui chama-se simplesmente “Junkie” e é uma madame com um ar bem mais pesado do que a própria jovem Saoirse. Quase irreconhecível, Saoirse Ronan canta (e encanta) em “Crónicas de França”

Nesta breve participação vemos Ronan a exercer um músculo que não lhe é tão habitual numa carreira muito propensa para o drama desde cedo: o músculo da comédia. Esta exuberante pertença ao elenco de “Crónicas de França” recorda-nos da sua versatilidade.




7. VISTO DO CÉU (2009)

Saoirse Ronan in The Lovely Bones (2009)
©Dreamworks/Film4

“The Lovely Bones” não é um grande filme, como melodrama fantasioso que apresenta as aventuras de uma menina, assassinada por um vizinho, que a partir do céu auxilia a investigação acerca do seu desaparecimento até ao seu homicida. Dito assim, de rajada, esta não é a premissa de melhor gosto. Todavia, o filme de Peter Jackson é de facto emocionante e tem algumas prestações notáveis. Entre elas Stanley Tucci na pele do assassino e, claro, Saoirse Ronan como a menina que “vê do céu”, Susie Salmon.

Por este “The Lovely Bones”, Stanley Tucci foi inclusive nomeado a Melhor Ator Secundário nos Óscares em 2010. Embora não tenha chegado tão longe, Ronan também foi indicada a premiações como os Saturno e até os Critics Choice Awards e BAFTAs (isto apenas dois anos depois de ter dominado a temporada de prémios com “Expiação”).




6. HANNA (2011)

AXN destaques de fevereiro Hanna Saoirse Ronan
©AXN

Depois do enorme sucesso da sua colaboração em “Atonement”, Joe Wright e Saoirse Ronan voltaram a colaborar passados apenas 4 anos e desta vez Ronan foi mesmo a sua protagonista titular.

Neste drama de ação para o qual Ronan teve de se preparar fisicamente, uma rapariga de 16 anos, treinada pelo seu pai para ser a assassina perfeita, abandona a sua cabana remota e é enviada para a sua primeira missão Europa fora. Eric Bana, Cate Blanchett e outros super-talentos fazem parte do seu elenco de apoio.

Esta prestação valeu a Ronan outra nomeação aos Saturno – Prémios da Academia de Ficção Científica, Terror e Fantasia, como uma vez mais a nomeação aos Critics Choice Awards.




5. AMMONITE (2020)

ammonite critica
“Ammonite” | © NEON

Entre os desafiantes anos da pandemia, muito do cinema que se faz mereceu de projeção reduzida se estreado por volta desta altura. “Ammonite”, um atmosférico drama de época queer, foi uma das histórias que sofreu com este panorama internacional. Escrito e realizado por Francis Lee (“God’s Own Country”), o drama romântico sáfico situa-nos na Inglaterra de 1840 e retrata a intensa relação entre a figura real Mary Anning (Kate Winslet), uma paleontóloga e coleccionadora de fósseis e uma jovem mulher, a Charlotte de Saoirse Ronan.

Lê Também:   Os melhores filmes LGBTQ+ dos últimos 10 anos

Charlotte Murchison, uma geóloga, é também uma figura real, embora uma relação além da amizade não esteja registada na história real destas duas mulheres. Por este papel apaixonado e adulto, um pouco distante de outros mais célebres da sua carreira, Ronan foi nomeada aos Prémios da Academia Irlandesa de Cinema.




4. BROOKLYN (2015)

saoirse ronan
Saoirse Ronan em “Brooklyn” | © 2015 – Fox Searchlight Pictures

Sem grande surpresa, guardamos os últimos quatro lugares desta lista de grandes interpretações de Saoirse Ronan para as prestações que lhe valeram indicações ao Óscar. Com “Brooklyn”, em 2016, Ronan foi nomeada pela primeira vez na categoria de Melhor Atriz por este drama de época.

Lê Também:   Mulherzinhas, em análise

Aqui, Ronan é Ellis, uma imigrante irlandesa que chega à Brooklyn da década de 1950, onde se apaixona rapidamente por um local. Um regresso forçado à sua terra natal acaba por complicar a vida da protagonista. Hábil a mostrar o coração dividido dos imigrantes e também na representação de amor romântico melodramático, “Booklyn” permitiu a Saoirse Ronan ancorar um filme, como a sua genuína alma, como não havia tido oportunidade até então.




3. MULHERZINHAS (2019)

Mulherzinhas Saoirse Ronan
© Big Picture Films

Jo March, imortalizada na obra literária de Louisa May Alcott em 1868, é uma das grandes protagonistas femininas de todos os tempos. Sem hipérbole, o grande papel da jovem escritora destemida, é um de grande responsabilidade tendo em conta o seu impacto na cultura literária e popular.

Lê Também:   Mulherzinhas | Todas as adaptações do pequeno e grande ecrã

Na memória recente, a Jo perfeita de Winona Ryder, em 1994, ainda ecoava nas mentes cinéfilas e literárias, mas eis que Saoirse Ronan conseguiu honrar Jo March, a “líder” entre as famosas “Mulherzinhas”, dando-lhe um cunho pessoal e emotivo. Destacamos o seu monólogo acerca do que é ser uma mulher, difícil de ouvir sem lacrimejar, tal é a emoção com que é entregue.

Para além da sua terceira nomeação ao Óscar de Melhor Atriz, Ronan foi indicada a perto de outros 40 prémios pelo filme histórico de Greta Gerwig – uma adaptação verdadeiramente contemporânea de um clássico do século XIX.




2. EXPIAÇÃO (2007)

Hollywood Casting
Saoirse Ronan e Vanessa Redgrave em “Expiação” | © Universal Pictures

Um dos mais belos e trágicos romances de guerra do século XXI, “Expiação” narra o amor curto e interrompido, mas épico, de Cecilia (Keira Knightley) e Robbie (James McAvoy). A partir do romance de Ian McEwan, adaptado com rigor notável, Joe Wright cria a melhor obra da sua carreira pautada por (muitos) altos e baixos.

Aqui, Saoirse Ronan é a antagonista perfeita. O seu papel, embora secundário, fragmentado, e interpretado por 3 atrizes distintas ao longo da cronologia da obra, é essencial para o desenvolvimento da história. A sua Briony não é apenas a antagonista da obra, mas também a sua catalisadora. E tudo depende da interpretação da mais jovem versão de Briony – a sua –  aquela que viu algo que não soube compreender e que, recorrendo a uma imaginação fértil, destruiu a vida de um jovem casal irremediavelmente.

Briony é enervante, difícil de tragar, e a peça central do enredo de “Atonement”. Por este papel marcante, Ronan recebeu a sua primeira nomeação ao Óscar com apenas 13 anos.




1. LADY BIRD (2017)

Saoirse Ronan
Saoirse Ronan em “Lady Bird” (2017) |©A24

Quando “Lady Bird”, a primeira longa-metragem realizada e escrita a solo por Greta Gerwig foi lançada, Saoirse Ronan, aos 23 anos, já não era propriamente uma adolescente. Tal não a impediu de ser convincente como nenhuma outra nesta sua prestação memorável. Desde então Ronan até já acumulou outra nomeação ao Óscar de Melhor Atriz por “Mulherzinhas“, mas é certo dizer que algo na protagonista Lady Bird se tornou associado à sua imagem e reputação.

A atriz irlandesa, apaixonada pela sua pátria e pouco dada aos meandros da celebridade, não sabe o que é crescer em Sacramento, nos EUA, mas a sua ‘condutora’ Gerwig bebeu precisamente da experiência própria para construir este coming of age muito particular e íntimo e para a guiar. Com Laurie Metcalf, Lucas Hedges, Timothée Chalamet e Beanie Feldstein a apoiarem-na a casa passo no elenco, Ronan criou uma complexa e credível adolescente que conquistou, quase de imediato, um lugar cimeiro entre as produções dentro deste género. Pelo poder da interpretação e pela sua naturalidade, cedemos o pódio à colorida Lady Bird!

Lady Bird critica Saoirse Ronan no seu 30 aniversario

Desse lado, qual a prestação de Saoirse Ronan que consideras mais inesquecível? 



Também do teu Interesse:


About The Author

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *